BC da China adotará medidas para pequenos negócios

Também nesta sexta, instituição suspendeu operações no mercado aberto via recompra reversa; nenhum acordo venceu hoje.

Internacional / 12:07 - 3 de abr de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A China planeja revitalizar sua economia e impulsionar ainda mais os pequenos negócios em meio à incerteza externa, enquanto o coronavírus continua a se espalhar pelo mundo todo, de acordo com o Banco Popular da China (PBoC, o Banco Central do país) nesta sexta-feira.

"O choque à economia global causado pela pandemia será severo", disse Liu Guoqiang, vice-presidente do PBoC, em coletiva, acrescentando que o coronavírus já impôs pressões sobre cadeias industriais, comércio e expectativa do mercado.

No entanto, até agora, o choque da pandemia parece ser menos grave do que o da crise financeira global em 2008, observou Liu, citando que os mercados acionários globais caíram em 2008.

Apontando sinais positivos em março, Liu disse que o impacto na economia chinesa será de curta duração.

"Com ferramentas adequadas e amplo espaço de políticas, as instituições bancárias são capazes de enfrentar os choques inevitáveis, com a baixa taxa de empréstimos inadimplentes e a taxa de cobertura de provisões situando-se em 1,86% e 186,08%, respectivamente", disse.

Para o próximo passo, o PBoC manterá uma liquidez do mercado razoavelmente suficiente para atender à demanda prática e evitar a escassez de caixa ou a inflação crescente, e o aumento da oferta monetária M2 e do financiamento agregado deve corresponder ou ser ligeiramente superior ao crescimento nominal do PIB, ele disse.

É necessária uma consideração cuidadosa para decidir sobre o ajuste das taxas de juros de depósitos, como um estabilizador no sistema de taxas, observou ele.

Em relação à nova cota de reempréstimos e redescontos, anunciada anteriormente, de um trilhão de iuanes para bancos de pequeno e médio porte, disse Liu, o fundo será implementado sem taxas requeridas, considerando o processo de recuperação.

Ele disse que o PBoC continuará mantendo a liquidez em um nível razoável e amplo, promovendo a reforma da principal taxa de empréstimo, a nova taxa referencial de empréstimos orientada ao mercado da China e guiando os bancos para direcionar parte de seus lucros à economia real e reduzir os custos de empréstimos para aliviar a tensão de financiamento para as empresas menores.

Nesta sexta-feira, o PBoC também suspendeu as operações no mercado aberto via recompra reversa (reverse repos), citando liquidez razoavelmente suficiente no mercado monetário. Nenhum acordo de recompras reversas venceu hoje.

O PBoC injetou na segunda-feira 50 bilhões de iuanes no mercado via operações de recompra reversa de sete dias, ao mesmo tempo que cortou taxa de juros em 20 pontos-base para 2,2%, de modo a reduzir os custos de empréstimos e compensar o choque econômico causado pelo coronavírus.

 

Com informações da Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor