Brics é o alvo dos EUA

Se o pré-sal é a parcela mais cobiçada pelas empresas dos Estados Unidos no Brasil, os Brics são sem dúvida a motivação maior norte-americana que levou ao golpe contra o governo eleito de Dilma Rousseff. Não cabia nos manuais dos EUA que a segunda maior potência da América atuasse em um bloco com Rússia e China.

A adesão de Bolsonaro à agenda dos EUA é um golpe no Brics, embora fatores racionais – poucos que ainda resistem no governo – impeçam uma ruptura com a China, de longe a maior compradora de produtos brasileiros.

A invasão da Embaixada da Venezuela no primeiro dia da Conferência do Brics, ainda que perpetrada por meia dúzia de fanáticos, não pode ser dissociada da presença dos chefes de Estado da Rússia, China, Índia e África do Sul em Brasília. O mesmo pode-se dizer do reconhecimento de uma arrivista golpista como presidente da Bolívia. Tudo planejado. Um subimperialismo vassalo de Trump.

 

Destruidores

As empresas mexicanas foram as que criaram mais valor na América Latina, segundo a revista Latin Trade. O estudo Criadores de Valor da América Latina classifica as empresas que criam e que destroem valor através da medição de seu Valor Econômico Adicionado (EVA, Economic Value Added). Em geral, as companhias de energia foram as principais destruidoras de valor.

As firmas mexicanas tais como a América Móvil (EVA de US$ 15,2 bilhões) e o Grupo Bimbo (EVA de US$ 8,8 bilhões) mostram os melhores resultados. Depois das empresas do México vêm as do Brasil, embora com uma tendência decrescente.

 

Alta

A demanda por serviços de saúde no interior do Rio de Janeiro continua crescendo. O número de atendimentos na emergência do Hospital da Unimed Volta Redonda subiu de 574 mil para 614 mil (+7%) no primeiro semestre, em comparação com o ano passado. A taxa de ocupação média do hospital passou de 78,54% para 89,65%. Para atender a demanda, a cooperativa, sob a presidência de Luiz Paulo Tostes Coimbra, investiu R$ 47 milhões na expansão da unidade.

 

Estacionado

O Ministério do Turismo comemora dado do IBGE que mostra que a atividade turística cresceu 4,8% em setembro em relação a agosto. No mês anterior, registrara queda de 4,6%. Ou seja, ainda que pareça contraditório, o turismo não saiu do lugar.

 

Melhorou, mas pode avançar

O eSocial completou quatro anos, mas ainda apresenta algumas falhas que dificultam o dia a dia do empregador, analisa Mário Avelino, presidente do Instituto Doméstica Legal. Ele cita problemas quando se quer corrigir férias, rescisão ou afastamento. O Instituto sugere ao empregador uma revisão completa do eSocial.

 

Aprende, Guedes!

O sucesso na construção de setores sofisticados que alimentem um crescimento econômico alto e sustentável e que, em última análise, beneficie toda a sociedade, está nas ações do estado e do setor privado. “Parafraseando Min Zhu, ex-vice-diretor-gerente do FMI, uma economia precisa de ambas as asas para voar, o estado e o mercado, para criar crescimento sustentado”, lembram Reda Cherif e Fuad Hasanov, economistas seniores do Fundo Monetário Internacional.

 

Cassino

O total de agregados financeiros (principalmente derivativos) no mundo atingiu a inimaginável quantia de US$ 1,8 quatrilhão – maior nível de todos os tempos.

 

Rápidas

Paula Farani de Azevedo, conselheira do Cade, e Danilo Takasaki Carvalho, procurador do BC, farão palestras no IV Seminário de Direito de Concorrência, que o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) realizará nesta segunda, das 9h às 13h. Inscrições aqui *** O IAG – Escola de Negócios da PUC-Rio está com inscrições abertas para o Mestrado Profissional em Administração de Empresas, curso noturno. Informações: mestradoprofissional@iag.puc-rio.br *** A advogada Daniela Colla, do escritório Di Blasi, Parente & Associados, falará sobre direitos autorais no Giro Digital, da Associação Brasileira da Música Independente, em Recife, nesta sexta-feira *** O Passeio Shopping apresenta sábado, às 14h, o espetáculo infantil Hércules *** A FGV, em parceria com a Universidade da Força Aérea (Unifa), realizará nesta segunda-feira o seminário “Planejamento Baseado em Capacidades (PBC) – Desafios para a Sociedade 4.0”, com a participação do chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral. Inscrições aqui.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.

ISM Manufacturing teve a maior leitura desde fevereiro de 2018

Expectativa é de melhora continuada dado o avanço da vacinação, bem como o estímulo fiscal projetado para ser aprovado em meados de março.

Rede estadual de ensino do Rio volta hoje às aulas

Alunos terão aulas remotas e presenciais, com turmas em sala de aula em dias alternados em função da pandemia.

Mercado interno sobe seguindo bom humor global

Exterior avança após pacote fiscal de US$ 1,9 trilhão ser aprovado pela Câmara dos Representantes dos EUA.