Bolsonarismo radical reúne apenas 12% da população

Empresário, branco, mais de 10 salários mínimos por mês. “Estamos perto de perguntar: é ou não é uma questão de classe social?”.

Tal como a pesquisa Datafolha que aponta que um em cada cinco brasileiros torce pelo Flamengo, os levantamentos com o percentual de bolsonaristas convictos (que, diga-se, não acreditam no instituto de pesquisa) mostram números que merecem ser esmiuçados. Foi o que fez Reginaldo Prandi, professor emérito da FFLCH-USP e um dos fundadores do Datafolha, em artigo publicado no Jornal da USP no último dia 13.

Segundo Prandi, os 30% a que costumam se referir como apoiadores do presidente Bolsonaro é um percentual que não reflete o número de bolsonaristas radicais. O “grupo heavy”, formado pelos que votaram nele, aprovam seu mandato e concordam com suas declarações, “adeptos fiéis, entusiastas fanáticos, para não dizer adoradores em qualquer circunstância”, representam apenas 12% da população com 16 anos ou mais.

Outros 30% estão no extremo oposto: não votaram em Bolsonaro, reprovam seu governo e discordam do que ele diz. Sobram 58% que se distribuem pelas categorias intermediárias, ora apoiando, ora rejeitando palavras e medidas do presidente, a depender de cada situação”, afirma o professor, analisando pesquisa Datafolha feita no final de agosto.

Em termos de renda, o grupo reúne apenas 5% dos que ganham até dois salários, mas vai a 25% dos que têm renda maior que dez salários mínimos por mês. São 32% dos empresários (apenas 8% dos assalariados sem carteira e 12% dos assalariados com carteira estão no grupo).

O perfil do bolsonarista radical é de um homem branco, de idade mais madura e elevada extração social. (Acrescentaria a coluna: neopentecostal). “Podemos dizer também que se trata de um empresário que mora nas regiões mais ricas do país”, afirma Prandi. “Estamos perto de perguntar: é ou não é uma questão de classe social?”

Certamente, pelo que suas atitudes recalcitrantes indicam, é no espelho dos 12% que o presidente prefere ver sua imagem refletida. Com um toque religioso meramente utilitário, quando não interesseiro”, conclui o professor.

 

Empresa-escola

A fabricante de aquecedores Rinnai mostrou interesse em um sensor de monóxido de carbono (CO) desenvolvido na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Tudo começou com pesquisa de fenômenos fundamentais no Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) e, agora, se aproxima da aplicação e, assim, do usuário final.

É um exemplo de várias pesquisas iniciadas em universidades que chegam à produção. Por interesse ideológico, alguns preferem não enxergar isso.

 

Sempre é tempo

Temer reconheceu, com intenções ainda discutidas, que a deposição de Dilma foi um golpe. Fernando Haddad afirmou certa vez sobre o impeachment que “golpe é uma palavra um pouco dura”.

 

Rápidas

Vai até sexta-feira o VIII Brics Sindical – Reunião de Representantes Sindicais de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O evento, que acontece no mesmo período da reunião de líderes dos países que compõem o Brics, está sendo realizado no Ministério da Economia Bloco F, Brasília *** O Ibracon está com as inscrições abertas, até 30 de novembro, para a nona edição do Prêmio Transparência Universitário. Podem participar alunos do 7º e 8º períodos do curso de Ciências Contábeis. Mais informações: ibracon.com.br *** O Passeio Shopping sedia a Mostra de Orquídeas entre esta quarta e sábado *** O projeto Ciclo Empreendedor Universitário (CEU) fechou parceria com o BTG Pactual para a realização da próxima edição, que será em 9 de novembro, na sede do banco de investimentos, em Botafogo. A programação destaca as novidades do mercado de trabalho *** O grupo de pagode Faz em Casa se apresenta esta semana no Shows de Sexta, no Caxias Shoppings, às 19h30 *** A terapeuta e psicóloga Aline Gomes promove encontro de Constelação Familiar em grupo, na Barra, dia 28. Informações: (21) 99795-3071 *** A Faculdade de Medicina de Petrópolis e o Hospital Marcílio Dias têm parceria em pesquisas sobre medicina regenerativa, para desenvolvimento de curativo biológico *** O XIV Forum Ibef Oil, Gas & Energy será nesta sexta-feira, com presença do diretor executivo de Relacionamento Institucional da Petrobras, Roberto Furian Ardenghy, e dos presidentes da BP Brasil Upstream, Shell Brasil, Equinor, Total E&P do Brasil, Chevron, Sinopec e Petrogal. Detalhes em agenda.ibefrio.org.br/curso/xiv-forum-ibef-oil-gas-energy-2019

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...