Bilhete premiado

Por trás de críticas a interesses corporativos ou eleitoreiros nas nomeações para as agências reguladoras, o ex-presidente da Agência Nacional de Petróleo (ANP) embaixador Sebastião do Rego Barros aproveitou para defender as licitações para concessão de blocos de exploração de petróleo. Não deixou nem o pré-sal de fora, garantia de fartos lucros para quem se dispuser a explorá-lo, já que encontrado o óleo já foi. Para deixar mais claro o que defende, Rego Barros disse que “a Petrobras sozinha não tem os recursos necessários para a exploração do pré-sal”.

Prazo maior
A crise internacional esticou o prazo de construção de novos escritórios, que passou de 24 para 36 meses. Os preços dos imóveis corporativos do tipo A e A+ não registraram queda nos três primeiros meses de 2009, em relação ao mesmo período do ano passado. Para os novos empreendimentos, os valores de venda permanecem estáveis. Já para os mais antigos, os preços tiveram ligeira queda. O levantamento foi divulgado pela  Colliers International Brasil, empresa especializada no setor imobiliário, que apurou que no primeiro trimestre deste ano não houve sobressaltos quanto à demanda.
A expectativa da Colliers é que haja uma pequena baixa nos preços de venda e locação praticados em São Paulo, na ordem de 5% e 10%.

Saindo da lata
A recuperação dos estoques de sardinha na costa brasileira nos últimos três anos pegou de surpresa não só ecologistas que acreditavam em grave ameaça à espécie, como a indústria de beneficiamento, que não tem onde armazenar a quantidade capturada nesse período. Após uma queda preocupante da pesca em 2003, com apenas 17 mil toneladas no ano, a reprodução da sardinha alcançou excelentes níveis chegando a 78 mil toneladas no ano passado e com perspectiva de alcançar cerca de 90 mil toneladas este ano. O aumento foi possível devido à política de ordenamento da captura da espécie. Até 2003, o defeso ocorria apenas na época da reprodução, o que provocou uma forte redução da espécie, já que a sardinha era pescada antes de chegar à fase adulta. Nesse ano, o defeso foi ampliado passando para duas vezes por ano.

Tudo limpo
O piso salarial dos trabalhadores em conservação e asseio no Rio de Janeiro subiu 9,13%, para R$ 514, o maior da categoria no Brasil, segundo o sindicato da categoria.

No pátio
Para beneficiar empresas com grandes frotas de veículos, o Detran-RJ inaugura, às 15h desta terça-feira, o Setor Empresarial, cujo objetivo é realizar o serviço de licenciamento anual nos pátios das próprias empresas. Volkswagen Caminhões e Companhia Fluminense de Refrigerantes são algumas das empresas que já adeririam à novidade.

Janeleiros, não!
Jornalistas do Rio de Janeiro realizam, esta terça-feira, às 17h, em frente ao prédio novo da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), na Praça 15, manifestação em defesa da obrigatoriedade do diploma em Jornalismo para o exercício da profissão. Quarenta anos depois da regulamentação profissional, o Supremo Tribunal Federal (STF) julga esta semana recurso especial que contesta a obrigatoriedade do diploma. Caso aceite o recurso, isso permitiria a qualquer um, desde que escolhido pelos donos dos meio de comunicação, “virar” jornalista. No passado, isso resultou nas famosas carteiradas e no baixo nível de muitos dos que exerciam a profissão, embora a historiografia da categoria se prenda aos nomes dos jornalistas mais famosos.

Aquecido
A indústria de shopping centers prevê, até o fim de 2009, inaugurar 24 unidades, movimentando cerca de R$ 4 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). A Marko Sistemas Metálicos, responsável pelo fornecimento da cobertura de boa parte destes empreendimentos, comercializou, em apenas quatro unidades, mais de 90 mil metros quadrados do sistema de cobertura metálica Roll-on.

Vôo cego
Quando o mundo se depara, de forma trágica, com recall até de aviões é porque começa a ser tirado o véu que encobria os espetaculares ganhos de produtividade permitidos por uma globalização, que, enquanto depreda os direitos sociais e trabalhistas, tem na busca desenfreada pelo lucro seu principal paradigma.

Artigo anteriorGol contra
Próximo artigoTudo pelo social
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Preços se multiplicam com térmicas caras

Desempenho do mercado livre de energia elétrica frustra e leva a medidas não planejadas.

Entrega da Eletrobras representaria 0,05% da dívida

Saída do presidente da estatal deixou mercado financeiro certo de que privatização já era.

Incerteza da população ou dos mercados?

EUA e Reino Unido espalham suas expectativas para os demais países.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Congresso encerra recesso e encara votação do orçamento

Eleições das mesas diretoras do Senado e da Câmara serão realizadas dia 1º.

SP e Recife são os destinos mais comprados para o primeiro semestre

Segundo levantamento, o Rio compõe o Top 3 das cidades mais procuradas para o período de janeiro a junho deste ano.

Ajustando o feriado

Ontem, pelo feriado em São Paulo, a Bovespa não funcionou, mas as ações brasileiras mostraram perdas.

Custo da construção sobe 0,93% em janeiro

Segundo a FGV, índice acumula inflação de 9,39% em 12 meses.

Bolsas operam mistas à espera de balanços de grandes empresas

Às 7h25, Bolsa de Paris se valorizava 0,94%.