Bazuca

O governador de Minas, Itamar Franco, parece estar declarando guerra à corrupção. Ele defendeu o uso das Forças Armadas para combater o problema que grassa no governo federal. “As Forças Armadas poderiam nos ajudar nesse processo contra a corrupção que aí está”, disse Itamar, durante palestra realizada hoje na Associação Comercial do Paraná. Depois, amenizou: “Falei das Forças Armadas não no sentido institucional, mas da participação delas por meio de seus clubes, o Naval e o Militar, por exemplo, nas discussões sobre o problema.”
Na palestra, cujo tema era a privatização do setor elétrico no país, Itamar afirmou que a venda de estatais tem “servido de biombo a negócios escusos e à corrupção no Brasil”. E voltando ao teatro de guerra, disse que lutará até o fim contra a privatização total da Cemig. “Lá em Minas, só se usarem as Forças Armadas para desestatizar a Cemig”, bradou.
Perdão
Itamar Franco não deixou de alfinetar o presidente FH, se penitenciando por tê-lo chamado para ser ministro de seu governo: “Errei, confesso que errei; acreditei no Fernando Henrique. Toda noite, quando vou dormir, rezo e peço perdão a Deus”, ironizou.

Boa vontade
A súbita coincidência da descoberta feita por um “jornalão” de supostas irregularidades na LBV com o mar de lama que exala de Brasília pode ser mero acaso, mas parece que, desta vez, até a Velhinha de Taubaté está desconfiada.

Água
Começa amanhã, no Palácio Guanabara, um seminário adequado a este momento de poucas chuvas e reservatórios secos: “Hidrologia, regionalização de vazões e chuvas intensas: evolução do conhecimento sobre recursos hídricos no Estado do Rio de Janeiro”. O Departamento de Recursos Minerais (DRM-RJ) e o Serviço Geológico do Brasil estarão apresentando trabalhos que poderão ser usados como instrumentos para gestão no setor. O evento é organizado pela Secretaria estadual de Energia, Indústria Naval e Petróleo, pelo Ministério das Minas e Energia, pelo DRM-RJ e pelo Serviço Geológico do Brasil.

Auto-explicável
A queda de Ricardo Murhpy do Ministério da Economia da Argentina menos de 15 dias depois da posse fez jus à lei que leva o seu nome: quando tudo tem de dar errado, dá errado mesmo.

Sem limite
Além do péssimo retrospecto na privatização das telecomunicações e da siderurgia, o BNDES acrescentou uma preocupação àqueles que temem pelo destino de Furnas. Quem está tomando a frente do assunto no banco é uma pessoa que goza de baixo conceito técnico junto a colegas do setor de energia, sendo mais conhecido por suas idéias pitorescas. Isso pôde ser constatado em reunião em Brasília, esta semana, convocada pelo deputado Aécio Neves (PSDB-MG), presidente da Câmara. Presentes representantes de Furnas, do BNDES e especialistas do setor, todos ouviram perplexos inusitada defesa da privatização da empresa. Trilhando esse caminho, a geração de energia no Brasil vai para o brejo.

União
O presidente nacional do PDT, Leonel Brizola, defendeu uma chapa formada por Ciro Gomes (PPS) e pelo governador de Minas Gerais, Itamar Franco (PMDB), para concorrer à presidência em 2002. De acordo com Brizola, o PT e o líder petista Luiz Inácio Lula da Silva deveriam abrir mão da candidatura e ingressar nessa unidade. “Eu juntaria as candidaturas de Ciro Gomes e Itamar Franco, porque é preciso unir forças para poder vencer o poder do governo, o poder representado pela chamada equipe econômica.” Brizola não especificou quem seria o cabeça da chapa.

Artigo anteriorEfeito Orloff
Próximo artigoFicção & realidade
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

ANS determina que planos cubram novos remédios, exames e cirurgias

Novos exames e tratamentos passaram a fazer parte da lista obrigatória de assistência, que deverá ser observada a partir de abril.

Ibovespa futuro sobe no momento, mas com muita cautela

No exterior, Bolsas globais recuam em meio a preocupações com a inflação nos EUA.

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.