30.1 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, janeiro 21, 2021

Bye, bye Brasil

A manutenção por cerca de uma década e meia de um crescimento pífio, cuja média anual se arrasta ao redor de 2%, faz o Brasil entrar em forte viés de baixa na imprensa internacional. Um dia depois de o Financial Times afirmar que o “crescimento vagaroso” do Brasil puxa para baixo a média dos países em desenvolvimento e ameaça transformar a sigla Bric (Brasil, Rússia, Índia e China) em RIC, sexta-feira foi a vez da The Economist. Uma das bíblias do pensamento neoliberal, a revista britânica, numa matéria intitulada “The new titans” (“Os novos titãs”) não cita o Brasil entre as nações que, no entender de analistas ouvidos pela publicação, impulsionarão o crescimento mundial nos próximos anos: “China, Índia e outros países em desenvolvimento estão prontos para ajudar a economia mundial a entrar na fase de maior crescimento de toda a sua história”, afirma a revista, sem mencionar o Brasil, numa matéria em que também questiona qual será o significado dessa mudança para o futuro dos atuais países desenvolvidos.

Luz à frente
O consumo crescente e a produção declinante de borracha natural constituem um problema que vem preocupando as indústrias consumidoras desse produto no Brasil e no mundo. O país, que já foi o principal fornecedor mundial, responde hoje por apenas 1% da produção. O Sudeste asiático é o maior produtor, posição assumida após um dos primeiros casos de biopirataria de que se tem notícia, ainda no Século XIX. Atualmente, o Brasil importa mais de 60% do látex consumido pela indústria nacional.
O quadro de declínio pode estar mudando. Segundo a Embrapa, uma ampla área compreendida entre o Centro-Oeste e o Sudeste tem clima adequado ao cultivo da seringueira. Para estimular o interesse de produtores e investidores no negócio, o Instituto Tecnológico da Borracha (IteB) e a Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica (Protec) vão realizar no dia 22, na sede da Firjan, o seminário Inovação Tecnológica no Agronegócio da Borracha Natural.

Qualidade
No Brasil, 17 estados avaliam o seu sistema educacional, e são os que possuem ensino de melhor qualidade, afirmou o secretário chefe de Gabinete da governadora Rosinha Garotinho, Fernando Peregrino. Além disso, 51 países também fazem esse tipo de trabalho. Para Peregrino, que desmentiu notícia sobre o fim da avaliação no Rio de Janeiro, a decisão sobre o futuro do programa cabe ao próximo governador, “mas não se pode perder a qualidade da educação oferecida e nem levar intranquilidade aos profissionais”.

Reconhecimento
Godofredo Pinto, professor e atual prefeito de Niterói (RJ), será homenageado no Happy Hour Empresarial da ADVB, nesta terça-feira. O encontro reúne lideranças para destacar trabalhos que contribuam para o desenvolvimento social e econômico do país. Aleksander Santos, presidente da entidade, justificou a homenagem fazendo referência à carreira política do prefeito, “sempre baseada em valores ético-administrativos rigorosos, honestidade e transparência”. O encontro acontecerá no Jockey Club Brasileiro.

Cartório
Uma concessão de rádio FM – que antigamente era distribuída a políticos amigos do governo – não custa hoje, em cidades com mercado consumidor mediano, menos de R$ 4 milhões, quando feita licitação. Às vésperas da eleição, o Governo Federal se preparar para distribuir canais de TV digital sem cobrar um tostão – mas apenas para os felizardos que no passado, igualmente sem desembolsar um centavo, levaram para casa concessão de TV analógica.

Sotaque que define
Sob a alegação de estimular a participação de outros países no sistema, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, anunciou que pretende mudar o nome do Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD) para uma denominação mais internacionalizada. Como anteriormente, Costa afirmara que os países que o Brasil buscaria integrar ao sistema eram os da América Latina, espera-se que o novo SBTVD esteja mais para Brasileño ou Latino do que para Brazillian.

Artigo anteriorFrio e calor
Próximo artigoVôo de ida
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.

EUA: expectativa por novos estímulos fiscais traz bom humor

Futuros dos índices de NY estão subindo, mesmo após terem atingidos novos recordes históricos no fechamento do pregão anterior.

Ajustando as expectativas

Bovespa andou na quarta-feira na contramão dos principais mercados da Europa e também dos EUA.

Sudeste produz 87,5% dos cafés do Brasil em 2020

Com mais de 55 milhões de sacas a região é a principal responsável pela maior safra brasileira da história.

Exportação de cachaça para mercado europeu cresceu em 2020

Investimentos será de R$ 3,4 milhões em promoção; no Brasil, já cerveja deve ficar entre 10 e 15% mais cara em 2021.