Bomba armada

Tal qual o subprime, a bolha da dívida norte-americana está para explodir, analisa um intelectual daquele país, com amplo trânsito junto a secretários de Estado. A capacidade de emitir dívida nos EUA está quase estourada (o limite é estabelecido pelo Congresso), e terá que ser elevada até março. Enquanto isso, estados norte-americanos, quase falidos, aumentam impostos para conseguirem sustentar seus gastos.

Presente
O presidente da Associação dos Engenheiro da Petrobras (Aepet), Fernando Siqueira, apelará à presidente Dilma Rousseff para desfazer o imbróglio provocado pelo veto do então presidente Lula à Emenda Pedro Simon sobre royalties. Diz Siqueira – um dos responsáveis pela campanha “O Petróleo Tem Que Ser Nosso” – que, com o veto, os consórcios produtores de petróleo receberão de volta, em produto, os royalties que tiverem que recolher – um presente US$ 30 bilhões por ano às empresas estrangeiras, calcula. A Aepet procurou o Clube de Engenharia para, juntos, enviarem uma carta à presidente pedindo sua intervenção no veto.

Agenda dos derrotados
O primeiro aumento da taxa básica de juros (Selic) perpetrado pelo Banco Central no Governo Dilma Rousseff continua a ser criticado, inclusive, por setores alinhados com a nova administração. Para o presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Antonio Neto,  a alta da Selic acrescenta “mais uma pitada ao conjunto de medidas que não condizem com o projeto que foi eleito pelo povo brasileiro”: “Erradicar a miséria; cultivar o desenvolvimento com distribuição de renda e equidade social; crescer para gerar empregos; aumentar a renda do trabalhador para melhorar a qualidade de vida e fortalecer o mercado interno não resultam de juros siderais e de salário baixo. Não podemos nos submeter à agenda dos derrotados. O programa dos brasileiros está ancorado em juros baixos, em crescimento e numa agenda voltada a sanar a dívida histórica com o povo excluído”, defende Neto.

Fim das férias
Cerca de 23% dos brasileiros sofrem de depressão pós-férias, segundo pesquisa realizada pela International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR).  Esse é o nome da doença associado ao mal-estar pelo retorno à rotina de trabalho, que, em muitos casos, é sinônimo de mau humor crônico e baixas expectativas. A dimensão do problema reforça antiga e jocosa sugestão de que, depois das férias, todos deveriam ter direito a uma semana só para descansar.

Concurso
Até o dia 31, a Editora Ferreira sorteará dois exemplares do livro Manual do Direito Previdenciário, de Hugo Góes. O autor – que é auditor-fiscal da Previdência Social – usa uma linguagem didática e clara para tratar do assunto, já que a obra é direcionada a concursandos de diversas áreas de formação. Mais informações em www.editoraferreira.com.br

Piada?
“Em 1949, a maioria dos intelectuais acreditava que o comunismo salvaria a China; em 1969, os mesmos intelectuais acreditavam que a China, e sua Revolução Cultural, salvariam o comunismo; em 1979, Deng Xiao Ping percebeu que somente o capitalismo salvaria a China; em 2009, o mundo inteiro acredita que somente a China pode salvar o capitalismo.”

Trabalho
Nos meses de março e abril, a Faculdade Moraes Júnior – Mackenzie Rio realizará o curso “Empregabilidade: como aumentar a sua”. Informações em www.mackenzie-rio.edu.br

Bola murcha
A recusa a extraditar pessoas condenadas por crime político para a Itália está longe de ser exclusividade brasileira. Às vésperas do amistoso entre Brasil x Itália, no início de 2009, quando os setores mais histéricos do conservadorismo italiano chegaram a sugerir o cancelamento da partida, o deputado Ermete Realacci, do Partido Democrata, lembrou que, se o mesmo critério fosse usado em outros casos, a Itália deveria também renunciar aos jogos com a França, país que negou a extradição da ex-militante das Brigadas Vermelhas Marina Petrella.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSem queimar etapas
Próximo artigoDilúvio

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Setor de energia é um dos alvos preferidos de hackers

Mais de 60% de todos os ataques foram de phishing; organizações criminosas de hackers são ameaça às infraestruturas críticas do Brasil.

Países árabes planejam expansão de energia limpa

Omã, Marrocos, Argélia e Kuwait estão entre os que têm planos mais ambiciosos.

‘Governo não apenas poderia, como deveria intervir na Petrobras’

Para especialista, Governo Federal deveria estar mais atuante para combater os preços abusivos dos combustíveis em toda a cadeia.

Exterior cauteloso pode prejudicar negócios locais

Índices futuros acionários em Nova Iorque operam em queda significante: temores relacionados a uma possível recessão nos EUA.

Marrocos quer se desenvolver como polo de tecnologia

Setor digital emprega 120 mil pessoas no país; país tem investido em acordos e memorandos para aumentar investimento na área.