Brasil e China criam fundo de US$ 20 bi

Internacional / 19:23 - 11 de out de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Recursos para infraestrutura [caption id="attachment_555897" align="alignright" width="200"]Oliveira: aportes para viabilizar projetos no Brasil Oliveira: aportes para viabilizar projetos no Brasil[/caption] Representantes dos governos do Brasil e da China assinaram nesta terça-feira um memorando de entendimento para criação de um fundo de até US$ 20 bilhões que financiará projetos prioritários de infraestrutura e facilitará a cooperação em capacidade industrial entre os dois países. “São projetos que serão realizados aqui no Brasil, e os US$ 20 bilhões serão aportados nos projetos à medida que eles sejam aprovados, com fontes variadas. Poderá haver recursos do FI-FGTS, do BNDES e de captação no setor privado. Trata-se de um mecanismo de coordenação dos recursos para viabilizar os projetos”, explicou o ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira. O Fundo Brasil-China de Cooperação para a Expansão da Capacidade Produtiva deverá ser capitalizado com até US$ 15 bilhões de capital chinês e até US$ 5 bilhões brasileiro. Os setores que poderão receber recursos englobam logística, energia e recursos minerais, tecnologia avançada, agricultura, agroindústria e armazenagem agrícola, manufatura e serviços digitais, entre outros, no Brasil, mas que tragam benefício mútuo para os dois países. Este ano marca o décimo aniversário da fundação do sistema dos países do grupo Brics (além de Brasil e China, Rússia, Índia e África do Sul). Artigo publicado nesta terça-feira no Diário do Povo, jornal do PC chinês, assinala que, “embora existam algumas vozes que assinalem um 'declínio dos Brics', os países-membros tomaram uma série de medidas para enfrentar os problemas, sendo que estas terão um efeito gradual na atitude e previsão do resto mundo relativamente ao crescimento econômico dos cinco integrantes. Sábado começa a 8ª Cúpula do Brics, em Goa, na Índia.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor