B&R, cinturão para o desenvolvimento, estrada para a felicidade

Durante as "Duas Sessões" em andamento na China, a alta qualidade do desenvolvimento do Cinturão e Rota (B&R, sigla em inglês) tem sido destaque, na medida em que o país se empenha na estruturação do B&R, cinturão para o desenvolvimento, estrada para a felicidade, em meio a um mundo em mudanças, cheio de turbulências e transformações.

Suprimentos antiepidêmicos fornecidos pelo governo chinês chegaram a Honiara, capital das Ilhas Salomão, em 18 de fevereiro de 2022. (A Embaixada da China nas Ilhas Salomão/Folheto via Xinhua)

Xinhua - Silk Road

 

Beijing, 10 mar (Xinhua) — Durante as “Duas Sessões” em andamento na China, a alta qualidade do desenvolvimento do Cinturão e Rota (B&R, sigla em inglês) tem sido destaque, na medida em que o país se empenha na estruturação do B&R, cinturão para o desenvolvimento, estrada para a felicidade, em meio a um mundo em mudanças, cheio de turbulências e transformações.

— Avanços em um ano de desafios

Em uma coletiva de imprensa realizada durante as “Duas Sessões”, o Conselheiro de Estado chinês e Ministro das Relações Exteriores, Wang Yi, detalhou os avanços promovidos em termos de B&R no ano 2021.

Ao longo do ano anterior, a conectividade de infraestrutura sob a Iniciativa do Cinturão e Rota (BRI, sigla em inglês) apresentou um amplo progresso com a conclusão de grandes projetos, como a ferrovia China-Laos e o novo porto de Haifa em Israel.

A título de exemplo, os 1.035 km de ferrovia China-Laos, um projeto referência de alta qualidade de cooperação no Cinturão e Rota, tem registrado crescimento em termos de volume de frete bem como na categoria de carga, desde que começou a operar em 3 de dezembro de 2021. Até 03 de março, a ferrovia movimentou cerca de 350 trens internacionais, entregando mais de 250.000 toneladas de carga, segundo a operadora.

O serviço de trens de carga China-Europa, um outro programa significativo sob o BRI, também observou um enorme progresso, impulsionando a recuperação e a estabilidade das cadeias de suprimentos em meio à pandemia.

De acordo com a China State Railway Group Co. Ltd., os trens de carga China-Europa agora alcançam 180 cidades em 23 países europeus, com o número total de viagens superando 50.000.

Enquanto isso, a conectividade de pessoa-a-pessoa com a funcionalidade de ajuda mútua e assistência tem continuado a se aprofundar sob a BRI.

A China ofereceu firme apoio a outros países em suas lutas contra a COVID-19, e está trabalhando na produção conjunta de vacinas com 20 parceiros em desenvolvimento, a maioria dos quais são países do BRI, conforme Wang.

Com o aprofundamento da BRI, não apenas se fortaleceu a conectividade de infraestrutura e pessoas entre os países e regiões da BRI, mas também foram melhorados genuinamente os meios de vida das pessoas.

Moin ul Haque, embaixador paquistanês na China, disse que a BRI injetou nova vitalidade na economia do Paquistão. Até agora, a cooperação sob a iniciativa Corredor Econômico China-Paquistão (CPEC) criou mais de 70.000 empregos, se esperando que deva criar 500.000 empregos nos próximos cinco a sete anos.

— Compromissos com a cooperação de maior qualidade no âmbito do BRI

A China assumiu compromissos para promover a cooperação de alta qualidade sob a BRI, um destaque no relatório de trabalho do governo entregue durante as “duas sessões”, ainda em andamento.

De acordo com o relatório, mantendo o princípio de se alcançar o crescimento compartilhado por meio de consulta e colaboração, a China atuará de forma constante na criação de novas áreas de cooperação com base na consolidação da cooperação para aprimoramento da conectividade. Isto desenvolverá ainda mais Novo Corredor Internacional de Comércio Marítimo-Terrestre, uma passagem comercial e logística construída em conjunto pelas regiões provinciais da China Ocidental e Cingapura.

De acordo com o relatório, a China também elevará as importações de produtos e serviços de qualidade, por meio da exploração de novas maneiras de desenvolvimento do comércio de serviços e do comércio digital, implementando uma lista negativa para o comércio transfronteiriço de serviços. A reforma do país para simplificar o desembaraço aduaneiro será aprofundada e a construção de um sistema internacional de serviços logísticos será acelerada para auxiliar na redução de custos e aumento da eficiência do comércio exterior.

Ademais, os investidores estrangeiros obterão acesso facilitado para investir na China. A China promete observar a lista negativa para investimentos estrangeiros e garantir tratamento nacional para todas as empresas com investimentos estrangeiros, segundo o relatório.

Todas essas medidas e compromissos mostram a firme determinação do país quanto a uma mais ampla abertura e desenvolvimento de alta qualidade da BRI.

Foto tirada em 29 de setembro de 2021, mostra contêineres de carga em Malaszewicze, Polônia. (Xinhua/Zhang Zhang)

Mais cedo, em fevereiro, um alto funcionário também disse que a BRI deve continuar a apresentar ampla consulta, contribuição conjunta e compartilhamento de benefícios, visando progresso de alto padrão, sustentável e centrado nas pessoas. Além disso, deve-se aplicar mais energia a projetos relativos à subsistência das pessoas visando melhorar a percepção de ganho por parte das pessoas nos países participantes.

— Um Cinturão e Rota Resiliente avança conforme o tempo

De acordo com um estudo do Banco Mundial, a BRI ajudará 7,6 milhões de pessoas a saírem da pobreza extrema e 32 milhões da pobreza moderada nestes países. Nos países participantes, ela promoverá a elevação do comércio em 2,8 a 9,7%, do comércio global em 1,7 a 6,2% e da renda global em 0,7 a 2,9%.

“A BRI mostra resiliência pois está alinhada com as necessidades do momento, e continua a acompanhá-lo ao longo do tempo”, disse Wang Yiwei, professor da Universidade Renmin da China.

Ele acrescentou que, diante do crescente protecionismo e unilateralismo, a BRI proposta pela China, como forma de manter e praticar o multilateralismo genuíno, conferiu um ímpeto ao multilateralismo com destaque à abertura, inclusão e cooperação ganha-ganha. Acompanhando o momento, a BRI desenvolveu novas dimensões, abrangendo saúde, digitalização e desenvolvimento verde.

Foto aérea tirada em 13 de dezembro de 2019, mostra a fazenda de energia solar de 50 MW em Garissa, no Quênia. A usina, projetada e construída pela empreiteira EPC China Jiangxi Corporation for International Economic and Technical Co-operation (CJIC), em conjunto com a Rural Energy Authority (REA) do Quênia, é uma das maiores estações de eletricidade fotovoltaica da África. (Xinhua/Xie Han)

De acordo com Ding Yifan, pesquisador do Centro de Pesquisa para Desenvolvimento do Conselho de Estado da China, o caminho para o desenvolvimento sustentável e ecologicamente adequado tem sido cada vez mais valorizado em todo o mundo e, desta forma, o desenvolvimento de alta qualidade tem sido uma palavra-chave para o Cinturão e Rota. Construir uma rota da seda verde, digital e saudável se tornará o foco do futuro. Fim

Leia também:

Mais de 70 empresas chinesas listadas divulgam resultados otimistas

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Banco central da China injeta liquidez via recompra reversa

O Banco Central da China injetou na sexta-feira 10 bilhões de yuans (cerca de 1,48 bilhões de dólares) de recompra reversa, visando manter a liquidez do sistema bancário.

Representante chinês pede coordenação e estabilidade sobre alimentação

Um representante chinês pediu na quinta-feira para que a comunidade internacional trabalhe em conjunto, no objetivo de estabilizar o mercado global de alimentos, garantir suprimentos diversos de alimentos e facilitar globalmente o comércio agrícola.

Envios de celulares na China alcançam 69,35 milhões de unidades no Q1

As remessas de telefones celulares da China tiveram uma queda anual de 29,2%, chegando cerca de 69,35 milhões de unidades no primeiro trimestre deste ano, de acordo com um relatório da Academia Chinesa de Tecnologia da Informação e Comunicações (CAICT, sigla em inglês).

Últimas Notícias

Rio, petróleo e prosperidade

Por Ranulfo Vidigal.

Baixas temperaturas e geadas trazem prejuízos a agricultores

Balança comercial do agro, entretanto, apresentou superávit de US$ 43,7 bilhões no acumulado do ano, de janeiro a abril.

A pandemia do burnout

Por César Griebeler.

OIT: crises geraram déficit de 112 milhões de empregos no mundo

Guy Ryder: 'efeitos sobre os trabalhadores e suas famílias, particularmente nos países em desenvolvimento, serão devastadores.'

Banco central da China injeta liquidez via recompra reversa

O Banco Central da China injetou na sexta-feira 10 bilhões de yuans (cerca de 1,48 bilhões de dólares) de recompra reversa, visando manter a liquidez do sistema bancário.