Bilhete premiado

Contas do ex-prefeito e candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro Cesar Maia lançam dúvida sobre o programa de bilhete único implantado pelo governo fluminense. Em debate na Band, o governador, candidato à reeleição, Sérgio Cabral falou em 1,2 milhão de viagens realizadas desde fevereiro. Porém, em matéria na imprensa, o secretário de Transportes, Sebastião Neto, fala que foram 76 milhões de viagens no mesmo período.
Como Cabral não teria interesse em diminuir a importância do programa, fica a dúvida: porque tamanha discrepância? O número de viagens implica o tamanho do subsídio que as empresas de ônibus recebem. O governador se enganou? A Assembléia Legislativa teria coragem de abrir os dados da Fetranspor?

Coisa rara
O Clube Marina da Barra (RJ) está desenvolvendo um projeto chamado Marina Cultural. Numa atitude digna de ser seguida, utiliza seu espaço e emprega seus recursos, inclusive financeiros, para investir em atividades culturais. A iniciativa é da abnegada Telma Flick, que coordena as atividades abrangendo múltiplas áreas (artes plásticas, poesia, economia, geopolítica).

Contrata-se
O IBGE informou nesta segunda-feira que fará uma nova seleção de recenseadores para trabalhar no Censo 2010 nos estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina, principalmente. Segundo o presidente do instituto, Eduardo Pereira Nunes, devem ser contratados cerca de 2 mil funcionários – 1,7 mil para o interior de São Paulo – para dar mais agilidade às entrevistas, atendendo municípios com poucas inscrições no concurso ou que tiveram número alto de desistências.
O anúncio confirma nota desta coluna sobre o alto número de desistências, diante dos baixos ganhos.

Divórcio
Qual casamento, a dissolução parcial ou total das sociedades empresárias limitadas e anônimas de natureza familiar pode resultar em problemas. A “Dissolução societária e apuração de haveres dos sócios” é tema de curso no Ibef-Rio, dia 26 próximo.

Churrascão
O Grupo Marfrig – processador de aves, suínos e bovinos que, em junho, comprou a empresa estadunidense Keystone Foods por US$ 1,26 bilhão – viu seu lucro líquido no segundo trimestre alcançar R$ 127,4 milhões, um salto de 206% em relação aos três meses anteriores, quando somara R$ 41,7 milhões. No ano, o ganho atinge R$ 170 milhões. Puxada pelo aumento das vendas de carne a partir das operações no Brasil, a receita bruta da Marfrig chegou a R$ 3,8 bilhões no segundo trimestre, 10% acima do trimestre anterior. Nos seis primeiros meses do ano, a receita alcança R$ 7,2 bilhões, 43% superior ao primeiro semestre de 2009. Em seis meses, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) soma 8%.

Nota zero
Até quando o Ministério da Educação vai permitir que empresas sem qualquer relação com o setor, exceto a obsessão pelo lucro fácil, continuem a tratar a Educação como simples commodity?

Artigo anteriorMilagrosos
Próximo artigoGaroto antipropaganda
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preço do diesel avança pelo quarto mês consecutivo

Combustível ultrapassou R$ 4 em fevereiro e os dois tipos, comum e S-10, registraram valores acima de todos os meses de 2020.

Antítese da véspera

Ontem o dia foi completamente diferente da terça-feira, em que começamos o dia raivosos, suavizando mais tarde.

Rio fecha bares à noite e adota toque de recolher

Bares e restaurantes agora só podem funcionar das 6 às 17h; em SP, diretor do Butantan defende que estado seja colocado em fase mais restritiva.

PEC emergencial e pedidos por seguro-desemprego

Mercados europeus fecharam mistos na quarta-feira; indicadores da Zona do Euro tiveram desempenho acima do esperado.

Setor de eventos terá parcelamento e isenção de impostos

Projeto foi aprovado pela Câmara e segue para o Senado.