Bola da vez: Equador avança na luta contra o neoliberalismo

Eleições gerais estão marcadas para 7 de fevereiro de 2021.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Decisão do Tribunal Contencioso Eleitoral (TCE), do Equador, proferida no último dia 18 de outubro, impede a impugnação do partido Agora, do ex-presidente Rafael Correa. Caso se concretizasse o impedimento seriam eliminados os registros do binômio na disputa presidencial Andrés Arauz-Carlos Rabascall. As eleições gerais estão marcadas para 7 de fevereiro de 2021.

“Nem a chuva, nem as armadilhas, nem as perseguições detêm o povo”, comemorou o ex-vice-chanceler, apoiador e candidato a deputado da Assembleia Nacional nas próximas eleições gerais no Equador, Kintto Lucas. “O caminho está traçado: caminhamos para a vitória da chapa de La Esperanza. Caminhamos unidos, nas reuniões comunitárias, com todas as vozes, mãos e ventos, em uma cidade de cores para recuperar o futuro”, declarou.

Sobre o caminho que a Unes percorreu no contexto do processo eleitoral, Lucas alertou que a aceitação da chapa de la Esperanza quase se transformou em uma via crucis. “A realidade nos mostra que praticamente desde a perseguição a Rafael Correa, não se tentou apenas tirar do jogo aquele que eles sabiam que venceria as eleições pelo apoio popular que tem, mas tudo que poderia fazer parte de seu legado”, disse.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor