Assessor de imprensa: porque você precisa de um

Por Vera Lucia Rodrigues.

Opinião / 16:51 - 19 de mai de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Você está lançando um novo produto. Ou talvez um novo serviço. Precisa comunicar uma fusão ou aquisição. Uma nova utilização para o mesmo produto. Avanço tecnológico ou para comentar como a queda do dólar pode impactar no seu negócio. São todas possibilidades para a utilização de um bom esquema de assessoria de imprensa e relacionamento com o mercado.

Mas e nessa época de “Meu Deus”, onde só se fala em pandemia, remédios, ausência de leitos e de tratamentos, como manter o nome pessoal, dos produtos e de sua empresa no noticiário de forma ética e produtiva? Principalmente, porque essa pandemia vai passar, e aí como fazer para se manter na mente do consumidor?

A assessoria de imprensa é um dos instrumentos de comunicação desenvolvidos para as organizações, sendo inerente às atividades da área de comunicação e extremamente útil como fator diversificador no noticiário. É hora de utilizar a imaginação para atingir e se fixar na mente do consumidor. Se você é advogado, deve escrever sobre assuntos relevantes que possa atuar, se for psicólogo pode escrever sobre medos e fobias que estão afligindo a mente do consumidor.

Em última instância o que queremos é fixar o conceito de que assessoria de imprensa é uma forma permanente de relacionamento com o mercado via jornalistas e formadores de opinião. E se você quiser se destacar, estabeleça relações entre o que é notícia hoje e o seu ramo de atividade.

E, acredite, um bom assessor de imprensa pode fazer isso por você e pela sua empresa. Com essa noção precisa, ele deve saber o que é pauta e para quem. Ele vai transformar a sua empresa ou sua expertise em notícias, artigos, sugestões de pauta, para fazer com que você fique em evidência no universo corporativo dos receptores da sua mensagem e no universo midiático dos emissores do seu conteúdo.

Percebemos um resgate nessa epidemia do verdadeiro papel da imprensa. É claramente visível que as mídias consagradas e tradicionais, como emissoras de rádio e TV e jornais impressos e digitais, reconquistaram o seu papel de protagonistas na disseminação de informações confiáveis. O bom e velho trabalho de reportagem e levantamento jornalístico tem trazido informações preciosas na cobertura da pandemia e de todos os impactos nas esferas da sociedade.

Nesse momento que vivemos, mais do que em qualquer outro, onde grande parte dos consumidores estão a frente das midas tradicionais, online ou sociais, o papel do assessor de imprensa torna-se mais importante do que nunca.

Me atreveria a dizer que nesse momento todos precisamos de um assessor de imprensa para chamar de seu.

Vera Lucia Rodrigues

Jornalista, mestre em comunicação social e responsável pela Vervi Assessoria.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor