BB não pode cobrar tarifa para transferir depósitos judiciais

Banco tem 15 dias para cumprir determinação da justiça do Rio de Janeiro.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa do Consumidor e do Contribuinte da Capital, e a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, obtiveram, nesta quinta-feira, decisão parcialmente favorável à ação civil pública ajuizada para que o Banco do Brasil (BB) não cobrasse de seus clientes tarifas para a transferência de valores oriundos de depósitos judiciais para contas bancárias pertencentes a outras instituições financeiras.

A decisão da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) determinou que não sejam cobradas tarifas de transferência bancária de valores oriundos de depósitos judiciais (DOC e TED), ou outra que incida sobre o mesmo serviço, para a conta do titular do direito, em qualquer instituição financeira.

Além disso, a decisão obriga o Banco do Brasil a realizar as pertinentes alterações em seus sistemas de informática para cumpri-la, no prazo máximo de 15 dias, sob pena de pagamento multa a ser fixada pelo Juízo, e ao pagamento por eventuais danos morais e materiais individualmente causados aos consumidores. A decisão destaca que, recorrendo-se aos termos do convênio firmado entre o Banco do Brasil e o TJRJ, não existe previsão de cobrança de tarifa para transferência bancária dos depósitos judiciais.

“Suas cláusulas se regulam por normas e preceitos de direito público, aplicando-se, supletivamente, os princípios da teoria geral dos contratos e as disposições de direito privado, o que, no caso da matéria em discussão, motiva a aplicação do Código de Defesa do Consumidor. Dessa forma, a existência ou inexistência de cláusulas contratuais deverá ter sempre como norte a interpretação mais favorável à parte vulnerável dessa tríade, o consumidor”, destaca um dos trechos da decisão.

Leia mais:

Bolsonaro coloca general Silva e Luna na presidência da Petrobras

Três perguntas: o modelo de inovação frente as incertezas de 2021

Artigos Relacionados

B3 passa a aceitar listagem de Fiagro

A B3 passa a aceitar a partir desta segunda-feira, pedidos de listagem dos Fundos de Investimento nas Cadeias Produtivas Agroindustriais (Fiagro). Serão consideradas para...

Lucro da Petrobras deve ter alta forte para R$ 23 bilhões

Resultado previsto para o segundo trimestre vem com alta de preços e vendas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

EUA: 3,5 milhões de despejos

Mais de 3,5 milhões de norte-americanos estão ameaçadas de despejo poucos dias após o término da prorrogação da medida de proteção aos inquilinos inadimplentes...

STF dá prazo para Bolsonaro explicar bloqueio de jornalistas

O presidente da República terá 10 dias para explicar o bloqueio de jornalistas em seu perfil no Twitter. O prazo foi estipulado pela vice-presidente...

Bolsonaro descarta tributar grandes fortunas

A possibilidade de instituir imposto sobre grandes fortunas, tabelamento de preços ou aumento de carga tributária no Brasil foi descartada nesta segunda-feira pelo Jair...

Só 3,5% das empresas têm mulheres como CEO

BR Rating ouviu 486, sendo 57% de capital nacional e 43% multinacionais Apenas 3,5% das corporações têm mulheres atuando como CEOs, uma prova de que...

Brasil pode ser principal player para investimentos verdes

“Atualmente, estima-se R$ 30 bilhões em gestão de títulos verdes no país, com grande potencial de crescimento, frente a US$ 1 trilhão de recursos...