Bovespa pode retomar alta

Segunda foi ruim para mercados de risco em todo o mundo, mas em SP terminamos com leve queda de 0,24%.

Opinião do Analista / 12:04 - 27 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Ontem foi dia ruim para os mercados de risco em todo o mundo, mas na Bovespa terminamos com leve queda de 0,24% e conseguindo preservar o patamar de 101 mil pontos, fechando com 101.016 pontos. Dólar por aqui também com pequena queda de 0,19% e a moeda americana cotada a R$ 5,617. No mercado americano, o Dow Jones perdeu 2,29% e o Nasdaq com -1,64%.

Motivo da queda são os nossos velhos conhecidos. A contaminação pela covid-19 aumentando no mundo, especialmente na Europa e com novas restrições de contato social e ainda o pacote de estímulo fiscal americano que está encruado, e esses dois fatores têm apagado um pouco resultados melhores do terceiro trimestre para uma gama de empresas importantes. Aliás, hoje e na semana teremos balanços de grandes empresas sendo anunciados.

O dia começou com mercados da Ásia em queda (Xangai com leve alta de 0,10%), Europa abriu mista, passou a ceder e agora tenta recuperação, e mercado americano nos seus índices futuros com altas. Aqui, seria bom se seguíssemos preservando o patamar de 101 mil pontos, para abrir aquele objetivo marcado entre 103 mil e 105 mil pontos.

Na China, o lucro industrial referente ao mês de setembro na comparação anual subiu 10,1% mostrando que a reação segue firme na economia. Nos EUA, o Senado aprovou a indicação de Amy Barrett para a Suprema Corte e, com relação às eleições do próximo dia 3, a Suprema Corte rejeitou pedido para prorrogar por mais seis dias a contagem de votos em Wiscounsin. Donald Trump, em comício, fez crítica ao projeto de Joe Biden de energia limpa, dizendo na Pensilvânia que serão fechados milhões de empregos na área de petróleo e gás.

Já a UNCTAD (Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento) registrou que o investimento direto (IED) encolheu quase pela metade no primeiro semestre do ano por conta da pandemia (48%) e no Brasil caiu pela metade. O Fundo Monetário Internacional (FMI) indica que o Brasil tem o pior nível de endividamento dentre os emergentes. Nós já vínhamos alertando sobre isso com larga antecedência.

No mercado internacional, o petróleo WTI negociado em Nova Iorque mostrava alta de 1,24%, invertendo tendência, com o barril cotado a US$ 39,04. Preocupações com o furacão Zeta no golfo do México faz a alta. O euro era transacionado em leve alta para US$ 1,181 e notes americanos de 10 anos com taxa de juros de 0,80%. O ouro e a prata com leve queda na Comex e commodities agrícolas com viés de alta na Bolsa de Chicago.

Paulo Guedes, ministro da Economia, disse que o presidente Bolsonaro cobra privatizações aceleradas, mas a resposta política não tem sido adequada. Já a Caixa Econômica quer listar seu banco digital no exterior e o presidente Bolsonaro anuncia nova redução de IPI para videogames (muito importante diante da situação brasileira)

A Fipe anunciou o IPC da terceira quadrissemana de outubro em expansão de 1,01%, contra anterior de +1,05%. A FGV divulgou o INCC (índice da construção civil de outubro em alta para 1,66%, vindo de 1,15% e o maior para o mês desde 2015).

Na agenda do dia teremos indicadores importantes que podem mexer com o mercado e grande preocupação com o comunicado do Copom, que pode ser mais duro, por conta de não termos ajustes ou por demora.

A expectativa é que a Bovespa possa manter recuperação, dólar mais forte e juros em alta.

.

Alvaro Bandeira

Sócio e economista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br/blog/falando-de-mercado

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor