Brasil chega a 100 mil mortos sem ministro e sem atuação unificada

Índia atinge 2 milhões de casos, após Estados Unidos e Brasil.

Conjuntura / 20:57 - 7 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

No final da semana em que o Brasil atingirá a trágica marca de 100 mil mortos por Covid-19, São Paulo decidiu adiar por mais um mês o início das aulas presenciais na rede de ensino. O anúncio feito pelo governador João Doria Jr. marca para 7 de outubro a volta às aulas, retorno considerado preocupante por profissionais de ensino.

A data foi adiada por recomendação do Centro de Contingência do Coronavírus para garantir margem de segurança maior”, disse o governador. Para que haja retorno às aulas presenciais, todo o estado paulista precisa estar na Fase 3 – Amarela do Plano São Paulo: 80% das regiões precisarão estar há 28 dias nessa fase e, o restante, há pelo menos 14 semanas nessa etapa.

Doria autorizou também que, a partir do dia 8 de setembro, unidades escolares localizadas em cidades na Fase 3 - Amarela do Plano São Paulo há 28 dias, como é o caso da capital paulista, poderão reabrir, de forma opcional, para atividades de reforço ou de acolhimento de alunos.

Com 9.709 casos confirmados nas últimas 24 horas, o Estado de São Paulo soma agora 608.379 casos confirmados do coronavírus desde o início da pandemia. Nas últimas 24 horas, o estado registrou 287 mortes, chegando agora à soma de 24.735 óbitos. A taxa de ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) do estado está em torno de 59,8%. Na Grande São Paulo, a taxa está em torno de 58,1%.

A Índia, país mais atingido pela pandemia na Ásia, relatou nesta sexta-feira um salto diário recorde de infecções, que levou o total de casos a mais de 2 milhões. A Índia tem registrado uma média de aproximadamente 50 mil novos casos por dia desde meados de junho, mas especialistas dizem que sua taxa de testes, de 16,03 a cada milhão de pessoas, é muito baixa.

O aumento ocorre em meio a uma greve de profissionais de saúde. Mais de 3,5 milhões de profissionais, na linha de frente dos esforços para combater a Covid-19, entraram em greve de dois dias em busca de melhores salários e equipamentos de proteção adequados.

A Índia é o terceiro país a ultrapassar a marca de 2 milhões de casos de Covid-19, após Estados Unidos e Brasil.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor