BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) realizou a primeira liberação, no valor de R$ 2,9 bilhões, para a Concessionária Linha Universidade S.A. (CLU). A parcela faz parte de contrato de financiamento para a fase de construção da Linha 6 do metrô de São Paulo, no valor de R$ 6,9 bilhões destinado pelo BNDES. Além do banco de fomento, o investimento total previsto no projeto é de R$ 17 bilhões, financiados por um consórcio de 11 bancos, no modelo project finance non recourse, no qual o risco é mitigado com operações de garantia e seguros.

Além dos acionistas Société Générale, um dos principais conglomerados financeiros franceses, e da STOA, controlada por bancos também franceses, o projeto conta ainda com instituições financeiras privadas que prestam garantia de até 48% da dívida durante o período de construção e início de operação.

No projeto, serão criadas 15 estações e seus acessos em 15,3 km de via, construídos três terminais de ônibus, um pátio de estacionamento de trens e adquiridos 22 novos trens (132 vagões) e sistemas, além de contar investimentos sociais em comunidades do entorno das estações.

O BNDES divulgou que as obras devem ser finalizadas em setembro de 2025, quando terá início o período de operação comercial da linha, com duração de 19 anos. O empreendimento é o maior projeto de mobilidade urbana em desenvolvimento na América Latina atualmente, com previsão de atender cerca de 650 mil passageiros por dia útil.

Conexão educacional

A apelidada Linha Universidade permitirá acesso a uma série de instituições de ensino, em especial universidades, como por exemplo UNIP, FMU, FGV, PUC-SP, Universidade Presbiteriana Mackenzie e FAAP. Além disso, a linha permitirá acessos também a alguns hospitais, como o Hospital Brasilândia e o Hospital Vila Penteado.

A Linha 6 fará integração com a Linha 7 (Rubi) e a Linha 8 (Diamante) da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) na Estação Água Branca, e com a Linha 1 (Azul) e Linha 4 (Amarela) do metrô nas estações São Joaquim e Higienópolis/Mackenzie, respectivamente. Os três terminais de ônibus a serem implantados no projeto estarão localizados nos bairros de Brasilândia, João Paulo I e Vila Cardoso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Desemprego cai em 22 das 27 unidades da federação

Tocantins teve maior recuo no segundo trimestre do ano.

TCU encontra brechas na segurança de informação federal

Equipamentos pessoais constituem risco de entrada para ataques.

Vendas do setor de cerâmica caem 14%

No primeiro semestre de 2022, o volume de vendas de revestimentos cerâmicos no mercado interno caiu 14% na comparação com igual período de 2021,...

Últimas Notícias

Dívida do Rio cairá para menos da metade se corrigida pelo IPCA

Alerj vai ao STF para recompor perdas com ICMS dos combustíveis e energia.

Cinco gigantes estatais chinesas abandonam Bolsa de Nova York

Anúncio ocorre em meio a tensão entre China e EUA; ações seguirão negociadas em Hong Kong e Xangai.

Desemprego cai em 22 das 27 unidades da federação

Tocantins teve maior recuo no segundo trimestre do ano.

TCU encontra brechas na segurança de informação federal

Equipamentos pessoais constituem risco de entrada para ataques.

Brasilux entra no mundo do metaverso

Empresa cria evento com a apresentadora Renata Fan em auditório virtual.