Bilhete azul

A Fecomercio de São Paulo defende mecanismos de cobrança e mesmo de destituição dos responsáveis pelas agências reguladoras em caso de incompetência. Em sua forma atual, a lei que criou as agências reguladoras prevê punição apenas em caso de corrupção. A entidade, porém, ainda acredita na autonomia das agências. “É imprescindível que a escolha das diretorias das agências seja feita a partir de critérios técnicos e não político-partidários”, afirma.

Estado privatizado
Uma dúvida assalta os consumidores: os que asseguram que o comportamento pró-empresas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é exceção entre as demais agências reguladoras nacionais poderiam apontar uma pró-consumidor? Ou, pelo menos, de ação menos assimétrica?

Cassino
Maior fiscalização sobre o mercado de energia, que se transformou, após a desregulamentação, num paraíso de especuladores, é o que propõe o senador norte-americano Carl Levin, democrata de Michigan. Junto com três outros senadores, ele trabalha em um projeto de lei para acabar com certos tipos de manipulação prejudicial do mercado energético. A medida, que eles esperam apresentar no outono de lá (primavera no Brasil), fecharia a chamada “brecha da Enron”, que isenta plataformas de negociações eletrônicas de fiscalização reguladora federal.
O projeto colocaria essas plataformas sob as mesmas regulamentações das negociações realizadas Nymex, a bolsa mercantil de Nova York. No final de junho, o subcomitê integrado por Levin divulgou um relatório detalhando “especulação excessiva” nos mercados de gás natural ano passado por parte do fundo hedge Amaranth Advisors, que acabou entrando em colapso. “O problema é que há pessoas que dependem dos resultados futuros do gás natural para as suas escolas, empresas e serviços de utilidade pública”.

Peito aberto
Prestes a ser desembarcado da presidência Infraero, o brigadeiro José Carlos Pereira, certamente, tem sua parcela de responsabilidade pelo caos aéreo. No entanto, de uma coisa não pode ser acusado: de se omitir durante o furacão que tomou conta do setor, principalmente, a partir da queda do Airbus da TAM. Enquanto a esmagadora maioria das demais autoridades tomou chá de sumiço, incluindo o presidente Lula, Pereira foi um dos raros integrantes da  cúpula a não se furtar a falar com a imprensa. Produziu pérolas, como a de que estava tranquilo “porque aviões em terra não caem”, mas jamais deixou de responder a qualquer assunto da sua área.

Gol mil
A milésima patente registrada pela Petrobras merecerá uma placa, oferecida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), na abertura do X Encontro Repict, nesta quarta, no Hotel Othon, no Rio de Janeiro.

Oportunidade
A Federação das Indústrias no Estado do Rio de Janeiro (Firjan) organiza uma missão com micro e pequenas empresas fluminenses à Anuga, a maior feira internacional de alimentos e bebidas do mundo, que ocorrerá em outubro na cidade de Colônia, na Alemanha. Grandes compradores e produtores mundiais estarão presentes em busca de clientes e fornecedores. As inscrições para a caravana terminam no dia 3 de agosto.

Auto-imagem
Do sociólogo Carlos Alberto Dória, no artigo “Que educação a ignorância requer? (http://p.php.uol.com.br/tropico/html/textos/2832,1.shl): “Em relação à matemática propriamente dita, o péssimo desempenho dos jovens brasileiros significa que eles não compreendem convenientemente os conceitos de quantidade, espaço e forma, mudanças, correlações e incerteza. Apesar disso, 61% dos estudantes se consideram bons em matemática, contra 36% dos coreanos e 28% dos japoneses. Os brasileiros também têm opinião de que sempre que estudam matemática se concentram no fundamental (86%), ao passo que apenas 26% dos japoneses têm essa auto-imagem de desempenho pessoal.”

Freud explica
Pergunta de uma amiga dessa coluna: se juntarmos o “relaxa e goza” da Marta Suplicy, o gesto do Marco Aurelio Garcia, o movimento do assessor, a dança da Angela Guadagnin, será que atingiremos o Ponto G mencionado anteriormente por Lula?

Artigo anteriorVírus lulista
Próximo artigoPara poucos
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

A Disneylândia espacial dos trilionários

Jornada nas estrelas escancara a desigualdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Intervenção chinesa continua a incomodar as Bolsas

Tudo isso em dia de perspectivas globais do FMI.

Balanços guiarão, aparentemente, os mercados hoje

Europa e Nova Iorque precavidas, Ásia continua em queda livre.

Confiança da construção atinge maior nível desde março de 2014

Índice teve alta de 3,3 pontos e chegou a 95,7; já inflação do setor cai para 1,24% em julho.

IPCA-15 apresentou alta de 0,72% em julho

Maiores contribuições vieram da categoria habitação (2,14%), que contribuiu com 0,32%, e de transporte (1,07%), que adicionou 0,22%.

Itaú Unibanco deixa administração da XP

Decisão foi tomada no último dia 23, após análise concorrencial e prudencial; cisão foi aprovada pelo Banco Central.