Atchim milionário

Os não-hipocondríacos do planeta ganharam mais uma forte razão para conterem sua ansiedade diante do bombardeio de notícias sobre a eminente epidemia mundial da gripe aviária. Segundo The New York Times, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald Rumsfeld, é o dono da patente do único medicamento para tratar a gripe aviária. De acordo com o jornal norte-americano, Rumsfeld está obrigado a se abster das decisões do governo Bush sobre medicamentos, por ter se recusado a vender suas ações da empresa Gilead Sciences Inc., que patenteou o remédio antiviral Tamiflu, específico contra a gripe aviária. Antes de assumir o atual cargo no governo Bush, ele era diretor da Gilead, que concedeu à multinacional Roche o direito de distribuir o medicamento.

Pelo telefone
Criado em 2001 pela Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro, o serviço de teleatendimento “Alô, Alerj” recebeu ao fim do ano passado cerca de 172 mil ligações. Desse total, cerca de 55 mil foram recebidas em 2005, mais 25% em relação ao ano anterior. O serviço, que funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, com o número 0800 220008, recebe reclamações sobre serviços públicos, sugestões de projetos de lei, tira dúvidas sobre a legislação e recebe pedidos de ajuda. O “Alô, Alerj” também recebe e-mails pelo endereço [email protected]

Vox populi
Depois do referendo sobre o porte armas, os brasileiros podem ser chamados a se manifestar sobre temas mais relevantes. Atualmente, tramitam no Congresso Nacional 300 propostas de referendos ou plebiscitos. Entre os temas mais polêmicos, a transposição do Rio São Francisco, a revisão do processo de privatização das estatais, a continuidade ou não do pagamento da dívida externa e o cancelamento dos acordos com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Caso o Congresso aprove, a consulta poderá ser feita por referendos, com os cidadãos opinando sobre leis já aprovadas, ou por plebiscitos, quando a convocação é feita antes de a lei ser votada pelo Legislativo.

“Eleven Square”
Num verão recheado de turistas, o Metrô do Rio passou a anunciar a chegada às estações também em inglês. Mas para agradar o visitante poderia caprichar na limpeza dos vagões, que anda distante do serviço exemplar do passado.

Rótulo
“A forma predominante de dominação ideológica não é mais o ocultamento dos fatos, um estratagema bastante primitivo, usado pelas ditaduras. Hoje, a dominação se faz muito mais pela capacidade de nomear. Mário de Andrade dizia: “As pessoas não pensam as coisas, elas pensam os rótulos.” Tinha razão. Boa parte do jornalismo econômico contemporâneo, por exemplo, tornou-se uma grosseira arte de rotular.” A crítica, parte de uma análise sobre as semelhanças entre os governos Lula e FH, foi feita pelo cientista político César Benjamin, no artigo “A arte de rotular – Lula, o livre comércio e a unidade dos indiscerníveis”.

Não ao FMI!
Embora a imprensa seja a principal divulgadora da tese, 65% dos jornalistas ouvidos em enquete do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro repudiaram a decisão do presidente Lula de antecipar em um ano o pagamento ao FMI do empréstimo de US$ 15 bilhões que só venceria no fim de 2006. Apenas 35% aprovaram a antecipação.

Outras necessidades
Entre os 65% jornalistas que disseram não à decisão, a maioria (49%) reprovou o pagamento antecipado por entender “que o sacrifício é muito grande e este dinheiro poderia ter sido investido no resgate da dívida social e em infra-estrutura”. Outros 16% defenderam que “o Brasil deveria questionar a dívida e os seus juros, e não pagá-los”. Entre os que aprovaram a antecipação,  29% apontaram “economia com os juros que pode ser redirecionada  para investimentos” e 7% abraçaram a tese preferida da imprensa de “que, assim, o Brasil demonstra capacidade de honrar seus compromissos e ganha respeitabilidade internacional”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAusteridade boliviana
Próximo artigoExportador de capitais

Artigos Relacionados

Commodities voltam a subir e ameaçam inflação

Brasil dependerá, mais que nunca, do comportamento do real frente ao dólar.

Rio manda R$ 2,4 tri para União e só recebe R$ 171 milhões

Estado é um dos mais prejudicados da Federação.

Não, a Petrobras não quebrou

Na época em que os preços dos combustíveis não eram descontrolados, caixa da estatal era superior ao atual.

Últimas Notícias

Valor da internet em Portugal está mais barato

Dados recentes do Eurostat, Serviço de Estatística da União Europeia, referentes a dezembro de 2021, mostra que Portugal lidera na descida de preços dos...

Modal finaliza aquisição da integralidade do banco digital LiveOn

O Modal, banco de investimento, fechou a aquisição de 100% da infratech LiveOn, operação divulgada em outubro de 2021, e só agora aprovada pelo...

Fitch afirma IDRs BB’ e rating nacional ‘AAA do Itaú Unibanco

A Fitch Ratings afirmou nesta segunda-feira os IDRs (Issuer Default Ratings - Ratings de Inadimplência do Emissor) de Longo Prazo em Moedas Estrangeira e...

Balança comercial registra déficit de US$ 117 milhões

A corrente de comércio (soma de exportações e importações) brasileira cresceu 28% e fechou a terceira semana de janeiro em US$ 28,91 bilhões. Os...

Subida de juros assusta investidores

A segunda-feira (24) foi marcada como um dia de aversão a risco com fortes quedas nas bolsas internacionais, observou Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial...