Burocracia virtual

Mais de 170 mil empresas ainda não entregaram a Declaração de Informações Econômico-Fiscais da Pessoa Jurídica (DIPJ). Até esta quarta-feira, apenas 27 mil declarações de empresas tributadas pelo lucro real ou arbitrado haviam sido entregues, segundo a Receita. Um dos motivos poder ser a mais nova arma burocrática adotada pelo Leão: o certificado digital. A DIPJ só pode ser feita pela Internet, e o contribuinte agora tem que adquirir o certificado, que custa pelo menos R$ 100 por ano. Para mais informações sobre como obter o certificado digital, deve-se acessar www.receita.fazenda.gov.br/AtendVirtual/Orientacoes/orientacoesgerais.htm

Gilberto Maia
“O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), decidiu adotar o estilo Cesar Maia paulistanizado para tentar viabilizar sua reeleição à prefeitura da capital. São muitos os indícios neste sentido.” A opinião é do jornalista Renato Rovai, que, em seu blog (http://revistaforum.uol.com.br/blogdorovai/destaque.asp), aponta como sinais dessa metamorfose política as recentes fotos nos jornais em que Kassab, com “cachimbo de crack e um isqueiro em mãos, ficou tentando acender “para ver como que era”” e  o uso de máscara antipoluição para posar para os fotógrafos.

4 anos em 1
Para Ronai, a aproximação de Kassab do estilo do prefeito do Rio não se limita à adoção de factóides para tentar popularizar sua imagem, ainda que se movendo no fio da navalha que separa popularidade de ridículo: “Ele decidiu economizar para gastar tudo no último ano de governo. Enquanto a cidade está caindo aos pedaços, a prefeitura tem aproximadamente 25% do Orçamento de um ano aplicado em instituições financeiras. E enquanto a mídia fica bem comportada em relação aos descalabros administrativos de sua gestão, ele começa a operar um investimento em publicidade altíssimo para abaixar a sua rejeição. Que aliás, estava também altíssima”, compara o jornalista.

Exocet
O número de mensagens de texto (SMS, ou “torpedos”) via celular cresceu 50% na Argentina, no ano passado. No Brasil, o aumento foi mais modesto, de 35%. Dados de uma pesquisa da Tegic Communications mostram que 72% dos brasileiros não usam ou poderiam aumentar o uso de “torpedos”. Um dos motivos é a dificuldade que alguns usuários têm em utilizar os pequenos teclados dos celulares. O estudo da Tegic mostra que os que receberam treinamento para utilizar softewares de texto preditivo enviaram 60% mais mensagens comparados aos que não dominam o sistema.

Price
A PricewaterhouseCoopers não gosta ser chamada apenas de Price.

Internacionalismo midiático
“Por que ninguém protestou quando a RCTV foi fechada em 1976, por difusão de notícias falsas, ou quando foi lacrada em 1980, por sensacionalismo, ou quando foi fechada em 1981, por difusão de programas pornográficos, ou quando foi condenada, em 1981, por ter ridicularizado o presidente da República? Todos acontecimentos anteriores à posse do presidente Chávez, em 1998.” As perguntas são feitas pelo Ignacio Ramonet, um dos principais nomes do respeitado Le Monde Diplomatique.
Em artigo publicado no último dia 8 no espanhol El Pais e reproduzido no endereço eletrônico da revista Carta Maior (www.agenciacartamaior.com.br) titulado emblematicamente “A mídia do ódio”, o próprio Ramonet responde as indagações que levanta: “Na Venezuela, a RCTV tem sido uma típica “mídia do ódio”, despertando na opinião pública instintos primários e promovendo uma violência tal que poderia desembocar numa guerra civil. A que então se deve todo esse barulho a seu favor? À solidariedade do poder midiático internacional, que vê na decisão do presidente Chávez uma ameaça contra sua atual dominação ideológica. Mas a guerra não acaba aqui”, adverte, prevendo novas batalhas na disputa por corações e mentes dentro e fora da Venezuela.

Elétricas
O nome de Márcio Zimmerman ganhou força nos últimos dias e deve ser confirmado como novo ministro da Energia. Já na Eletrobrás, subordinada ao ministério, começa a fazer as malas um membro da diretoria que tentou se cacifar e acabou queimado junto ao PMDB.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior(Quase) local
Próximo artigoCarona

Artigos Relacionados

Brics+ será gigante em alimentos e energia

Bloco ampliado desafia EUA rumo a nova ordem mundial.

Para combater Putin, adeus livre mercado

Teto para preço do petróleo é nova sanção desesperada do G7.

Inflação engorda lucros de bilionários de energia e alimentos

Fortunas dos ricaços desses 2 setores aumentaram US$ 1 bilhão a cada 2 dias desde 2020.

Últimas Notícias

Setor de energia é um dos alvos preferidos de hackers

Mais de 60% de todos os ataques foram de phishing; organizações criminosas de hackers são ameaça às infraestruturas críticas do Brasil.

Países árabes planejam expansão de energia limpa

Omã, Marrocos, Argélia e Kuwait estão entre os que têm planos mais ambiciosos.

‘Governo não apenas poderia, como deveria intervir na Petrobras’

Para especialista, Governo Federal deveria estar mais atuante para combater os preços abusivos dos combustíveis em toda a cadeia.

Exterior cauteloso pode prejudicar negócios locais

Índices futuros acionários em Nova Iorque operam em queda significante: temores relacionados a uma possível recessão nos EUA.

Marrocos quer se desenvolver como polo de tecnologia

Setor digital emprega 120 mil pessoas no país; país tem investido em acordos e memorandos para aumentar investimento na área.