Bolsonaro acusa países europeus de receptadores

Disse que PF vai apurar o DNA das madeiras para descoberta da procedência.

“Países que nos criticam são, na verdade, receptadores”, disse o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao acusar, nesta quinta-feira, países europeus que criticam o Brasil pelo desmatamento da floresta amazônica. Prometeu que colocará um ponto final na questão, durante transmissão pelas redes sociais, quando se referiu a uma prática criminosa de adquirir algo, em proveito próprio ou alheio, ciente que é produto de um delito.

Ressaltou que é possível verificar essa informação a partir da apuração do DNA das madeiras feita pela Polícia Federal para descoberta da procedência. Na transmissão, o presidente afirmou que os países vão ter que se conscientizar e colaborar com o Brasil, dizendo que eles têm de ajudar a não desmatar o Brasil..

Essa tentativa de conscientização foi feita na semana passada, pelo vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) que também é presidente do Conselho Nacional da Amazônia. Ele comandou uma viagem a três cidades da região amazônica com embaixadores de diversos países, com o objetivo de apresentar aos diplomatas a atuação do governo Jair Bolsonaro na questão do meio ambiente, alvo de críticas frequentes da comunidade internacional.

Um dos embaixadores presentes na viagem era o representante da Alemanha no Brasil, Heiko Thoms. Em entrevista à DW Brasil, afirmou que a iniciativa de Mourão foi positiva para ampliar o diálogo com o governo brasileiro, mas acrescentou que ela não mudou a percepção do governo alemão sobre o governo Bolsonaro e que não há previsão para a retomada das transferências ao Fundo Amazônia – que também é financiado pela Noruega e tem hoje cerca de R$ 3 bilhões bloqueados – ou para a ratificação do acordo de livre comércio entre os dois blocos.

“O governo (brasileiro) está informado sobre o desmatamento e os incêndios, sobre onde estão e quão grande é o problema. Há instrumentos para combater. E há órgãos governamentais muito bons. Mas esses instrumentos precisam ser utilizados, e de uma maneira coerente. Para isso, você precisa de um plano de ação de longo prazo, com medidas concretas, cronogramas e metas numéricas. Isso não existe no momento”, afirmou.

O comportamento belicoso e até malicioso do presidente da República está desagradando boa parcela do setor militar, como é o caso do general da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz, ex-ministro-chefe da Secretaria de Governo da gestão Bolsonaro. Ele vem tornando pública sua insatisfação com os as atitudes do presidente, como publicado nesta quinta-feira no tuíte; “Cansado de show. O Brasil não é um país de maricas. É tolerante demais com a desigualdade social, corrupção, privilégios. Votou contra extremismos e corrupção. Votou por equilíbrio e união. Precisa de seriedade e não de show, espetáculo, embuste, fanfarronice e desrespeito”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

ANP: R$ 3,3 bilhões na fase de exploração este ano

Coordenador avaliou ser factível a previsão de atingir este ano 30 poços exploratórios

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Últimas Notícias

Ford Brasil: Centro global de exportação de serviços de engenharia

Projetos de ponta voltados ao futuro da mobilidade, como veículos elétricos, autônomos e conectados. 

Senado vai analisar vetos na Lei Aldir Blanc

Existe uma fila de 36 vetos aguardando votação dos senadores e deputados

Caixa: desconto de até 44% para regularizar penhor em atraso

As unidades com serviço de penhor disponível podem ser consultadas no site da Caixa

Índice de Preços ao Produtor (IPP) sobe 1,83% em maio

Das 24 atividades analisadas, 21 tiveram alta de preços

Acqio inclui transações via Pix em suas soluções de pagamento

Em abril os pagamentos feitos via Pix atingiram a marca histórica de 11,5%, no comércio eletrônico