Brasil vermelho

Antes de satanizar movimentos sociais, a mídia demofóbica poderia exibir a seus leitores, ouvintes e telespectadoras dados estarrecedores sobre a situação fundiária do país. Um exemplo: cerca de 26 mil grandes proprietários de terra, menos de 1% dos 5 milhões de proprietários nacionais, são donos de 46% de todas as terras do Brasil, o que deixa o país na triste condição de detentor da maior concentração de propriedade do planeta. Ou seja, em vez do Abril Vermelho, o problema é o Brasil vermelho, mas de vergonha.

Lugar errado
A presença do ex-presidente FH e do ex-ministro da Fazenda Pedro Malan, terça-feira, no Fórum da Liberdade, na PUC de Porto Alegre, provocou protestos de estudantes gaúchos. Segundo a diretora da União Nacional de Estudantes (UNE) Manuela Dávila, um dos participantes do protesto, “os que aprofundaram a crise social, política e econômica do país não são credenciados para discutir o desenvolvimento do Brasil”.

Babá eletrônica
O número de horas destinadas a assistir à televisão cresceu 15 minutos diários por habitante no mundo em 2003. Ano passado, cada habitante da Terra passou, em média, três horas e 39 minutos em frente à TV. No Japão, essa média chegou a quatro horas e 29 minutos por habitante. Como a programação televisiva tem piorado assustadoramente em quase todo o mundo, o resultado deve se refletir na inteligência e na cultura da humanidade nos próximos anos.

Confusão
Quinta-feira, no noticiário de um “jornalão” carioca sobre a AmBev, título e texto brigavam. A matéria, produzida pela agência norte-americana de notícias Bloomberg News, anunciava a presença de Marcel Telles, co-presidente do Conselho de Administração da AmBev, no Senado para explicar “a venda da empresa para a belga Interbrew”. No título, o “jornalão” modificou o caráter da relação entre as duas empresas: “Senado convoca AmBev para esclarecer fusão”.

Spread
Explicar porque o spread bancário está no patamar atual é o que fará o economista chefe da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Roberto Luis Troster, no próximo dia 29, às 14h30, na Associação dos Bancos do Rio de Janeiro (Av. Rio Branco, 81, 19º andar – Centro – RJ). Inscrições: (21) 2203-2188 ou 2253-1538.

Seleção
Thomas Case, fundador do Grupo Catho, será o palestrante do almoço da filial São Paulo da Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil no dia 29. Ele falará sobre “Seleção de Executivos por Competências, Inteligências e Experiências” e apresentará os resultados de uma pesquisa feita com 3.863 executivos. Uma nova metodologia científica de seleção de executivos será apresentada. Informações com Tatiane, Andréa ou Marcia no telefone (11) 3819-0265 ou e-mail eventos@britcham.com.br

Atraso
Apenas um quinto dos executivos das 500 maiores empresas brasileiras consideram suas companhias adaptadas ao novo Código Civil e 19% acreditam que esta lei possa ser uma barreira à geração de novos negócios. Para apenas 12% dos entrevistados a promulgação do Projeto de Lei 84, que trata de crimes de informática, terá impacto alto nos departamentos de tecnologia da informação (TI) e segurança; 50% não acreditam que os ataques, fraudes e crimes vão diminuir. Os dados são de pesquisa com 350 executivos realizada pela firma de segurança de informações Módulo Security.

Cana dura
Promotor ouvido pela coluna desmonta a blindagem jurídica erguida por setores da mídia e do Judiciário sensibilizados com o drama de pitboys processados por formação de quadrilha. A fonte desqualifica a tese de que a caracterização desse tipo de crime tenha como uma das suas pré-condições a ação continuada. Segundo este promotor, a reunião para planejar ação criminosa já torna seus participantes passíveis de indiciamento por crime de formação de quadrilha.

Artigo anteriorLimpa
Próximo artigoPapa tudo
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

IGP-M acumula inflação de 28,94% em 12 meses

Segundo FGV, taxa ficou em 2,53%, em fevereiro, após registrar 2,58% em janeiro.

Confiança do comércio tem leve alta em fevereiro

Segundo a FGV, é a primeira alta depois de quatro quedas consecutivas.

Balanço melhor que o esperado da Petrobras anima mercado nacional

Hoje, no exterior, Bolsas mundiais operam sem direção única.

O futuro está nas criptomoedas?

Quarta foi de intensa volatilidade nos mercados externos; por aqui com justificativa, ainda em função do imbróglio de Petrobras e Eletrobras.

Preços dos carros mais vendidos subiram 9,4% em média em um ano

Com 18,23% de variação, Renault Kwid foi o que mais subiu de preço entre os 13 mais vendidos.