Bovespa sobe timidamente, após cinco pregões seguidos de queda

O principal índice de ações da bolsa paulista sobe nesta terça-feira (12), após cinco pregões seguidos de...

Mercado Financeiro / 20:23 - 12 de jun de 2018

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O principal índice de ações da bolsa paulista sobe nesta terça-feira (12), após cinco pregões seguidos de queda, em sessão de noticiário local fraco e quadro externo misto, enquanto permaneçam preocupações quanto ao cenário político-eleitoral e à fraqueza da economia no Brasil.

Às 16h34, o Ibovespa subia 0,17%, a 72.451 pontos.

 A trégua vem após o Ibovespa recuar 8% nos últimos cinco pregões. Na véspera, o índice fechou em queda de 0,87%, a 72.307 pontos, no patamar mais baixo desde o dia 1º de dezembro do ano passado, quando o índice fechou a 72.264.

Na visão do analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos, o clima ainda é de cautela no mercado, com os negócios afetados pelos cortes das expectativas de crescimento da economia em 2018 e forte ruído político, sem um candidato pró-reformas e agenda do mercado "...além, é claro, de uma ausência de gatilhos para uma recuperação dos compradores e um movimento de alta", destacou.

Agentes financeiros também estão na expectativa do resultado da reunião de política monetária do banco central dos Estados Unidos, que será conhecido na quarta-feira (13).

Com a alta de juros pelo Federal Reserve dada como certa nesta semana, os investidores estão focados em como Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) vai caracterizar sua política monetária uma vez que os custos de empréstimo retornam a níveis mais normais em meio à expansão econômica.

Destaques da sessão

Perto das 14h10, Via Varejo ganhava 7,6%, com o setor de varejo com forte presença no comércio eletrônico novamente na ponta positiva do Ibovespa, com investidores de olho em possíveis efeitos positivos da Copa do Mundo.

Banco do Brasil avançava 2,65%, destaque positivo no setor bancário no Ibovespa, ajudado por comentário de analistas do Credit Suisse que colocaram os papéis do banco estatal entre seus preferidos, apesar de corte no preço-alvo, para R$ 36 ante R$ 50 anteriormente.

Na outra ponta, Lojas Americanas recuavam 1,84%.

Santander Brasil cedia 1,71%, após o Credit Suisse cortar recomendação para 'neutra', enquanto reduziu preço-alvo de R$ 44 para R$ 33.

Petrobras PN tinha elevação de 0,52%, em meio a anúncio de pré-pagamento de linha de crédito com o The Bank of Nova Scotia, no valor de US$ 750 milhões, cujo vencimento ocorreria em 2022, e contrato de novo financiamento com o mesmo banco, de igual valor, "mas com custos financeiros mais competitivos", com vencimento em 2023.

Vale avançava 1,85%, em sessão de alta dos preços do minério de ferro na China. A mineradora também divulgou na véspera que fechou contratos de venda antecipada de cobalto, que irão permitir destravar investimentos de US$ 1,7 bilhão para a expansão da mina de Voisey’s Bay, no Canadá.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor