Bárbaros

O jornal francês Le Monde publicou que a China está assumindo uma posição rígida em relação ao acordo sobre o conflito em Kosovo. Segundo o jornal, o clamor nas ruas cessou, a tensão da comunidade expatriada se dissipou, mas a Otan ainda não se livrou da onda de choque antiocidental que permeia a opinião pública chinesa desde o bombardeio de sua embaixada em Belgrado. Na verdade, diz o jornal, Pequim impõe uma dupla condição para qualquer negociação política da guerra em Kosovo, dificultando ainda mais a adoção de uma resolução pelo Conselho de Segurança da ONU.
De acordo com o jornal, o governo chinês exige a “suspensão imediata” dos “bárbaros” bombardeios da Otan, antes de qualquer decisão sobre um projeto de acordo. “Não se pode negociar debaixo de bombas”, disse em resumo o presidente Jiang Zemin. Por outro lado, os chineses argumentam que não se pode impor aos sérvios um projeto de acordo.

Ataque
O ataque da Otan à Embaixada da China na Iugoslávia não foi um acidente. É o que sustenta a publicação quinzenal Solidariedade Ibero-americana, editada pelo mesmo grupo da revista EIR (Executive Intelligence Review). Segundo a edição da primeira quinzena de maio, o ataque foi uma agressão proposital com o objetivo de impedir que o Conselho de Segurança das Nações Unidas tomasse deliberações sobre o conflito nos bálcãs e que avançassem as iniciativas do Grupo dos Oito (G-8) para uma solução negociada. Solidariedade Ibero-americana cita altos oficias militares, diplomatas e analistas europeus e norte-americanos que teriam chegado à conclusão de que a destruição da embaixada foi premeditada. O ex-vice-ministro de Defesa da Alemanha Willy Wimmer teria afirmado ao jornal alemão Bild Zeitung de que estava convencido que o ataque foi proposital e que sua motivação seria “um assalto ao papel potencial da China nas Nações Unidas.” Na China também se teria a certeza de que não houve acidente. A desculpa do mapa desatualizado não resiste a qualquer análise: jornalistas se fartaram de mostrar que mapas turísticos de Belgrado – distribuídos gratuitamente pelas agências de turismo iugoslavas – indicam a localização das embaixadas.

Potência
O Brasil ocupa o 19º lugar em qualidade da saúde em relação aos outros países da América Latina, à frente apenas da Guatemala (20º), Bolívia (21º) e Haiti (22º). O ranking consta de  relatório sobre saúde realizado pelo instituto britânico The Economist Intelligence Unit. A organização, que pertence ao grupo da revista The Economist, apontou a Costa Rica em primeiro lugar, como o país mais saudável de todo o continente. O Brasil ficou atrás de países como Jamaica (4º), El Salvador (11º), Trinidad & Tobago (14º) e Peru (16º). O estudo tomou por base a média de 13 indicadores de saúde, como expectativa de vida, mortalidade infantil e ocorrência de doenças infecciosas, entre outros.

Muy amigo
Se o presidente FH é Menem amanhã e vice-versa, o não pagamento de dívidas externas vencidas de duas empresas argentinas deve ter uma conseqüência imediata nos próximos dias: o BNDES local deve anunciar um mega Proer para honrar papagaios em dólares de empresas portenhas.

Avarento
A liberdade concedida a burocratas sem votos decidirem sobre o destino do Orçamento permite manifestações arrogantes como a do secretário do Tesouro Nacional, Eduardo Guimarães, que decidiu se sentar sobre a pedido dos ministérios de reforço de dotação orçamentária. Segundo Guimarães, do total de R$ 1 bilhão, no máximo, R$ 670 milhões podem ser concedidos durante todo o ano. Liberação rápida e sem burocracia acima de R$ 1 bilhão, com o tucanato, só para banco falido.

Adiado
A redução do valor remetido para o exterior a título de lucros e dividendos de US$ 585 milhões, em abril de 98, para US$ 345 milhões, mês passado, não significa necessariamente menor pressão desse item sobre a balança de serviços do país. Com a apreciação de 3,56% do real mês passado, é melhor para as empresas instaladas no país aguardarem uma cotação mais favorável antes de fazerem suas remessas.

Perdulário
A publicação no Diário Oficial da União de ontem de que Elba Ramalho foi contratada por R$ 800 mil para cantar no aniversário do presidente FH e que o ex-ministro dos Esportes Pelé receberia R$ 500 mil por uma palestra sobre futebol ocorreu apenas dois dias após o ministro Pedro Malan defender a melhora da qualidade do gasto público e a transparência na concessão de subsídios. No mínimo, e com muita boa vontade, a reengenharia administrativa do tucanato é coisa de Quarto Mundo.

Próximo artigoFim de linha
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

Salário mínimo baixo, gasto do Estado alto

Nos EUA, assistência a trabalhadores que ganham pouco custa US$ 107 bi por ano ao governo.

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

IPC-S sobe em seis capitais brasileiras em fevereiro

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na...

Trava política impede recuperação mais forte

Nesta segunda, mercados aqui foram na mesma direção do exterior em recuperação, mas sem mostrar maior tração. 

Sony deixará de vender áudio e vídeo no Brasil

Multinacional japonesa venderá aqui apenas consoles de games importados.

ISM Manufacturing teve a maior leitura desde fevereiro de 2018

Expectativa é de melhora continuada dado o avanço da vacinação, bem como o estímulo fiscal projetado para ser aprovado em meados de março.

Rede estadual de ensino do Rio volta hoje às aulas

Alunos terão aulas remotas e presenciais, com turmas em sala de aula em dias alternados em função da pandemia.