Bayer para venda de Roundup nos EUA, mas no Brasil continua

A Bayer informou que a partir de agora só venderá o Roundup, produto que contém glifosato, nos Estados Unidos para o mercado agrícola. No Brasil, continua a ser vendido e produzido normalmente.

Apesar do alerta de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), que consideram o produto como provável agente causador de câncer, ao fazer a reavaliação toxicológica do glifosato, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concluiu que seu uso pode continuar sendo permitido no país. Para os técnicos da Anvisa que concluíram a análise em fevereiro, o produto não causa prejuízos à saúde.

No Brasil são 110 agrotóxicos com glifosato, principal ingrediente ativo de diversos herbicidas usados em plantações e jardins. Desde o início do seu governo até o final de 2020, Jair Bolsonaro (ex-PSL) liberou para uso no país 945 agrotóxicos.

Maranhão

Na última quinta-feira, agricultoras e agricultores das comunidades tradicionais Santa Tereza, São Raimundo e Cantinho dos Vieiras em Brejo, no leste do Maranhão, denunciaram contaminação por veneno, após aplicação de agrotóxicos por um sojicultor da região. Segundo o site do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), um vídeo gravado no local registra animais agonizando. De acordo com o site alguns morreram. Autoridades sanitárias e policiais foram acionadas.

Uma moradora relatou que um familiar chegou a desmaiar ao tentar salvar um dos animais. “Meu primo tentou socorrer uma vaca que estava parida, mas o cheiro do veneno estava tão forte que ele desmaiou”, denuncia.

Os pequenos agricultores reclamam que as comunidades sofrem de forma constante com a aplicação de venenos em lavouras do agronegócio, em um território marcado por grilagem de terras, ameaça a famílias e proximidade entre as casas de trabalhadoras e trabalhadores rurais e os latifúndios.

As lideranças locais denunciam que há pelo menos quatro anos o agronegócio despeja veneno sobre a comunidade. Em caso recente, ocorrido em abril, as comunidades tradicionais Carranca e Araçá, ambas em Buriti, no Baixo Parnaíba, foram atingidas pela pulverização aérea.Na ocasião, crianças, adultos e idosos foram intoxicados e apresentaram queimaduras pelo corpo, coceira generalizada, febre e crises de vômito.

“Nós temos muito temor que mais comunidades sejam duramente castigadas por esta prática”, afirma Diogo Cabral, advogado popular que assessora famílias na região. Só nesta semana, o assessor jurídico da Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras do Estado do Maranhão (Fetaema) atendeu 12 comunidades contaminadas por agrotóxicos.

Além da pulverização, as comunidades sofrem em razão da destruição do cerrado. Inclusive, mais recentemente, a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Naturais do Estado do Maranhão autorizou a derrubada de mil hectares de cerrado, que foi transformado em carvão, afetando diretamente as comunidades de Brejão, Araçá, Capão, Belém, Angelim, Cacimbas, Mato Seco, Brejinho e Baixão.

Da Redação com informações da CUT e do MST

Leia também:

OMS aprova inclusão da CoronaVac em lista de uso emergencial

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Arrecadação atípica de exportação de commodities turbina receita

Tributos alcançam quase R$ 1,2 tri em 8 meses e batem recorde.

Alimentos são direito, não mercadoria, diz ONU

Três bilhões de pessoas não podem pagar uma dieta saudável.

Número de usuário de ônibus urbanos caiu pela metade na pandemia

Queda ocorreu entre abril e outubro de 2020, na comparação com 2019; levantamento aponta redução de 51,1% nos pagantes.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...