Base aliada quer o fim da obstrução para avançar com votações na Câmara

A base aliada já admite que votações hoje só devem ocorrer na sessão do Congresso Nacional, marcada para 19h para apreciação de vetos presidenciais. Depois da reunião com o ministro Ricardo Berzoini, da Secretaria de Governo, os 14 líderes governistas que participaram do encontro deixaram o Palácio determinados a retomar as votações da Câmara apenas a partir de amanhã, mas a oposição promete resistir e manter obstrução nas sessões da Casa.
– A obstrução é prejudicial para o país. O melhor caminho agora não é acirrar. O melhor caminho é chamar o Congresso para votar as matérias do país – alertou o líder do governo na Câmara, José Guimarães (CE).
Líderes oposicionistas querem retomar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O assunto voltou a ganhar fôlego com as últimas ações da Polícia Federal na Lava Jato.
Com a prisão do marqueteiro do PT, João Santana, a delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), ex-líder do governo no Senado, e a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio lula da Silva para depor na Polícia Federal de São Paulo, a oposição se reuniu e decidiu votar qualquer matéria somente depois que a comissão especial para tratar do impedimento de Dilma for instalada.
Guimarães afirmou que o processo foi protelado pela própria oposição, que questionou o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo o líder do governo, ministros da Corte foram provocados e decidiram sobre o rito do impeachment, proibindo voto secreto e indicação de nomes por chapa avulsa.
– Por nós já tinha sido instalada desde o ano passado, conforme o rito definido pelo Supremo. Não podemos esperar. O que não é razoável é a oposição, que recorreu e protelou, agora dizer que a Câmara só vai funcionar se resolver o problema do impeachment – acrescentou Guimarães.
Integrantes da oposição marcaram para as 16h desta terça-feira uma reunião com o presidente do Supremo, ministro Ricardo Lewandowski. O grupo agendou o encontro para pedir celeridade no julgamento de recursos sobre o rito do processo de impeachment.

Renan diz que não é seu papel “botar fogo na crise”
Já o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que o momento político pelo qual o país atravessa pede serenidade dos agentes públicos e que, na condição de presidente do Congresso Nacional, não é seu papel “botar fogo na crise”.
– Mais do que nunca, é preciso ter bom senso, serenidade e equilíbrio. O papel do presidente do Congresso Nacional é exatamente esse. A sociedade está sendo bombardeada por informações, por boatos por disse-me-disse. Cabe ao presidente do Congresso Nacional, mais do que nunca, preservar o equilíbrio e a harmonia entre os poderes.
Renan lembrou que, em 1964, o ex-senador Auro de Moura Andrade presidiu uma sessão na qual foi declarada vaga a Presidência da República. Segundo Renan, nessa época o Senado teve um presidente que passou do limite do equilíbrio e fraturou a democracia.
Sobre a Convenção Nacional do PMDB, que será realizada em Brasília neste sábado, Renan Calheiros disse que o recomendável é que o partido aproxime suas correntes internas.
– Quanto mais representativa for a Executiva, melhor. Seria uma demonstração salutar de que a legenda está compreendendo as circunstâncias do país -afirmou.
O presidente do Senado recebeu hoje o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), um dos agraciados com o Prêmio Bertha Luz, entregue na manhã de hoje em sessão solene da Casa. O prêmio homenageia pessoas que contribuíram para a luta pelos direitos da mulher e para questões de gênero.
Na saída da sessão, o ministro comentou as manifestações que estão sendo organizadas para o próximo domingo pelas redes sociais contra a corrupção e a também a mobilização do PT em defesa do ex-presidente Lula e e do governo da presidente, Dilma Rousseff.
-São forças antagônicas. As manifestações devem ocorrer de acordo com o Estado Democrático de Direito, mas que cada seguimento tenha seu dia. Não interessa ao povo brasileiro o conflito – concluiu Marco Aurélio.

Com informações da Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Ministro ‘terrivelmente evangélico’ já tem opositores

O Supremo Tribunal Federal (STF) definiu nesta quinta-feira que a posse de André Mendonça será no dia 16 de dezembro, às 16 horas. A...

Posse de Mendonça no STF será no próximo dia 16

Bolsonaro o classificou como 'terrivelmente evangélico'.

Parlamento gaúcho na luta contra liquidação da Ceitec

TCU suspendeu em setembro a desestatização da única estatal que fabrica semicondutores na AL.

Últimas Notícias

Contração seguida do PIB configura recessão técnica

A quinta-feira foi marcada pela repercussão dos dados divulgados sobre o Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos...

Renova Energia fecha negócio da Brasil PCH

A Renova Energia, em recuperação judicial, concluiu nesta quinta-feira a venda de sua posição majoritária na Brasil PCH, sociedade que reúne 13 usinas de...

ANP aprova novas regras para firmas inspetoras de combustíveis

A Diretoria da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aprovou nesta quinta-feira (02) a resolução que revisa os requisitos necessários para...

Dia de alta para Petrobras e Braskem

A quinta-feira foi um dia de propensão a risco. “Tivemos uma alta bastante expressiva de alguns papéis na bolsa como Petrobras e Braskem. A...

B3 faz leilão do Fundo de Investimentos da Amazônia

Dia 16 de dezembro, a B3 realizará o leilão de valores mobiliários integrantes da carteira de ações do Fundo de Investimentos da Amazônia (Finam),...