BNDES financia Norflor no combate ao efeito estufa

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) concederá financiamento será concedido à Norflor Empreendimento Agrícolas no valor de até R$ 27,4 milhões, o equivalente a 80% do total investido no projeto. O apoio ocorre no âmbito da Linha BNDES Finem.

“O projeto da Norflor contribuirá para promover a captura de carbono e consequente redução da disponibilidade de gases causadores do efeito estufa”, destacou o superintendente da Área Industrial, Marcos Rossi. “Adicionalmente, o investimento realizado em municípios de baixa renda e baixo IDHM, onde a empresa possui participação relevante, é crucial para a redução das desigualdades regionais”, completou.

O projeto será realizado em uma área entre 6.800 e 8.500 hectares, e prevê a comercialização da madeira de eucalipto para daqui a sete anos – tempo necessário para o ciclo do plantio. O processo de florestamento contempla, as atividades de reforma e rebrota. A primeira consiste no plantio de novas mudas de eucalipto, clones mais adaptados e produtivos, em terras onde já ocorreram colheitas. Já a rebrota se caracteriza pelo manejo de uma nova plantação sobre os troncos das árvores que foram cortadas recentemente.

Reforma e rebrota envolvem limpeza do terreno, adubação, preparo do solo, tratos culturais e combate a pragas. A decisão de se fazer uma ou outra depende de vários fatores locais, como o regime pluviométrico. Mais de 76% do apoio do BNDES ao projeto da Norflor se relaciona a estas duas atividades.

Também apoiará projeto florestal para plantio de 1,48 milhão de m³ de madeira de eucalipto – o equivalente a 7,4 milhões de árvores – nos municípios mineiros de Grão Mogol, Josenópolis e Padre Carvalho, no Norte de Minas Gerais. Segundo a empresa responsável pelo projeto, o plantio trará como impacto ambiental positivo a absorção de mais de 1,8 milhão de toneladas de CO2 equivalentes, principal componente dos gases de efeito estufa – valor que equivale ao carbono lançado na atmosfera por mais de 48 mil automóveis. O projeto emprega 130 trabalhadores, do total de 296 empregos diretos gerados na região. Esse impacto socioambiental está em linha com o foco atual do BNDES na frente ASG – ambiental, social e de governança.

Norflor, sediada em Montes Claros (MG), tem como principais atividades o desenvolvimento de ativos florestais, comercialização de madeiras, prestação de serviços de gestão florestal e a produção e comercialização de carvão vegetal. A empresa é parte integrante do Grupo Lorentzen, que atua há mais de 50 anos no Brasil em setores de recursos naturais.

Leia também:

BNDES deixará de financiar térmicas a carvão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

ANS realiza diligência na Prevent Senior

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informou que três servidoras de sua Diretoria de Fiscalização (Difis) realizaram, nesta sexta-feira, uma diligência na operadora...

Plenário da Câmara rejeita destaques sobre fundos constitucionais

A Câmara dos Deputados concluiu a votação da Medida Provisória 1052/21, que muda as regras relacionadas à administração dos fundos constitucionais do Norte (FNO),...

Maioria dos brasileiros não sabe o que é open banking

O open banking está em sua segunda fase no Brasil, num total de quatro programadas pelo Banco Central. Mas parece que uma boa parcela...

Últimas Notícias

SP: alimentação puxa alta no preço da cesta básica

Segunda prévia do IGP-M variou negativamente em relação à segunda prévia do período anterior, mas avança ante a última divulgação.

Jovem baixa-renda é mais requisitado para voltar a trabalho presencial

Quanto menor a renda familiar, maior o percentual; brasileiros de 18 a 25 anos somam 42% das contratações temporárias no primeiro semestre.

Formbook afetou mais de 5% das organizações

Capaz de capturar credenciais e registrar digitação de teclado, malware figurou em segundo lugar no ranking mensal do país.

Sauditas liberam exportação de carne de unidades de Minas

De acordo com o Ministério da Agricultura, autoridades do país suspenderam o bloqueio de cinco plantas de carne bovina mineira.