Caminhoneiros e petroleiros unidos em torno da Petrobras

O presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet), Felipe Coutinho, divulgou a “Carta ao caminhoneiro brasileiro”, em que defende a importância de motoristas e petroleiros se unirem “para mostrar à maioria dos brasileiros que é possível, e necessário, reduzir o preço dos combustíveis e que, para isso, temos de evitar a privatização e a desnacionalização das refinarias da Petrobrás”.

Coutinho afirma que a política de preços da estatal implantada a partir de 2016, ao adotar os valores internacionais, entrega o mercado brasileiro aos importadores. O diesel da Petrobras fica encalhado nas refinarias, cuja ociosidade aumenta.

Combustíveis produzidos nos EUA são trazidos ao Brasil por multinacionais estrangeiras da logística e distribuídos pelos concorrentes da Petrobrás. A Petrobrás perde com redução da sua participação no mercado. O consumidor paga mais caro, desnecessariamente, com o alinhamento aos preços internacionais do petróleo e à cotação do câmbio”, explica Coutinho.

Ao longo dos anos, motoristas de caminhões fizeram grandes manifestações em vários países, em geral motivados por altos preços de combustíveis”, prossegue o presidente da Aepet. “Mas há também um caso patrocinado pela CIA. Assim como no movimento dos caminhoneiros no Brasil, a elevação dos preços dos combustíveis esteve entre os principais motivos para greves históricas em países como Grécia e Colômbia.”

Somente a Petrobrás consegue suprir o mercado doméstico de derivados com preços abaixo do custo de importação e, ainda assim, obter resultados compatíveis com a indústria internacional e sustentar elevados investimentos que contribuem para o desenvolvimento nacional. No entanto, a política de preços dos combustíveis e a privatização das refinarias pode impedir que a Petrobrás exerça seu potencial competitivo para se fortalecer e impulsionar a economia nacional com seu abastecimento aos menores custos possíveis”, defende Felipe Coutinho.

Comissão do Senado, com apoio do TCU, vai investigar a política de preços adotada pela Petrobras a partir de outubro de 2016.

 

Inovação nos Brics

As fintechs do Brasil e da Índia fecharam acordo de cooperação internacional, primeiro passo para uma futura aliança entre os Brics (além dos dois países, Rússia, China e África do Sul). A assinatura do acordo aconteceu nesta terça-feira, 23 de abril, em conferência em Mumbai, na Índia. Pelo Brasil participou a ABFintechs, associação que representa o setor.

Com essa iniciativa, poderemos dar início a intercâmbios de conhecimento em inovação e tecnologia com o ecossistema da Índia. Neste país parceiro existem importantes centros de excelência em tecnologia”, conta Ingrid Barth, diretora da entidade.

 

Vitória

O Instituto Fundo de Garantia do Trabalhador – IFGT comemora a derrubada, ainda na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), do penduricalho incluído na reforma da Previdência que acabava com o depósito de FGTS para aposentados que continuassem trabalhando, assim como eliminava a multa rescisória de 40% na demissão sem justa causa.

O IFGT liderou campanha de abaixo assinado para excluir o parágrafo 4º do artigo 10 da Proposta e Emenda Constitucional (PEC 6/2019) da Previdência.

 

Mimo

Governo dará R$ 40 mi em emendas a cada deputado que votar pela reforma da Previdência. Se ficar só nos 308 votos mínimos, gastará R$ 12,3 bi. Os senadores não vão ficar para trás, o que dobraria o saque para R$ 24,6 bi. E a justificativa para a reforma é que falta dinheiro.

 

Rápidas

O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (Unic Rio) fará um Cine Debate sobre a história do tráfico de pessoas escravizadas e as raízes das desigualdades contemporâneas. Será em 7 de maio, às 14h, na Sala de Leitura do Palácio Itamaraty. O filme a ser exibido é 1620-1789: Do açúcar à Revolta, dirigido por Daniel Cattier, Juan Gélas e Fanny Glissant *** O Hospital Adventista Silvestre, no Cosme Velho (RJ), conquistou certificação máxima por sua excelência pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) *** De 26 a 28 de abril, o projeto Dançar Caxias Shopping volta em sua 11ª edição. O Dia Mundial da Dança é 29 de abril *** O papel do Judiciário frente as redes sociais, financiamento coletivo e fake news estará em debate dia 2, na FGV Direito Rio. Inscrições: fgv.br/eventos/?P_EVENTO=4458&P_IDIOMA=0

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

MPEs veem oportunidades geradas pela crise

Principal mudança foi alocação de recursos para trabalhar e atender remoto, seguida por investimentos em tecnologia para vendas não presenciais.

Mudança de sinais

Terça começou tensa para os mercados de risco no mundo; hoje, a expectativa para o dia é de Bovespa seguindo em recuperação.

Quatro conselheiros da Petrobras decidem deixar o cargo

Eles são representantes da União no Conselho da empresa, petrolífera divulgou nota ontem à noite.

Biden quer estados priorizando vacinação de professores

Presidente americano pediu que educadores recebam pelo menos uma dose de vacina.

PEC fiscal e lockdown ficam no radar em dia de PIB

Em Nova Iorque, as pressões dos treasuries e a queda das companhias de tecnologia tiveram forte impacto nas Bolsas.