BNDES abre mão de ganhar bilhões

O artigo do economista Arthur Koblitz, presidente da AFBNDES e recém-eleito para integrar o Conselho de Administração do BNDES, sobre o prejuízo da venda de ações do banco em plena pandemia – estimado, em janeiro, em R$ 12,2 bilhões – jogou luz sobre decisões que contornaram análises técnicas e regulamentos para dar lugar a operações do “mercado”.

Não precisariam ser, como são vários diretores do BNDES nomeados pelo Governo Bolsonaro, experientes no setor financeiro para saber que não se vende na baixa. Ainda mais ações como Vale, a mais vendida pelo Banco. Só em janeiro, os papéis da mineradora subiram 0,57% e acumulam alta de 133,27% nos últimos 36 meses.

Pode-se recorrer a dados do próprio BNDES. Está no portal análise produzida pelos técnicos que demonstra que, entre dezembro de 2001 e setembro de 2020, apenas as 16 maiores participações do BNDES, que representavam 92,6% da carteira em 30/9/2020, geraram resultado positivo para o sistema de R$ 103,5 bilhões.

Os números mostram que R$ 100 investidos em 31/12/2001 seriam hoje R$ 953 se tivessem sido aplicados na carteira de ações do Sistema BNDES. Para comparar, o Ibovespa – índice referência da Bolsa brasileira – retornaria apenas R$ 697.

As perdas do Banco com venda de ações vêm se perpetrando desde 2019. Em 6 de fevereiro do ano passado, esta coluna denunciou prejuízos com vendas de papéis da Petrobras.

Só para comparar, os R$ 12,2 bilhões calculados por Koblitz equivalem ao dobro do que a Petrobras reconheceu ter perdido com os desvios investigados pela Lava Jato.

 

A todo gás

Conforme o Monitor Mercantil noticiou no dia 2, e esta coluna ampliou no dia seguinte, o petróleo segue sendo o principal combustível (desculpem o trocadilho, inclusive o do título desta nota) dos investimentos capitalistas – metade do excedente do capitalismo é gerado pelo produto, informa o ex-diretor da Petrobras Ildo Sauer.

Semana passada, a Shell anunciou que expandirá em 20%, nos próximos anos, seus negócios com gás. A expansão ocorrerá a despeito de a multinacional anglo-holandesa ter estabelecido novas metas de emissões de carbono para se tornar uma empresa de energia com zero carbono líquido até 2050.

Essa história de que o ciclo do petróleo acabará em 2030 e por isso é preciso explorar tudo com pressa e vender o que for possível é conversa para justificar negociatas.

 

Rápidas

A Associação dos Advogados de São Paulo (AASP) promove nesta sexta-feira, às 16h, o webinário “A Súmula nº 443 do TST é inconstitucional?”. Inscrições aqui *** A Associação Brasileira de Proteção Passiva Contra Incêndio (ABPP) realiza 13 e 20 de março o curso online “Proteção Passiva Contra Incêndio”. Informações aqui.

Leia mais:

Concorrência faz até Google se enquadrar

Europa obriga farmacêutica a cortar preços em 73%

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Acesso à água e gênero

O amplo acesso ao líquido e ao saneamento poderia retirar cerca de 635 mil mulheres da pobreza.

É proibido proibir

Todos sem máscara, como se não fosse obrigatório.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.