Ascensão não pode ser freada

A revolução que ocorre no mundo, com uso intensivo de inteligência artificial, informações quânticas e...

A revolução que ocorre no mundo, com uso intensivo de inteligência artificial, informações quânticas e biotecnologia, é uma oportunidade para permitir que os mercados emergentes e os países em desenvolvimento possam dar um salto no seu desenvolvimento. Esta é a opinião do presidente da China, Xi Jinping. Ao discursar no Fórum de Negócios do Brics em Joanesburgo, África do Sul, ele salientou que os mercados emergentes e os países em desenvolvimento já contribuem com 80% do crescimento econômico mundial. Com base no cálculo da taxa de câmbio, esses países respondem por quase 40% da produção econômica mundial. Vale lembrar que a China responde pela maior parte de ambos.

Crescendo nas suas taxas atuais, esses países verão sua produção econômica se aproximar da metade do total mundial em uma década”, disse Xi. “A ascensão coletiva dos mercados emergentes e dos países em desenvolvimento é impossível de ser freada, e isso tornará o desenvolvimento mundial mais equilibrado e a base da paz mundial, mais firme.”

Na visão do presidente chinês, o mundo está se movendo em direção a multipolaridade e maior globalização econômica: “Pontos de conflito geopolítico têm surgido, e a sombra do terrorismo e dos conflitos armados ainda paira sobre nós. O unilateralismo e o protecionismo estão se levantando, dando um golpe severo ao multilateralismo e ao regime do comércio multilateral”, criticou. “A comunidade internacional chegou a uma nova encruzilhada; e nós estamos enfrentando uma escolha entre a cooperação ou o confronto, entre a abertura ou uma política de portas fechadas, e entre os benefícios mútuos ou uma abordagem de buscar os interesse próprios às custas dos vizinhos”, disse Xi, alfinetando os Estados Unidos.

Nós, países do Brics, devemos nos manter na tendência histórica, aproveitar as oportunidades de desenvolvimento, enfrentar juntos os desafios e desempenhar um papel positivo na construção de um novo tipo de relações internacionais e uma comunidade de futuro compartilhado para a humanidade”, finalizou.

 

Incomoda

A hipótese de extinção da Justiça do Trabalho, por meio da sua absorção pela Justiça Federal, foi criticada pela presidente nacional do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Rita Cortez. Ela alertou que a proposta não é recente. “Ela foi cogitada, no final da década de 1990, pelo então presidente do Senado, Antônio Carlos Magalhães, durante as discussões relacionadas à reforma do Judiciário”.

O presidente do TRF2, desembargador André Fontes, criticou a possibilidade de unificação das justiças, “que possuem natureza e finalidade distintas”. Ele disse ter participado, recentemente, de dois eventos em que foi dito que “a extinção da Justiça do Trabalho é uma questão de tempo”.

Não podemos permitir que, numa canetada, se ponha fim à Justiça do Trabalho, cujo histórico de organização judiciária complexa é um exemplo para o mundo inteiro e sofre, hoje, uma reação de políticos, que decidiram enfrentá-la porque ela cumpriu a sua missão histórica com competência e seriedade”, assegurou o desembargador.

 

Melhor que remediar

Nesta sexta é o Dia Nacional da Prevenção de Acidentes do Trabalho. O Brasil ocupa quarto lugar mundial no ranking de acidentes e doenças do trabalho, segundo a OIT, com média anual de 2.503 óbitos. Dados do Ministério Público do Trabalho (MPT) apontam que, somente no primeiro semestre deste ano, mais de R$ 1 bilhão já foram pagos em benefícios acidentários pela previdência brasileira.

Um ponto importante que deve ser destacado é que é mito falar que Segurança e Saúde do Trabalho (SST) é custo e não investimento”, aponta Geraldo Bachega, diretor-médico da RHMed. Ele cita que cálculos feitos pelos especialistas apontam que, em média, para cada real investido em prevenção de acidentes e promoção da saúde do trabalhador, há um retorno de aproximadamente três reais.

 

Rápidas

O diretor-executivo do Sindicato das Indústrias de Produtos Químicos de São Paulo (Sinproquim), Ricardo Neves de Oliveira, será o coordenador do painel que debaterá o que é preciso para o Brasil ser um ator mundial do setor petroquímico, durante o 9º Lubgrax Meeting, que acontece em São Paulo, 1 e 2 de agosto *** O Instituto dos Auditores Independentes (Ibracon) realizará o curso “CPC 47 – Receita de Contratos com Clientes”, dia 2, em Belo Horizonte (MG). Inscrições: (31) 3275-3070 ou [email protected]

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Taxa de carbono vai custar quase € 800 mi à Turquia

Os exportadores turcos de produtos com alto consumo de energia, como cimento, aço e alumínio, poderão enfrentar custos adicionais exorbitantes quando as propostas legislativas...

Sonho da casa própria fica mais distante

Contratação de moradias com recursos do FGTS cai ano após ano.

Moeda chinesa na mira dos bancos centrais

Participação como reserva internacional ainda é baixa… por enquanto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado de TI é alavancado pela pandemia

Tetris IT, empresa que desenvolve projetos de inovação digital, cresceu 300% em 2020.

Ações da ClearSale valorizam mais de 20% na estreia na B3

A ClearSale (ticker CLSA3) concluiu nesta sexta-feira a sua oferta pública inicial (IPO) na B3. A oferta movimentou R$ 1,3 bilhão sendo que, apenas...

Edital da Oferta Permanente inclui 377 blocos

A Agência Nacional de Petróleo e Gás Natural (ANP) publicou nesta sexta-feira nova versão do edital da Oferta Permanente, com a inclusão de 377...

Multa de R$ 500 mil para ‘fake’ sobre eleição

Uma multa de R$ 500 mil, caso repita as manifestações que questionem os últimos pleitos presidenciais realizados no país, faz parte uma ação que...

Bacia de Campos recua com redução drástica de investimentos

A Bacia de Campos, atualmente a segunda maior região produtora de petróleo do Brasil, registrou em junho a sua menor produção média dos últimos...