BNDES: R$ 166 milhões para linhas de transmissão da Energisa Tocantins

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 166 milhões para a Energisa Tocantins Transmissora de Energia (Grupo Energisa), companhia privada, melhorar a qualidade do fornecimento de energia na região metropolitana de Palmas (TO). A iniciativa vai beneficiar cerca de 500 mil consumidores, gerar 1.400 empregos diretos e 4.000 indiretos durante as obras, além de outros 45 postos diretos e 150 indiretos permanentes na fase de operação.

O projeto, que envolve a implantação de três linhas de transmissão, a construção de uma subestação no Estado do Tocantins, além da ampliação de outras duas já existentes nos estados de Tocantins e Bahia, permitirá o escoamento de cerca de 390 MW de energia proveniente do potencial hidráulico e fotovoltaico da região, o que daria para abastecer cerca de 900 mil domicílios. Os recursos do BNDES correspondem a 25% do montante total de investimento alocado no projeto do Grupo Energisa, de R$ 660 milhões.

Distribuição

Além da transmissão, o BNDES também investiu na distribuição de energia elétrica do Grupo Energisa. Em fevereiro deste ano, o Banco apoiou com R$ 1,49 bilhão o plano de investimentos de nove distribuidoras do grupo. O projeto possibilitou a melhoria dos serviços e a ampliação do número de clientes atendidos. Ao todo, o investimento beneficiou dez estados. Houve também a geração de mais de sete mil postos de trabalho.

Com 116 anos de história, o Grupo Energisa é o maior privado do setor elétrico com capital nacional e também o maior na Amazônia Legal. Uma das primeiras empresas a abrir capital no Brasil, a companhia controla 11 distribuidoras em Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Paraná, Rondônia e Acre e 6 Transmissoras (em Goiás, Pará, Tocantins e Amazonas). Com receita líquida anual de R$ 18 bilhões (2020), o Grupo atende a 8 milhões de clientes (o que representa uma população atendida de mais de 20 milhões de pessoas) em 862 municípios de todas as regiões do Brasil, além de gerar cerca de 20 mil empregos diretos e indiretos.

Leia também:

Racionamento de energia cairá no colo do consumidor

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Produção nacional de petróleo caiu 1,6% em agosto

No mês de agosto, os campos de Búzios, Atapu e Sul de Tupi, todos produzindo sob o regime de cessão onerosa no pré-sal da...

TRT/RJ interpreta como ilegais medidas adotadas pela Petrobras

A Justiça do Trabalho do Estado Rio de Janeiro deu ganho de causa a empregados da Petrobras em ação coletiva contra aumento de carga...

Diesel estará mais caro nesta quarta-feira

Mesmo depois de tanto protesto contra os preços em elevação praticados pela Petrobras, a companhia realizará ajuste no preço do diesel A para as...

Últimas Notícias

Crédito consignado: aumenta número de reclamações de cobrança indevida

O crédito consignado não solicitado por clientes está no topo das reclamações de consumidores. Em relação aos registros, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon),...

Geração de energia solar traz R$ 35,6 bi de investimentos ao país

Potência nos telhados e terrenos com sistemas fotovoltaicos equivale a metade da capacidade de Itaipu.

Direito de controle sobre funcionários que trabalham de casa

Por Leonardo Jubilut.

Rio Indústria apoia lei que desburocratiza e facilita novos negócios

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (14), na Câmara Municipal do Rio, sobre o Projeto de Lei Complementar nº 43/2021 que regulamenta a Declaração...