BMW tem primeiro semestre lucrativo após consolidação da JV chinesa

O lucro líquido da BMW no primeiro semestre deste ano aumentou 73,6% em relação ao ano anterior, chegando a um recorde de 13,2 bilhões de euros (equivalente a 13,5 bilhões de dólares americanos), informou a montadora alemã nesta quarta-feira.

Um carro-conceito BMW i Vision Circular está em exibição durante o salão do automóvel IAA Mobility em Munique, Alemanha, em 6 de setembro de 2021. (Xinhua/Lu Yang)

Xinhua - Silk Road

 

Berlim, 3 ago (Xinhua) — O lucro líquido da BMW no primeiro semestre deste ano aumentou 73,6% em relação ao ano anterior, chegando a um recorde de 13,2 bilhões de euros (equivalente a 13,5 bilhões de dólares americanos), informou a montadora alemã nesta quarta-feira.

A consolidação total da joint venture da BMW com a Brilliance China Automotive Holdings Ltd. teve um efeito positivo único de cerca de 7,7 bilhões de euros, segundo a empresa.

Em fevereiro, a montadora alemã aumentou sua participação na BMW Brilliance Automotive Ltd. (BBA) de 50 para 75 por cento.

A reavaliação das cotas acionárias anteriormente detidas no BBA foi um “principal impulsionador” do resultado financeiro da empresa nos primeiros seis meses do ano, disse o diretor financeiro Nicolas Peter.

As receitas no primeiro semestre aumentaram 19,1% em relação ao ano anterior, chegando a 65,9 bilhões de euros. A consolidação da BBA também teve um efeito positivo neste cenário. Segundo a BMW, a nova subsidiária chinesa contribuiu com cerca de 11 bilhões de euros em receitas.

Ao mesmo tempo, as vendas unitárias caíram para 1,16 milhão de veículos, uma queda de 13,4% em comparação com o nível recorde do mesmo período do ano anterior. A produção e as entregas foram impactadas por “problemas contínuos de fornecimento de semicondutores e interrupções na cadeia de suprimentos”, disse a montadora.

Devido à queda nas vendas nos primeiros seis meses, a BMW reduziu suas expectativas de entregas para o ano inteiro e seu CEO Oliver Zipse alertou para um “aumento dos ventos de proa na economia, além da escassez frequente de suprimentos”.

No entanto, a BMW confirmou suas perspectivas financeiras para o ano fiscal de 2022, esperando “lucros antes dos impostos do Grupo significativamente maiores” do que no ano passado devido à consolidação total da BBA.

“Especialmente sob condições desfavoráveis, o BMW Group mostra sua característica de alto grau de resiliência”, disse Zipse. (1 euro = 1,02 dólares americanos) Fim

Leia também:

BMW abre nova fábrica na China

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Investidores favorecem ETFs médicos em meio a flutuações de mercado

As ações dos fundos negociados em bolsa (ETFs) médicos da China se recuperaram recentemente a favor da compra dos investidores, apesar do seu desempenho fraco em geral, informou Xinhua Finance nesta quarta-feira.

Baidu da China operará taxis autônomos em duas cidades

A gigante chinesa de tecnologia Baidu obteve a permissão para operar comercialmente táxis totalmente autônomos em vias públicas nas cidades de Wuhan e Chongqing.

SF Supply Chain fortalece a cooperação com o Grupo Michelin

A SF Supply Chain, o provedor líder de serviços de cadeia de suprimentos na China, anunciou recentemente que fornecerá soluções integradas e inovadoras de cadeia de suprimentos ao fabricante francês de pneus, Michelin Group, para fortalecer ainda mais a cooperação de cinco anos entre os dois lados, informou o comnews.cn nesta terça-feira.

Últimas Notícias

Burocracia bancária faz sete em cada 10 brasileiros perderem dinheiro

Já Pix alcança o segundo lugar no ranking de meios de pagamento aceitos pelo comércio eletrônico.

‘Americano’?

Por Eduardo Marinho.

Jô Soares, eterno em nossos corações e mentes

Por Paulo Alonso.

Microcrédito para taxistas será votado na terça

Projeto de André Ceciliano abre linha de até R$ 80 mil para renovar frota.

Safra de grãos deve ser de 271,4 milhões de t em 2021/22

Levantamento é da Conab; já queda nas safras leva à retração da Região Sul no primeiro trimestre.