Brasil é o país que mais perdeu milionários em 2020

Desvalorização do real tirou da lista 81 mil ricos.

O Brasil é o país que mais perdeu milionários em 2020, com uma queda de 22% em comparação com ano anterior. No total, houve uma diminuição de 81 mil milionários no país. A desvalorização do real perante o dólar é o principal fator que explica a diminuição, de acordo com estudo divulgado pelo portal Cupom Válido que reuniu dados da OCDE e Credit Suisse sobre a distribuição de riqueza.

Dentre as 33 moedas mais negociadas do mundo, o real foi uma das 8 que tiveram a maior desvalorização em 2020, quando chegou a perder 40% do valor frente a moeda norte-americana. Uma queda maior que as moedas de países que estão crises severas, como o peso da Argentina e a lira turca.

O número total de milionários no Brasil (adultos com patrimônio acima de US$ 1 milhão) passou de 375 mil para 294 mil. O México foi o segundo país que mais perdeu milionários (17 mil), seguido pela África do Sul e Chile respectivamente. Na ponta oposta, os Estados Unidos tiveram o maior aumento no número de milionários, com acréscimo de 2 milhões.

Distribuição de riqueza Brasil x mundo (elaboração: Cupom Válido)
Elaboração: Cupom Válido

Concentração da riqueza

Mais de 70% da população brasileira tem um patrimônio menor que R$ 50 mil. Na faixa acima, entre R$ 50 mil e R$ 500 mil, estão 27% dos brasileiros. No topo da pirâmide, 3% possuem valores acima de R$ 500 mil.

A comparação com a média mundial mostra o grau de concentração da riqueza no Brasil: 58% da polução do planeta possui patrimônio menor que R$ 50 mil; 32% possui um patrimônio entre R$ 50 mil e R$ 500 mil; e 10% possui valores acima de R$ 500 mil.

No Brasil, a parcela do 1% mais rico detém 47% de toda a riqueza do país. No mundo, a média é de 43%. A Rússia é o país com a maior concentração, em que o 1% mais rico detém 57% de toda riqueza (em 2016, o valor chegou a ser até maior, 64% do total).

Dentre todos os países, o Japão é onde há a menor concentração. O 1% mais rico detém 18% da riqueza, de acordo com o levantamento do Cupom Válido.

Leia também:

Indicador antecedente de emprego da FGV sobe 4,7 pontos em maio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Setor público registrou superavit de R$ 358 bi em 2021

O setor público brasileiro registrou um superavit orçamentário de R$ 358 bilhões em 2021, resultado que deriva dos cerca de R$ 6,3 trilhões em...

Informalidade atinge 40,1% da população ocupada

Segundo IBGE, desemprego caiu para 9,8%; rendimento fica estável.

Sudeste teve alta de 5% nas vendas por internet em maio ante abril

Considerando a mesma base de comparação, o faturamento do setor também cresceu: 7%.

Últimas Notícias

Acusações de palhaça e possível ação da CVM fazem ação da TC desabar

Papéis chegaram a recuar mais de 25% no pregão desta quinta-feira.

Aqui, na terra, a coisa está preta

Por Paulo Alonso.

Setor público registrou superavit de R$ 358 bi em 2021

O setor público brasileiro registrou um superavit orçamentário de R$ 358 bilhões em 2021, resultado que deriva dos cerca de R$ 6,3 trilhões em...

Triste realidade

Em cada 4 bairros do Rio, 1 tem milicianos ou traficantes

Pré-candidatura de Ceciliano ao Senado ganha apoio na Região Serrana

Prefeito do PSB vira as costas para candidato do partido.