B3 lança fundo para investir em startups

Nova frente nasce com capital de R$ 600 milhões

A B3, a bolsa do Brasil, anunciou nesta segunda-feira o lançamento de um fundo de R$ 600 milhões destinado a investir no ecossistema de inovação em empreendedorismo. Chamado de L4 Venture Builder, o fundo receberá recursos da B3 para selecionar projetos em que a bolsa terá participação societária, acelerando sua presença em negócios com alto potencial de crescimento. Os mercados de energia, carbono e finanças descentralizadas estão no radar do fundo.

“A L4 Venture Builder funcionará como uma estrutura independente, com formato flexível para desenvolver seus negócios, podendo, inclusive, atuar em áreas nas quais a B3 já trabalha”, afirma Gilson Finkelsztain, CEO da B3. “A ideia é que o fundo invista em Venture Building ao longo dos próximos 5 anos e que o primeiro investimento em startups aconteça ainda neste ano”, projeta Finkelsztain. Venture Builder (também denominado de “startup studios” ou “fábricas de startups”, são empresas que investem, constroem e desenvolvem startups com recursos próprios.

O executivo Pedro Meduna irá liderar a nova frente da companhia. Sobre os setores com potencial alvo de investimentos, ele cita os mercados de energia, carbono, finanças descentralizadas, tokenização de ativos, soluções para fintechs, neobanks, crowdfunding, pagamentos, entre outros.

A criação da L4 Venture Builder dá continuidade à estratégia da B3 de inovação em seu negócio principal e de crescimento em outras frentes e se soma ao portfólio de Novos Negócios que está sendo construído, como a própria iniciativa de Digital Assets, liderada por Jochen Mielke, e de Desenvolvimento de Produtos e Serviços para Middle e Backoffice, sob a responsabilidade de Paulo D’Angelo.

Transformações

“Esse novo fundo nasce com a visão de acelerar ainda mais a inovação que já ocorre dentro da B3, demonstrando que a companhia leva a sério o desafio de antecipar tendências e oferecer ótimas soluções para o mercado. Espero que a L4 Venture Builder consiga somar cadência e força a essa trajetória, em um momento em que o mundo passa por tantas transformações oriundas de novas tecnologias”, diz Juca Andrade, vice-presidente de Produtos e Clientes da B3.

Pedro Meduna começou sua carreira trabalhando com consultoria estratégica na Bain e investimento em Private Equity na TMG Capital. Mais recentemente, empreendeu em diferentes novos negócios nos setores de mobilidade, serviços financeiros e material de construção, onde atuou ou como co-fundador ou como parte do time executivo de empresas como Tripda (Rocket Internet e Insight Venture Partners), Cabify (Rakuten) e Juntos Somos Mais (Votorantim, Gerdau e Tigre). “Há muito tempo me inspiro na B3 como um caso único de empresa que está sempre se reinventando e servindo cada vez melhor ao nosso país e ao nosso mercado de capitais”, finaliza.

Leia também:

B3 registra R$ 5,1 bilhões em contratos de derivativos

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Mercado de trabalho nos próximos meses pode continuar frágil

Segundo especialistas, no segundo semestre, oportunidades poderão se concentrar no mercado de trabalho informal.

Bitcoin perde os US$ 19 mil. Pirâmide começa a desmoronar?

Oficiais chineses chamam criptomoeda de maior esquema Ponzi da história.

Acusações de palhaça e possível ação da CVM fazem ação da TC desabar

Papéis chegaram a recuar mais de 25% no pregão desta quinta-feira.

Últimas Notícias

Geladeiras devem exibir nova etiqueta de eficiência

Comércio varejista tem prazo até 30 de junho de 2023 para continuar vendendo os produtos com a etiqueta antiga.

Mercado pet deve crescer 14% em 2022

Chile é o país que mais importou produtos pets brasileiros no primeiro trimestre; setor prevê novas exportações neste ano.

FGTS vira moeda do governo para movimentar a economia

Atualização monetária das contas do Fundo não acontece e trabalhador continua no prejuízo.

EUA: tiroteio em escola bate maior número em 20 anos

Segundo relatório, houve apenas 23 incidentes com vítimas fatais durante o ano letivo de 2000/2001.

Bebidas Online busca captar R$ 2 milhões com pessoas físicas

Com crescimento projetado de 19% para 2022, startup de delivery de bebidas usará recursos nas áreas de marketing, desenvolvimento de produtos e expansão do time