‘Bye, bye’: Sunak despede-se do governo britânico

Anúncio foi feito após confirmação da derrota do Partido Conservador; premiê também deixa a liderança do partido

117
Rishi Sunak (Foto: Agência Xinhua)
Rishi Sunak (Foto: Agência Xinhua)

Confirmada a derrota do Partido Conservador nas eleições dessa quinta-feira no Reino Unido, o primeiro-ministro Rishi Sunak anunciou hoje que vai apresentar a demissão ao rei Charles III. Deixará também o cargo de líder conservador, mas só sairá quando for encontrado um sucessor.

Sunak voltou a pedir desculpas ao país após a catastrófica derrota eleitoral e afirmou que ouviu a “raiva e decepção” dos eleitores e seu desejo de mudança.

“Ao país, gostaria de dizer, antes de mais nada, que lamento muito”, declarou à porta da Downing Street, a residência oficial do premiê.

“Eu dei tudo de mim nesse trabalho, mas enviaram um sinal claro de que o governo do Reino Unido tem de mudar. E é o único julgamento que importa”.

Espaço Publicitáriocnseg

Ao deixar a residência oficial, Rishi Sunak anunciou também que deixará a liderança do Partido Conservador quando houver um sucessor pronto para assumir o cargo.

“Espero que, após 14 anos de governo, haja uma reconstrução do partido, que terá papel fundamental na oposição, de forma eficiente”.

“Quando aqui cheguei, como primeiro-ministro, disse que a tarefa mais importante era trazer a estabilidade à nossa economia”, afirmou. “A inflação está na posição ideal, as taxas das hipotecas estão baixando, estamos reconstruindo relações com aliados nos esforços globais para ajudar a Ucrânia. Acredito que este país está mais seguro, mais forte do que estava há 20 meses atrás. Mais próspero, mais justo, mais resiliente do que em 2010”.

Sunak expressou votos de sucesso ao futuro primeiro-ministro, Keir Starmer, que o derrotou nas eleições.

Admitindo as divergências políticas ao longo da campanha com o opositor trabalhista, Sunak descreveu Starmer como “um homem decente e de espírito público” que respeita.

Nesta sexta, o novo primeiro-ministro disse que o país precisa redescobrir sua identidade e passar por uma redefinição mais ampla, em seu primeiro discurso do lado de fora de seu novo gabinete em Downing Street nº 10, prometendo lutar para restaurar a confiança na política e atender a todos os eleitores.

“Certamente está claro para todos que nosso país precisa de uma redefinição maior, uma redescoberta de quem somos, porque não importa o quão ferozes sejam as tempestades da história, um dos maiores pontos fortes desta nação sempre foi nossa capacidade de navegar para águas mais calmas. Isso depende dos políticos, especialmente daqueles que defendem a estabilidade e a moderação, como eu. “Meu governo lutará todos os dias até que você acredite novamente. De agora em diante, você terá um governo livre de doutrina, guiado apenas pela determinação de servir aos seus interesses. Para desafiar silenciosamente aqueles que descartaram nosso país. Vocês nos deram um mandato claro e nós o usaremos para promover mudanças.”

Cerca de 46 milhões de eleitores britânicos foram às urnas ontem para escolher o Parlamento do país para os próximos cinco anos.

No Reino Unido, os eleitores escolhem os parlamentares representando cada um dos distritos do país. Para indicar o primeiro-ministro, um partido precisa alcançar a maioria dos assentos na Câmara dos Comuns (o equivalente à Câmara dos Deputados), a Casa Legislativa de maior atuação no país. O líder do partido com maioria no Parlamento é convidado pelo rei a formar o novo governo e torna-se primeiro-ministro.

Matéria atualizada às 14h15

Com informações da Agência Brasil, citando a RTP e a Reuters

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui