Caminhoneiros e petroleiros unidos em torno da Petrobras

O presidente da Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet), Felipe Coutinho, divulgou a “Carta ao caminhoneiro brasileiro”, em que defende a importância de motoristas e petroleiros se unirem “para mostrar à maioria dos brasileiros que é possível, e necessário, reduzir o preço dos combustíveis e que, para isso, temos de evitar a privatização e a desnacionalização das refinarias da Petrobrás”.

Coutinho afirma que a política de preços da estatal implantada a partir de 2016, ao adotar os valores internacionais, entrega o mercado brasileiro aos importadores. O diesel da Petrobras fica encalhado nas refinarias, cuja ociosidade aumenta.

Combustíveis produzidos nos EUA são trazidos ao Brasil por multinacionais estrangeiras da logística e distribuídos pelos concorrentes da Petrobrás. A Petrobrás perde com redução da sua participação no mercado. O consumidor paga mais caro, desnecessariamente, com o alinhamento aos preços internacionais do petróleo e à cotação do câmbio”, explica Coutinho.

Ao longo dos anos, motoristas de caminhões fizeram grandes manifestações em vários países, em geral motivados por altos preços de combustíveis”, prossegue o presidente da Aepet. “Mas há também um caso patrocinado pela CIA. Assim como no movimento dos caminhoneiros no Brasil, a elevação dos preços dos combustíveis esteve entre os principais motivos para greves históricas em países como Grécia e Colômbia.”

Somente a Petrobrás consegue suprir o mercado doméstico de derivados com preços abaixo do custo de importação e, ainda assim, obter resultados compatíveis com a indústria internacional e sustentar elevados investimentos que contribuem para o desenvolvimento nacional. No entanto, a política de preços dos combustíveis e a privatização das refinarias pode impedir que a Petrobrás exerça seu potencial competitivo para se fortalecer e impulsionar a economia nacional com seu abastecimento aos menores custos possíveis”, defende Felipe Coutinho.

Comissão do Senado, com apoio do TCU, vai investigar a política de preços adotada pela Petrobras a partir de outubro de 2016.

 

Inovação nos Brics

As fintechs do Brasil e da Índia fecharam acordo de cooperação internacional, primeiro passo para uma futura aliança entre os Brics (além dos dois países, Rússia, China e África do Sul). A assinatura do acordo aconteceu nesta terça-feira, 23 de abril, em conferência em Mumbai, na Índia. Pelo Brasil participou a ABFintechs, associação que representa o setor.

Com essa iniciativa, poderemos dar início a intercâmbios de conhecimento em inovação e tecnologia com o ecossistema da Índia. Neste país parceiro existem importantes centros de excelência em tecnologia”, conta Ingrid Barth, diretora da entidade.

 

Vitória

O Instituto Fundo de Garantia do Trabalhador – IFGT comemora a derrubada, ainda na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ), do penduricalho incluído na reforma da Previdência que acabava com o depósito de FGTS para aposentados que continuassem trabalhando, assim como eliminava a multa rescisória de 40% na demissão sem justa causa.

O IFGT liderou campanha de abaixo assinado para excluir o parágrafo 4º do artigo 10 da Proposta e Emenda Constitucional (PEC 6/2019) da Previdência.

 

Mimo

Governo dará R$ 40 mi em emendas a cada deputado que votar pela reforma da Previdência. Se ficar só nos 308 votos mínimos, gastará R$ 12,3 bi. Os senadores não vão ficar para trás, o que dobraria o saque para R$ 24,6 bi. E a justificativa para a reforma é que falta dinheiro.

 

Rápidas

O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (Unic Rio) fará um Cine Debate sobre a história do tráfico de pessoas escravizadas e as raízes das desigualdades contemporâneas. Será em 7 de maio, às 14h, na Sala de Leitura do Palácio Itamaraty. O filme a ser exibido é 1620-1789: Do açúcar à Revolta, dirigido por Daniel Cattier, Juan Gélas e Fanny Glissant *** O Hospital Adventista Silvestre, no Cosme Velho (RJ), conquistou certificação máxima por sua excelência pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) *** De 26 a 28 de abril, o projeto Dançar Caxias Shopping volta em sua 11ª edição. O Dia Mundial da Dança é 29 de abril *** O papel do Judiciário frente as redes sociais, financiamento coletivo e fake news estará em debate dia 2, na FGV Direito Rio. Inscrições: fgv.br/eventos/?P_EVENTO=4458&P_IDIOMA=0

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Capitalismo na origem da pandemia

Agronegócio e destruição do habitat estão nas raízes de 70% das novas doenças infecciosas.

Bitcoin leva 2 pancadas de uma vez

Pagamento de resgate a hackers e declaração de Musk mostram ‘lado negro da força’.

Taxação sobre heranças reflete desigualdade

Apenas 0,5% da receita vem de impostos sobre bens deixados ou doados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Prisão de Pazuello na CPI é improvável, afirma jurista

Liminar concedida por Lewandowski será submetida à apreciação da Corte.

Turismo caiu 17,6% em março

No primeiro mês pandêmico no Brasil, março de 2020, setor viu receitas caírem 22,3%; ante mesmo mês de 2019, retração é de mais de um terço.

Custo de produção de suínos passa dos R$ 7 por quilo vivo

Em abril, os custos para produzir suínos aumentaram 2,33% ante março, fazendo indicador do setor medir a variação nos custos de produção.

Europa opera em comportamento negativo nesta manhã

A Bolsa de Frankfurt cedia 0,80% e Londres operava em queda de 0,66%.

EUA: serviços públicos puxam recuperação da indústria

Nível de produção segue abaixo do período anterior à pandemia.