Brasil é o segundo país mais complexo para se fazer negócios

Estudo analisa fatores como pagamento de impostos e dificuldade para contratar

Pesquisa feita pela TMF Group, especialista em serviços de contabilidade, folha de pagamento e internacionalização de empresas, o Brasil é o segundo país mais complexo do mundo para se fazer negócios, ficando atrás apenas da Indonésia.

O estudo, feito em 77 países, analisa fatores como pagamento de impostos e contabilidade, dificuldade para contratar, demitir e gerenciar folha de pagamento e questões relacionadas a regulações e penalidades.

O Brasil conseguiu evoluir numa agenda que melhora o ambiente de negócios. Mas o país ainda apresenta uma série de desafios para quem vem investir e empreender por aqui. Países como a Grécia, que caiu, no último ano, da primeira para a quinta posição no ranking, estão fazendo mudanças de modo mais enfático e colhendo os frutos deste esforço”, disse Rodrigo Zambon, diretor geral da TMF Brasil.

O Índice Global de Complexidade Corporativa revela que, apesar dos progressos realizados nos últimos anos em que foram implementados impostos digitais e mais simplificados (como o eSocial, por exemplo), o Brasil ainda é um ambiente de negócios muito complexo, com dezenas de regimes fiscais diferentes, distribuídos em três instâncias governamentais: federal, estadual e municipal.

No entanto, o executivo acredita que, apesar das complexidades brasileiras, haverá uma onda de aquisições de empresas brasileiras a partir do segundo semestre deste ano. “Com a desvalorização do real, houve um aumento na procura por ativos no Brasil por parte de fundos soberanos e empresas de private equity. Percebemos esta tendência de maneira bastante intensa em nossos contatos com estas entidades estrangeiras”, acrescentou Zambon.

 

Projeção

 

Segundo o relatório, os entrevistados acreditam que os procedimentos de RH no Brasil, como a contratação, demissão e gerenciamento da folha de pagamento – um dos principais desafios do país – se tornarão menos complexos nos próximos cinco anos. Quando se trata de regras, regulamentos e penalidades, outro importante obstáculo para as empresas que operam no Brasil, os entrevistados são menos otimistas. Eles acreditam que essa realidade não mudará nos próximos cinco anos.

No ranking dos países mais complexos do mundo, o Brasil é sucedido, respectivamente, pela Argentina, a Bolívia e a Grécia. Segunda maior economia do mundo, a China aparece mal colocada no ranking da TMF Group. O gigante asiático é o sexto país mais complexo do mundo para se fazer negócios. Mas a América Latina aparece como a região mais complexa do mundo. Dos dez países mais complexos do mundo, seis são latino-americanos.

Os Estados Unidos, em guerra comercial e diplomática com a China, aparecem melhor do que seu rival econômico no quesito complexidade. A economia norte-americana é, de acordo com o estudo, a segunda menos complexa do mundo, perdendo apenas para Curaçao, país pertencente ao Reino dos Países Baixos, situado no sul do Mar do Caribe. Outros países que integram a lista dos menos complexos estão a Dinamarca, a Holanda, a Irlanda, a Jamaica, as Ilhas Virgens Britânicas e as Ilhas Cayman.

 

 

Artigos Relacionados

Payment View discute Open Banking, Cash management, Segurança e CBDC

Pix, varejo e criptomoedas estarão também na 3ª edição.

Samarco ajuíza pedido de recuperação judicial

A Samarco Mineração, joint venture da Vale em conjunto com a BHP Billiton Brasil Ltda, ajuizou nesta sexta-feira pedido de recuperação judicial, perante uma...

Incerteza fiscal e pandemia impactam a inflação

Em evento virtual realizado nesta sexta-feira, o presidente do Banco Central do Brasil (BCB), Roberto Campos Neto, apresentou uma avaliação atualizada da conjuntura econômica...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Eleição no Peru está indefinida. Empate técnico entre 5 candidatos

Primeiro turno será no domingo. segundo turno está previsto para o dia 6 de junho.

Equador: Não haverá contagem rápida no domingo de eleições

Arauz, candidato do ex-presidente Rafael Correa lidera as pesquisas com 37% das intenções de voto contra 30% do candidato do Aliança Creo, o banqueiro Guillermo Lasso.

Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação

Segundo FGV, fato reflete avanço das campanhas de vacinação contra a Covid.

Brasil movimentou R$ 2 tri em transações com cartões em 2020

Transações digitais foram impulsionadas por modernização do mercado e pandemia.

IPCA de março variou abaixo da expectativa do mercado

Nossa projeção para o ano que vem permanece de 6,5%, podendo ser antecipada para este ano.