BC anuncia leilões de swap cambial

A partir desta quarta-feira (27), o Banco Central iniciará a rolagem dos contratos de swap cambial com vencimento em 1° de março de 2021, no montante de US$ 11,8 bilhões (234.996 contratos).
“A execução desta rolagem prevê a realização de leilões diários de swap tradicional e compreenderá o período necessário para que todo o estoque vencendo em 1°/3/2021 seja renovado”, destacou o BC.

A autoridade monetária poderá, no entanto, alterar o lote ofertado a cada dia, ou mesmo acatar propostas em montante inferior à oferta, conforme as condições de demanda pelo instrumento, sem prejuízo do objetivo de rolagem integral do vencimento. De acordo com o BC, as condições para a operacionalização de cada leilão serão divulgadas oportunamente por intermédio de comunicado do Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab).

 

Swap cambial

 

Swap (do inglês, “troca”) é um derivativo financeiro que promove simultaneamente a troca de taxas ou rentabilidade de ativos financeiros entre agentes econômicos. Por meio dele o BC procura evitar movimento disfuncional do mercado de câmbio.

O objetivo dessas operações é prover hedge cambial – proteção contra variações excessivas da moeda americana em relação ao real – e liquidez ao mercado de câmbio doméstico. A compra de contrato de swap pelo BC funciona como injeção de dólares no mercado futuro.

Quando uma empresa possui um ativo financeiro indexado à variação do dólar comercial e deseja trocar esse indexador por uma determinada taxa prefixada, sem se desfazer do ativo financeiro, ela poderá realizar essa operação por meio de uma troca de taxas.

No contrato de swap, o BC se compromete a pagar ao detentor do swap a variação do dólar, acrescida de uma taxa de juros (cupom cambial), e a receber a variação da taxa de juros doméstica acumulada no mesmo período (taxa Selic). Portanto, quem vende esse contrato fica protegido caso a cotação do dólar aumente, mas tem de pagar a taxa Selic para o comprador, no caso o BC.

Entenda: a atuação do BC no mercado cambial é separada de sua política monetária; o montante de swaps cambiais pode ser ajustado para cima ou para baixo, dependendo das condições do mercado; o BC não vê restrições para que, dependendo do contexto, o estoque de swaps cambiais exceda os volumes máximos já atingidos.

Leia mais:

Banco Central projeta inflação de 2,1% para este ano

BC faz mudanças na pesquisa Focus

 

Artigos Relacionados

AMX Corretora de Seguros inicia um novo ciclo

Com a finalidade de dar continuidade ao ciclo que diz respeito a incentivo de vendas aos seus consultores, a AMX Corretora de Seguros...

Seguros para proteção aos usuários de scooter elétricas

A Seguros Sura, pioneira na oferta de seguros para diversos segmentos de Mobilidade, está anunciando uma nova parceria com a MUUV Electric Motors, empresa...

Restaurantes, bares e lanchonetes tiveram queda no consumo em janeiro

De acordo com índices divulgados pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), em parceria com a Alelo, o consumo em restaurantes, bares, lanchonetes e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Rádios FM poderão antecipar aumento de potência e área de cobertura

Antes, emissoras só podiam solicitar mudança a cada dois anos e de forma gradual.

Mudanças no câmbio abrem caminho para o Pix internacional

Propostas da Consulta pública são os primeiros passos para colocar em prática o sistema de transferências instantâneas com o exterior.

Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril

Segundo o Procon-SP, a taxa média de empréstimo pessoal foi de 6,1% ao mês.

Mercados com poucas oscilações

PEC fura-teto preocupa.

Por preços de combustíveis, IPCA deve desacelerar

Por outro lado, os preços dos serviços devem continuar em patamares baixos, influenciados pelas medidas de restrição e pelas fracas condições do mercado de trabalho.