Austrália provocou China e fica com carvão encalhado

‘Boicote’ chinês serve de alerta para um certo país do Ocidente e seu ministro delirante.

A Austrália está cada vez mais preocupada com o “boicote não declarado” da China ao carvão australiano, que desde o início do ano vem enfrentando barreiras nos portos chineses. O minério é o segundo produto na pauta de exportação do país dos cangurus para o dos coalas e responde por 3,7% do PIB australiano. As compras das usinas elétricas estatais chinesas que utilizam carvão estão sendo direcionadas para o produto interno, ainda que de pior qualidade, ou para o minério oriundo da Rússia ou da Indonésia.

Por trás dessa mudança, a escalada de tensões entre os dois países, provocada pelo alinhamento do governo de Camberra aos interesses dos Estados Unidos na região. A China reclama de discriminação contra empresas de tecnologia, como a Huawei. Os políticos australianos agravaram a desavença ao atribuir aos chineses culpa pelo coronavírus.

A história serve de alerta para o Brasil. Na fatídica reunião ministerial de 22 de abril, entre palavrões e piadas de botequim, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, teria chamado a doença de “comunavírus”, mas um de seus ataques delirantes contra as hordas comunistas, tão constrangedor que levou o ministro Celso de Mello, do STF, a censurar o trecho ao liberar a divulgação do vídeo da reunião.

A China é o principal parceiro comercial do Brasil, e ataques que minem as relações entre os dois países deixam o setor agroexportador preocupado. Não que os chineses, com seus 4 mil anos de história, vão pautar suas relações com um país a partir de ministros que despejam tolices nas redes sociais. Mas a China pode buscar parceiros com os quais tenha maior afinidade.

 

Dominado

Medida provisória transforma 281 cargos em comissão na Polícia Federal – que podem ser ocupados por pessoas de fora do quadro da instituição – em 860 funções comissionadas – exclusivas dos funcionários da PF. A MP foi aprovada a jato na Câmara com a alegação de que haveria redução de despesas, apesar da disparidade entre os números e de não terem sido reveladas as contas da troca.

O que a princípio parece positivo – substituir “janeleiros” por gente de carreira – merece uma atenção redobrada. Na Petrobras, o privilégio a gerentes e chefes – obra daquele pessoal do FHC que queria transformar a estatal na Petrobrax – é um dos fatos na origem de muitos dos problemas que explodiriam mais à frente.

A cooptação de integrantes da PF não pode ser vista separadamente do desejo do Governo Bolsonaro em transformar a instituição de Estado em uma polícia controlada pelo presidente.

 

Mercado sem riscos

Comercializadores de energia contabilizam R$ 5 bi de prejuízos e acreditam que a ajuda do governo de R$ 14 bi será insuficiente. Apesar da confissão de fracasso do mercado livre, querem ampliar o sistema para todos os consumidores. Certeza de que a Viúva assumirá as perdas?

 

Rápidas

A plataforma de hospedagens VisitNow vai apoiar o festival musical Compaixão, organizado pela ChildFund Brasil, cujo objetivo é arrecadar doações para ajudar cerca de 30 mil famílias nas regiões Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste durante o período da pandemia. O festival, neste final de semana, terá transmissão pelas redes @childfundbrasil no Instagram e Youtube *** O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio promove webinar sobre Compliance no Mercado Imobiliário, nesta segunda-feira, às 19h, no YouTube *** A Aasp realiza nesta segunda, às 17h, o webinar gratuito “Novos rumos da previdência”. Inscrições aqui *** O defensor público do Estado do Rio de Janeiro Felippe Borring Rocha e o advogado Cláudio Pires Ferreira farão uma live no Instagram nesta segunda, às 16h, pelo perfil @iabnacional, sobre “Direito do consumidor em tempos de pandemia” *** O médico e cofundador da MedRio, Galileu Assis, fará uma live dia 27, às 17h, no Instagram da Nina Kauffmann (@ninakauffmann). O tema é “Medicina Preventiva em Tempos de Epidemias” *** Para discutir o “Day-After: os Desafios da moda e do luxo pós Covid-19”, o escritório Di Blasi, Parente & Associados preparou um webinar, no dia 27, às 19h, com Sébastien Liron, especialista francês em Branding, e Freddy Rabbat, presidente da TAG Heuer no Brasil. Inscrições aqui.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Indústria naval apresenta propostas para eleições 2022

Setor quer deixar para trás maré ruim dos últimos 7 anos

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Últimas Notícias

Senado vai analisar vetos na Lei Aldir Blanc

Existe uma fila de 36 vetos aguardando votação dos senadores e deputados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,83% em maio

Das 24 atividades analisadas, 21 tiveram alta de preços

Acqio inclui transações via Pix em suas soluções de pagamento

Em abril os pagamentos feitos via Pix atingiram a marca histórica de 11,5%, no comércio eletrônico

Pedidos de empréstimos recuam e cartão continua vilão

Segmento teve queda de 8,3% no mês de maio.