BNDES está estruturando 22 mil quilômetros de rodovias

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) possui em carteira um total de 22 mil quilômetros de rodovias em estruturação de projetos de concessão ou PPP (Parcerias público-privadas), contemplando todas as regiões do país. Os investimentos estimados totalizam R$ 140 bilhões.

Nesta quarta-feira, o banco de fomento anunciou que assinou contrato para a estruturação de projeto de concessão de 1.140 quilômetros de sete rodovias estaduais de Goiás. O BNDES coordenará os estudos para modelagem da concessão de 85,02 km GO-010, 149,94 km da GO-020, 312,37 km da GO-060, 129,63 km da GO-070, 143,33 km da GO-080, 214,32 km da GO-139 e 106,85 KM da GO-330 e dará suporte ao estado durante o processo.

O Banco contratará consultores para conduzir estudos técnicos e dar apoio nas demais etapas, como audiências públicas, análise por parte do Tribunal de Contas do Estado e realização de leilão, previsto para o primeiro trimestre de 2023.

Para o diretor de Infraestrutura, Concessões e PPPs do BNDES, Fábio Abrahão, “a entrada deste projeto torna ainda mais robusta a nossa carteira de projetos em estruturação no setor de rodovias, que totaliza aproximadamente R$ 140 bilhões em investimentos estimados”. Na última quinta-feira, foi lançada consulta pública para concessão de rodovias do Rio Grande do Sul.

A nossa atuação vai desde a prospecção dos projetos, quando procuramos unir os objetivos das políticas públicas com a viabilidade do ponto de vista do futuro investidor, passa pela estruturação propriamente dita e interlocução com o mercado investidor, chegando até a ida a mercado, o leilão. O BNDES permanece atuando no pós-leilão, prestando suporte em caso de judicialização. Por fim, caso necessário, o BNDES pode ainda prover o financiamento para implementação do projeto”, detalha Abrahão.

PPP

Para o superintendente da Área de Governo e Relacionamento Institucional do BNDES, Pedro Bruno Barros de Souza, o projeto reforça a atuação das parcerias público-privadas em Goiás. “O processo tem o potencial de auxiliar o estado a reforçar sua estrutura regulatória no setor rodoviário, gerar outras oportunidades de estruturação de projetos em diversos setores com consequentes benefícios econômicos e fiscais para o estado”, explica.

Com investimentos dos concessionários estimados em pelo menos R$ 1,2 bilhão nos primeiros 5 anos do projeto, a expectativa é que as melhorias nas principais vias que ligam Goiás aos mercados do Brasil e, depois, ao exterior contribuam para o desenvolvimento econômico regional e nacional, de uma forma mais ampla.

Conforme o BNDES, os estudos devem identificar e avaliar as alternativas para a viabilidade do projeto, levando em conta fatores como as condições e os volumes de fluxo das vias. Eles também poderão considerar possibilidades de mudanças regulatórias e legais. Tais avaliações servirão de base para o agrupamento das vias em lotes a serem concedidos. Com os resultados dos estudos, o Estado de Goiás poderá decidir sobre como as estradas serão concedidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Produção nacional de petróleo caiu 1,6% em agosto

No mês de agosto, os campos de Búzios, Atapu e Sul de Tupi, todos produzindo sob o regime de cessão onerosa no pré-sal da...

TRT/RJ interpreta como ilegais medidas adotadas pela Petrobras

A Justiça do Trabalho do Estado Rio de Janeiro deu ganho de causa a empregados da Petrobras em ação coletiva contra aumento de carga...

Diesel estará mais caro nesta quarta-feira

Mesmo depois de tanto protesto contra os preços em elevação praticados pela Petrobras, a companhia realizará ajuste no preço do diesel A para as...

Últimas Notícias

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.

Supermercados tiveram queda de 7,15% em vendas

Período avaliado em São Paulo foi de 12 meses, já Rio registra expansão de 41,5% de novas unidades no primeiro semestre.

Dez anos após morte de Kadafi, Líbia sofre a pior crise humanitária

Em 2016, Obama chegou a reconhecer que seu pior erro foi não ter acompanhado de maneira efetiva o conflito após a queda do líder líbio.

Procedimentos contraceptivos têm queda na saúde suplementar

Pandemia impactou a realização de laqueaduras tubárias e o implante de dispositivos intrauterinos.