Campo do adversário

O governador Anthony Garotinho, do Rio de Janeiro, não pretende assistir sentado à ascensão do prefeito de Duque de Caxias, José Camilo Zito – que não esconde seus interesses em vôos maiores no estado. Garotinho anunciou ontem que seu governo está investindo R$ 100 milhões em Duque de Caxias. As obras contemplam principalmente asfaltamento de ruas e galerias de águas pluviais, mas abrangem também construção de casas populares e delegacias. Em toda a Baixada Fluminense – onde o governador só conseguiu eleger o prefeito da modesta Paracambi, enquanto Zito comemorou a eleição de sua mulher e irmão para as prefeituras de Magé e Belford Roxo, respectivamente – o Governo do Estado vai investir US$ 300 milhões, dentro do programa Nova Baixada. Paracambi não está entre as contempladas.

Cultura
Em comemoração aos 78 anos da Previdência Social, foi exibido anteontem pelo Ministério da Previdência o filme O Cego Estrangeiro. Fontes do ministério garantem que não é nenhuma referência ao presidente FH nem a suas declarações sobre a globalização, feitas no Palácio de Merdeka.

Pró-Davos
Cerca de 20 militantes de partidos de oposição ao governo do Rio Grande do Sul e dirigentes estudantis realizaram protesto nas escadarias de acesso ao auditório do Centro de Convenções da PUC-RS durante a abertura do Fórum Social Mundial, em Porto Alegre. Eles estenderam faixas com dizeres “Para o Fórum tem um milhão para a educação nem um tostão”. No panfleto com o título “Manifesto do movimento estudantil gaúcho”, constam as assinaturas dos DCEs da Unisinos, Ulbra, PUC-RS, entre outras. O Rio Grande do Sul tem quatro universidades federais, mas nenhuma subscreveu o manifesto. Participantes do fórum responderam com as palavras de ordem de “Fora FHC e FMI” e “Vão prá Davos” .

Suspeita
A Polícia Civil de Mauá, a 29 km de São Paulo, apreendeu uma urna eletrônica (padrão 2000), que foi jogada  em um córrego da cidade. A urna deve ser encaminhada hoje para o Instituto  de  Criminalística de São Paulo, onde será feita a perícia. No  equipamento,  não  constava  nenhum registro do Tribunal Superior Eleitoral,  como  é  o  comum.  Segundo o juiz eleitoral Hélio Marques de Faria,  responsável  pela  vigilância  das  urnas,  a cidade possui apenas quatro  urnas do padrão 2000 e nenhuma foi extraviada. A  assessoria  do  TSE, que descarta a possibilidade de fraude na eleição, informou  que,  mesmo  que  a  urna  seja  verdadeira,  não  teria nenhuma utilidade, já que os programas mudam a cada ano.

Bola rolando
Responsável por movimentar US$ 250 bilhões por ano em todo o mundo, o futebol mobiliza as atenções dos meios financeiros, acadêmicos e jornalísticos. No início da próxima semana, começa no Porto, em Portugal, o simpósio “Futebol e futuro: os desafios da qualidade”. Organizado pela Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física da Universidade do Porto e pelo jornal A Bola, o evento contará com a presença do ex-presidente da Fifa João Havelange, do ex-treinador da seleção brasileira Carlos Alberto Parreira e de acadêmicos lusitanos e brasileiros. Esta coluna estará representada por Sérgio Souto, autor de Os três tempos do jogo – anonimato, fama e ostracismo no futebol brasileiro (Graphia).

Fenda
Certamente, não se deve apenas aos limitados conhecimentos de política internacional do presidente George Bush a ausência de qualquer representante do alto escalão do governo norte-americano em Davos. Apesar da sua proposta de redução de impostos beneficiar, principalmente, as famílias com renda anual superior a US$ 48 mil, Bush tem mostrado contradições, ainda bastante tímidas, ressalve-se, com a ilusão virtual que sustentou o crescimento dos EUA durante as duas administrações de Bill Clinton.

Brasil colônia
Enquanto em Porto Alegre, discutem-se alternativas de inserção não submissa à globalização, a delegação do Governo FH em Davos insiste em mendigar migalhas. A melhor síntese da posição tucana encontra-se no ministro da Agricultura, Pratini de Moraes, que defende a abertura de mercado do países industrializados a produtos primários brasileiros, em troca do aumento das facilidades de acesso a produtos de maior valor agregado dos países industrializados. É a versão século XXI da República Velha.

Artigo anteriorHolocausto
Próximo artigoEstrangulamento
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

MPEs veem oportunidades geradas pela crise

Principal mudança foi alocação de recursos para trabalhar e atender remoto, seguida por investimentos em tecnologia para vendas não presenciais.

Mudança de sinais

Terça começou tensa para os mercados de risco no mundo; hoje, a expectativa para o dia é de Bovespa seguindo em recuperação.

Quatro conselheiros da Petrobras decidem deixar o cargo

Eles são representantes da União no Conselho da empresa, petrolífera divulgou nota ontem à noite.

Biden quer estados priorizando vacinação de professores

Presidente americano pediu que educadores recebam pelo menos uma dose de vacina.

PEC fiscal e lockdown ficam no radar em dia de PIB

Em Nova Iorque, as pressões dos treasuries e a queda das companhias de tecnologia tiveram forte impacto nas Bolsas.