Cai relação dívida/ativo das empresas estatais da China

A solvência das empresas melhorou com uma melhor estrutura de dívida, afirmou Peng.

A proporção dívida/ativo das empresas estatais administradas pelo governo central da China continuou caindo em 2020, atingindo a meta de desalavancagem do país para tais empresas, mostraram os dados oficiais divulgados nesta terça-feira.

No final do ano passado, relação média dívida/ativo das empresas estatais centrais ficou em 64,5%, 0,5 ponto percentual abaixo do ano anterior, informou Peng Huagang, porta-voz da Comissão de Supervisão e Administração de Ativos Estatais do Conselho de Estado, em uma coletiva de imprensa.

A solvência das empresas melhorou com uma melhor estrutura de dívida, afirmou Peng.

A China estabeleceu um cronograma para a desalavancagem das empresas estatais, como parte dos seus esforços de prevenir riscos financeiros. De acordo com diretrizes divulgadas em setembro de 2018, a relação dívida/ativo média das estatais centrais deveria ser reduzida em dois pontos percentuais até o fim de 2020, ante o final de 2017.

Leia mais:

Tesla inicia entregas de Modelo Y fabricado na China

China foi o principal destino do agro exportado pelo Brasil

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Mercado financeiro reduz projeção da inflação de 7,15% para 7,11%

Esta é a sexta redução consecutiva da projeção, diz BC.

Real pode se beneficiar da queda do dólar ante moedas emergentes

Em NY, os índices futuros acionários operam no positivo, assim como as principais Bolsas europeias; alta também na Ásia.

Últimas Notícias

Mercado financeiro reduz projeção da inflação de 7,15% para 7,11%

Esta é a sexta redução consecutiva da projeção, diz BC.

Real pode se beneficiar da queda do dólar ante moedas emergentes

Em NY, os índices futuros acionários operam no positivo, assim como as principais Bolsas europeias; alta também na Ásia.

Dia dos Pais: shoppings preveem crescimento de 16% nas vendas

Setor deve movimentar R$ 4,4 bilhões entre os dias 8 e 14 de agosto.

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos