Bonificação

Apesar de receberem menos de um terço dos votos (32%), Nova Democracia (ND) e Pasok, os dois partidos que executam na Grécia a política de arrocho elaborada pela tróica FMI-BCE-CE, conseguiram 149 das 300 cadeiras. O milagre da multiplicação de deputados sem voto tem explicação: a lei eleitoral grega dá automaticamente ao partido mais votado um “bônus” de 50 deputados. Assim, apesar de só ter tido 18,85% dos votos, o ND de Antonis Samaras obteve 108 lugares no Parlamento. O Pasok, também surrado nas urnas, ficou reduzido a 41 deputados. Por ironia, a Grécia não é só lembrada como berço da Democracia, mas também pelas suas tragédias.

Pegadinha
Uma exótica forma de cobrar pedágio vem atormentando turistas que vistam Portugal. Não há cabines, nem manuais, nem automáticas. Os carros passam em velocidade máxima e são fotografados. Um programa identifica as placas. E a modernidade termina aí. O motorista é obrigado a ir a uma agência dos Correios para saber o montante de sua dívida e fazer o pagamento. Os dados, porém, têm uma defasagem de dois dias. Um turista que deixe o país não tem como pagar. A medida afeta especialmente os vizinhos espanhóis. Para circular sem risco de uma multa, têm de comprar uma espécie de passe eletrônico. Poucos locais, porém, vendem o equipamento, levando a extensas filas nas vésperas de feriados da Semana Santa e do Dia do Trabalhador.

Maravilha
A Federação do Comércio do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) saiu do marasmo que a caracteriza nos últimos meses e lança nesta quarta-feira o Polo Região Portuária, que reúne comerciantes e empresários de uma área em que a Prefeitura do Rio realiza um arrojado projeto de revitalização urbana. Empreendedores, porém, devem ficar com um pé atrás: a nova associação substitui o Polo Nova Rua Larga, que poucos frutos deu; além disto, o Porto Maravilha, por enquanto, aparece apenas nas placas de propaganda da Prefeitura.

Bola baixa
A atuação da Fecomércio-RJ anda acanhada não é à toa: a Confederação Nacional do Comércio (CNC) comandou intervenção no Sesc-RJ e também colocou a lupa sobre o Senac-RJ – ambos, assim como a Federação, comandados por Orlando Diniz.

Mídia Livre
Centenas de representantes do movimento Mídia Livre devem participar, em junho de 2012, no Rio, da Cúpula dos Povos da Rio+20, evento paralelo à Conferência da ONU sobre desenvolvimento sustentável. Os ativistas do movimento defendem que, em vez do manejo do meio ambiente pelo poder econômico, a conferência da ONU priorize a justiça ambiental e social. O Mídia Livre vai aproveitar o evento para realizar o II Fórum Mundial de Mídia Livre.

Sped
O Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Rio de Janeiro (Sescon-RJ) transmitirá ao vivo, pela internet, em parceria com a Unifenacon, nesta quinta-feira, o curso Sped – Contábil. O objetivo é atualizar as empresas sobre a substituição da escrituração em papel pelo Sped-Contábil. Inclusão definitiva das obrigações tributárias na era digital, uso de sistema eletrônico de processamento de dados e inclusão definitiva das obrigações tributárias na era digital serão alguns dos tópicos abordados pelo advogado e contabilista André Eduardo de Proença. Os interessados em acessar os links podem entrar em contato com o Sescon-RJ pelo telefone 2216-5354.

Meio ambiente
A procuradora de Justiça do Rio Grande do Sul Sílvia Cappelli foi convidada a integrar, como representante do Brasil, o Conselho Editorial da Revista Jurídica de Daños, publicação argentina. Silvia é um dos membros da ONG Planeta Verde e uma das coordenadoras da Revista de Direito Ambiental (Editora Revista dos Tribunais), que recebeu nota A1, a máxima no sistema Qualis, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Donos do céu
O processo decisório sobre a compra da TAM pela Lan é mais um exemplo das assimetrias da globalização. Embora a primeira seja chilena e a segunda, brasileira, a aprovação sobre a troca de ações da TAM por recibos de ações da Lan caberá à Securities Exchange Commision (SEC). Em outras palavras, o aval para uma aérea chilena adquirir uma brasileira vem nas asas da águia estadunidense.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConfiável
Próximo artigoRoyalties na Defesa

Artigos Relacionados

‘EUA do Mar’ seria considerado crime de lesa-pátria

Na terra de Biden, entregar navegação a estrangeiros é impensável.

Governo Bolsonaro não dá a mínima para a indústria

País perde empregos de qualidade e prejudica desenvolvimento.

Taxa sobre exportação de petróleo renderia R$ 38 bi

Imposto aumentaria participação do Estado nos resultados do pré-sal.

Últimas Notícias

Fundos de investimento poderão atuar como formadores de mercado na B3

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) autorizou os fundos de investimento a atuarem como formadores de mercado na B3, a bolsa do Brasil. A...

ABBC: Selic deve subir 1,50 ponto percentual

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) se reúne na próxima terça-feira (7) para decidir sobre a nova Selic, a taxa básica...

Ibovespa fecha a semana em alta

(alta de 0,013%). O volume representou uma extensão do movimento positivo registrado na quinta-feira (2), quando o índice fechou com forte alta de 3,66%,...

China: Incentivos fiscais para investidores estrangeiros

A China anunciou que estendeu suas políticas fiscais preferenciais para investidores estrangeiros que investem no mercado de títulos da parte continental do país. A...

Brasileiro teria renda 6 vezes maior com indústria forte

Entre 1950–70, PIB do País foi multiplicado por 10.