Biden investe US$ 8 bi em energia; Brasil quer privatizar setor

Maior produtor de energia dos EUA, o Texas ficou sem água e sem energia nesta semana por conta da onda de frio que atingiu o estado. As informações são da BBC. Já de acordo com o Estadão, o presidente Joe Biden apresentou ontem “novos programas para melhorar o sistema de transmissão de energia elétrica no país. As iniciativas principais do esforço incluem mais de US$ 8 bilhões do Departamento de Energia para financiar novas linhas de transmissão de alta voltagem, como parte de um esforço para combater a mudança climática por meio de melhoras na infraestrutura necessárias para expandir o uso de energias alternativas.”

A BBC acrescenta que Biden “aprovou declaração estado de emergência no Texas, abrindo caminho para investimento de fundos federais no combate à emergência climática pela qual o Estado passa.”

No Brasil, no mesmo período, o Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) aprovou leilão de energia. Até a privatização, que ainda precisa ser aprovada pelo Congresso, a Eletrobras deverá adaptar-se às normas da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e preparar a documentação a ser analisada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pelos demais órgãos de controle. A companhia também deverá contratar serviços técnicos especializados para a emissão e oferta pública de ações e implementar as demais ações necessárias para a desestatização.

As atribuições da Eletrobras durante o processo de privatização foram definidas ontem pelo Conselho do PPI. Caberá ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) prestar apoio à empresa e executar e acompanhar o processo de capitalização até o encerramento. O órgão também aprovou leilões de contratos de energia nova A-3 e A-4 para 25 de junho, com a publicação do edital prevista para maio. Os contratos durarão 30 anos para energia hidrelétrica e 20 anos para os demais empreendimentos (energia eólica, solar e térmicas).

No caso dos contratos de energia nova A-5, o leilão ocorrerá em 30 de setembro, com edital previsto para agosto. Os projetos hidrelétricos durarão 25 anos. Os contratos para termelétricas a biomassa, carvão e a resíduos sólidos urbanos terão 20 anos. Os projetos de energia eólica e solar durarão 15 anos.

 

Com informações da Agência Brasil, da BBC e do Estadão

Leia também:

Confirmadas as privatizações da EBC e Eletrobras

Artigos Relacionados

Índice de alerta de estoque de veículos da China sobe em abril

Parece que os chineses estão mais reticentes em comprar automóveis. O índice de alerta de estoque de veículos da China, que reflete a pressão...

Portugal promete fazer reforma do mercado de capitais

O ministro da Economia de Portugal, Pedro Siza Vieir, destacou nesta terça-feira a importância da reforma do mercado de capitais para o desenvolvimento da...

China se tornará o maior mercado livre de impostos do mundo

O porto de livre comércio (PLC) de Hainan, no sul da China, deverá se tornará rapidamente no maior mercado isento de impostos do mundo...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Conteúdo online voltado para o ensino e para ganhar dinheiro

Cada vez é mais possível aproveitar o conteúdo online para avanços desde a fluência do inglês das crianças a até aprender a operar como trader na bolsa.

Queda de faturamento atinge 82% dos MEI

Em Minas, 60% dos microempreendedores individuais formalizados na pandemia abriram o negócio por oportunidade.

Inflação oficial fica em 0,31% em abril

Grupo com alta relevante no mês foi alimentação e bebidas (0,40%), devido ao comportamento de alguns itens.

Manhã de hoje é negativa em quase todo o mundo

Em Nova Iorque, Dow Jones e S&P futuros cediam 0,10% e 1,04%, respectivamente.

Projeção da Selic é de 5% no final deste ano

Para o ano que vem, analista projeta 6,5%, dado o alerta do Copom sobre o ritmo de normalização após reunião de junho.