Bomba armada

Tal qual o subprime, a bolha da dívida norte-americana está para explodir, analisa um intelectual daquele país, com amplo trânsito junto a secretários de Estado. A capacidade de emitir dívida nos EUA está quase estourada (o limite é estabelecido pelo Congresso), e terá que ser elevada até março. Enquanto isso, estados norte-americanos, quase falidos, aumentam impostos para conseguirem sustentar seus gastos.

Presente
O presidente da Associação dos Engenheiro da Petrobras (Aepet), Fernando Siqueira, apelará à presidente Dilma Rousseff para desfazer o imbróglio provocado pelo veto do então presidente Lula à Emenda Pedro Simon sobre royalties. Diz Siqueira – um dos responsáveis pela campanha “O Petróleo Tem Que Ser Nosso” – que, com o veto, os consórcios produtores de petróleo receberão de volta, em produto, os royalties que tiverem que recolher – um presente US$ 30 bilhões por ano às empresas estrangeiras, calcula. A Aepet procurou o Clube de Engenharia para, juntos, enviarem uma carta à presidente pedindo sua intervenção no veto.

Agenda dos derrotados
O primeiro aumento da taxa básica de juros (Selic) perpetrado pelo Banco Central no Governo Dilma Rousseff continua a ser criticado, inclusive, por setores alinhados com a nova administração. Para o presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Antonio Neto,  a alta da Selic acrescenta “mais uma pitada ao conjunto de medidas que não condizem com o projeto que foi eleito pelo povo brasileiro”: “Erradicar a miséria; cultivar o desenvolvimento com distribuição de renda e equidade social; crescer para gerar empregos; aumentar a renda do trabalhador para melhorar a qualidade de vida e fortalecer o mercado interno não resultam de juros siderais e de salário baixo. Não podemos nos submeter à agenda dos derrotados. O programa dos brasileiros está ancorado em juros baixos, em crescimento e numa agenda voltada a sanar a dívida histórica com o povo excluído”, defende Neto.

Fim das férias
Cerca de 23% dos brasileiros sofrem de depressão pós-férias, segundo pesquisa realizada pela International Stress Management Association no Brasil (Isma-BR).  Esse é o nome da doença associado ao mal-estar pelo retorno à rotina de trabalho, que, em muitos casos, é sinônimo de mau humor crônico e baixas expectativas. A dimensão do problema reforça antiga e jocosa sugestão de que, depois das férias, todos deveriam ter direito a uma semana só para descansar.

Concurso
Até o dia 31, a Editora Ferreira sorteará dois exemplares do livro Manual do Direito Previdenciário, de Hugo Góes. O autor – que é auditor-fiscal da Previdência Social – usa uma linguagem didática e clara para tratar do assunto, já que a obra é direcionada a concursandos de diversas áreas de formação. Mais informações em www.editoraferreira.com.br

Piada?
“Em 1949, a maioria dos intelectuais acreditava que o comunismo salvaria a China; em 1969, os mesmos intelectuais acreditavam que a China, e sua Revolução Cultural, salvariam o comunismo; em 1979, Deng Xiao Ping percebeu que somente o capitalismo salvaria a China; em 2009, o mundo inteiro acredita que somente a China pode salvar o capitalismo.”

Trabalho
Nos meses de março e abril, a Faculdade Moraes Júnior – Mackenzie Rio realizará o curso “Empregabilidade: como aumentar a sua”. Informações em www.mackenzie-rio.edu.br

Bola murcha
A recusa a extraditar pessoas condenadas por crime político para a Itália está longe de ser exclusividade brasileira. Às vésperas do amistoso entre Brasil x Itália, no início de 2009, quando os setores mais histéricos do conservadorismo italiano chegaram a sugerir o cancelamento da partida, o deputado Ermete Realacci, do Partido Democrata, lembrou que, se o mesmo critério fosse usado em outros casos, a Itália deveria também renunciar aos jogos com a França, país que negou a extradição da ex-militante das Brigadas Vermelhas Marina Petrella.

Artigo anteriorSem queimar etapas
Próximo artigoDilúvio
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

A Disneylândia espacial dos trilionários

Jornada nas estrelas escancara a desigualdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportação cresce, mas só com produtos pouco elaborados

Superávit de quase US$ 7 bilhões até a quarta semana de julho.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Os ventos estão mudando

Por Afonso Costa.