Braskem: R$ 40 milhões em unidade na Bahia

A Braskem anunciou investimento de R$ 40 milhões para expandir a capacidade de armazenagem de matéria-prima na unidade de Insumos Básicos, localizada em Camaçari, na Bahia. O projeto, que aumentará, dos 160 mil metros cúbicos atuais para 220 mil metros cúbicos, o volume de armazenagem, será iniciado este ano, com previsão de ser concluído no final de 2007.
De acordo com o presidente da companhia, José Carlos Grubisich, “a iniciativa está alinhada com a estratégia de crescimento da Braskem e com seu objetivo permanente de melhoria de competitividade e flexibilidade estratégica”. A medida também pretende melhorar do ponto de vista logístico, já que a empresa importa entre 30% e 40% da nafta que consome.
Com o novo investimento, a Braskem passará a capturar plenamente os benefícios de contar com capacidade técnica para receber navios de grande porte (atualmente, com capacidade de até 75 mil toneladas), reduzindo o número de viagens e os custos de frete.
A companhia informou ainda que os ganhos potenciais com o projeto serão superiores a R$ 16 milhões anuais, em bases recorrentes. Edison Terra, diretor de Supply Chain de Insumos Básicos, explica o investimento reduzirá a necessidade de compras emergenciais e o risco de descontinuidade operacional.

Artigo anteriorDia da caça
Próximo artigoPequeno engano
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

A Disneylândia espacial dos trilionários

Jornada nas estrelas escancara a desigualdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Taxar dividendos aumentou investimentos na França

Redução, nos EUA e na Suécia, só elevou distribuição de lucros.

Petroleiro tem maior produtividade da indústria no Brasil

Mesmo com setor extrativista, participação industrial no PIB caiu de 25% para 20%.

Exportação cresce, mas só com produtos pouco elaborados

Superávit de quase US$ 7 bilhões até a quarta semana de julho.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.