Boca maldita

A valer a tradição tarológica, o ex-secretário do presidente FH Eduardo Jorge e Cia podem botar as barbas de molho. Ao se insurgir contra a instalação de uma CPI para investigar as conexões do ex-secretário com o juiz Nicolau dos Santos, o presidente do PFL, Jorge Bornhausen, saiu-se com essa: “Isso é coisa requentada”. A última vez que Bornhausen produziu semelhante patranha – “Isso não vai dar em nada” sobre a CPI Collor/PC – o país assistiu ao primeiro impeachment presidencial de sua história.
Boas razões
Para quem transformou a CPI do Judiciário em um de suas bandeiras de maior visibilidade, o senador Antônio Carlos Magalhães exibe timidez inaceitável diante do caso Eduardo Jorge/Nicolau dos Santos.

Bilionário
O usineiro Jorge Lysandro, proprietário do complexo agroindustrial Cambahyba – cujos bens a sem-terra Marina dos Santos foi nomeada depositária fiel pela juíza Daniela Milanes, da Vara Federal de Campos (RJ) -, é devedor de grande monta. Seus débitos com a União chegam a R$ 1 bilhão entre impostos e créditos não pagos.

Factóide
O governador Anthony Garotinho anunciou ontem, durante entrevista a uma emissora de televisão, que qualquer funcionário público estadual que adotar uma criança de rua ganhará R$ 500,00 a mais em seu contracheque. O dinheiro será utilizado para a educação e alimentação do menor. Garotinho não especificou se a remuneração será mensal, anual ou se será paga apenas uma vez. Procurada, a Assessoria de Imprensa do Governo do Estado não soube esclarecer o pagamento. Se for mensal, o governador pode se preparar para uma fila de funcionários na porta do gabinete.

Blefe
Anunciadas e construídas pelo prefeito do Rio, Luiz Paulo Conde, como uma solução para o trânsito na Taquara, em Jacarepaguá, as obras foram entregues e têm sido apresentadas na propaganda institucional – e pré-eleitoral – como um grande feito. Muitos têm elogiado a beleza do trabalho realizado. Ocorre que o problema principal a ser sanado continua lá: a lenta circulação de veículos. Faltou engenharia de tráfego.

Visão
Cerca de 40% da população brasileira é sofre de deficiências visuais, segundo a Abiótica (Associação Brasileira de Produtos e Equipamentos Ópticos). Isso movimentou um mercado de R$ 650 milhões no ano passado. Segundo Synésio Batista da Costa, presidente da associação, o mercado deve manter sua trajetória de crescimento. O setor estará realizando a Óptica 2000 – 9ª Feira Internacional de Produtos e Equipamentos Ópticos, de 18 a 21 de julho, em São Paulo.

Preferido
Os serviços financeiros da América Online (AOL) e do Yahoo! são os sites mais visitados desses provedores. Segundo a revista Executivos Financeiros, fenômeno parecido se repete em outros provedores de acesso, onde os sites financeiros são tão ou mais procurados do que os eróticos. Pensando bem e analisando as conseqüências da globalização, essa competição não faz tanta diferença assim.

Ganância
O jornal francês Libération publicou ontem relatório apresentado pela organização Médicos sem Fronteiras no 13º Congresso Mundial sobre Aids, na África do Sul, em que o preço do medicamento AZT no Brasil é 14 vezes mais barato que nos Estados Unidos. A pesquisa sobre os preços dos remédios contra a Aids e o acesso ao tratamento em todo o mundo concluiu que existe um fosso entre os interesses dos grandes laboratórios e as necessidades dos países em desenvolvimento. “Toda a estratégia dos industriais é de proteger seus direitos de propriedade intelectual. E para isso, tratam de retardar ao máximo a chegada dos genéricos”, explicou o relatório. “Quando se acaba com uma situação de monopólio (com a chegada dos genéricos) o preço cai”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBasta!
Próximo artigoDia de Cão

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...