Brasil é o país mais complexo para se fazer negócios no mundo

Latino-americanos ficam com 6 das 10 piores posições.

A América Latina é a região mais complexa para os negócios no mundo, e o Brasil lidera a lista como o país mais complexo. É o que mostra o Índice Global de Complexidade Corporativa de 2021 (Global Business Complexity Index – 2021), relatório anual da TMF Group.

No Top 10 estão ainda México (3º), Colômbia (4º), Argentina (7º), Bolívia (8º) e Costa Rica (9º). A França é o segundo país mais complexo. Completam a lista dos 10 primeiros Turquia (5º), Indonésia (6º) e Polônia (10º).

Legislações em constante mudança e a necessidade de se lidar com diferentes instâncias governamentais são alguns dos desafios enfrentados pelas empresas que querem fazer negócios no Brasil. “O Brasil é um mercado de grande interesse internacional, mas o país apresenta desafios relacionados à burocracia”, observa o TMF Group.

Segundo Rodrigo Zambon, diretor da TMF Brasil, a complexidade no Brasil é impulsionada por um sistema de gestão de várias camadas, onde autoridades a nível federal, estadual e municipal têm poder legislativo substancial. “O Brasil é uma das poucas jurisdições onde o processo de incorporação de empresas deve ser registrado em todos esses níveis de governo. Muitos impostos também são cobrados em cada um dos níveis, fazendo com que as taxas tributárias variem de cidade a cidade e de estado a estado”, disse ele.

Entre os 77 países do relatório, a Dinamarca é a menos complexa, seguida por Hong Kong e Ilhas Cayman. A presença do paraíso fiscal deixa entrever que o levantamento prioriza as chamadas pautas neoliberais, em franca decadência desde 2008. Curaçao e Ilhas Virgens Britânicas igualmente aparece entre os melhores.

Na gestão trabalhista, por exemplo, a TMF critica a obrigatoriedade de reajustes salariais em alguns casos e louva as reformas feitas nos últimos cinco anos. “Grande parte das políticas trabalhistas no Brasil remetem a conceitos adotados nos anos 1940”, observa Zambon.

Leia também:

Em 1 década, Brasil se tornou dependente de exportação de commodities

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

SP: alimentação puxa alta no preço da cesta básica

Segunda prévia do IGP-M variou negativamente em relação à segunda prévia do período anterior, mas avança ante a última divulgação.

Sauditas liberam exportação de carne de unidades de Minas

De acordo com o Ministério da Agricultura, autoridades do país suspenderam o bloqueio de cinco plantas de carne bovina mineira.

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 8,35%

Previsão é que taxa Selic suba para 8,25% ao ano até o fim de 2021.

Últimas Notícias

A desigualdade entre os ‘iguais’

Por Rafael Luciano de Mello.

SP: alimentação puxa alta no preço da cesta básica

Segunda prévia do IGP-M variou negativamente em relação à segunda prévia do período anterior, mas avança ante a última divulgação.

Jovem baixa-renda é mais requisitado para voltar a trabalho presencial

Quanto menor a renda familiar, maior o percentual; brasileiros de 18 a 25 anos somam 42% das contratações temporárias no primeiro semestre.

Formbook afetou mais de 5% das organizações

Capaz de capturar credenciais e registrar digitação de teclado, malware figurou em segundo lugar no ranking mensal do país.