Campos Neto: BC vai rever para baixo crescimento do PIB para 2022

Última conta do BC era de alta de 2,1%.

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta sexta-feira que a instituição deve piorar sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) em 2022, mas não na magnitude apontada pelo mercado em suas últimas estimativas.

A última conta do BC, de alta de 2,1%, será provavelmente revista para baixo, disse, “mas não tão baixo” como a mediana em expectativas de agentes do mercado.

No último boletim Focus, a perspectiva do mercado era de crescimento de apenas 0,7% para a economia brasileira em 2022.

Inflação de dois dígitos

Campos Neto também afirmou que o pico da inflação está próximo do fim, com melhora a partir do ano que vem. “Está perto – olhando 12 meses – de ver o topo (da inflação), e a gente entende que, a partir do ano que vem, vai ver uma melhora”, disse ao participar de evento virtual com empresas do mercado imobiliário, promovido pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP).

Campos Neto afirmou que o BC imaginava, “em algum momento”, que o auge da inflação seria em setembro, mas isso não ocorreu, pois “choques de energia vieram de forma consecutiva, surpreendendo a todos”, e do aumento da gasolina subindo na bomba, puxado pelo etanol.

O mercado financeiro, na última segunda-feira, fez uma projeção de que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, subirá de 9,77% para 10,12% neste ano.

Swiss Re

De acordo com o novo estudo sigma 5, do Swiss Re Institute, o PIB do Brasil deve registrar crescimento de 5% ao final de 2021. Para 2022, no entanto, a projeção de crescimento é de menos de 1%, e de 2% em 2023.

Segundo o estudo, a recente piora da dinâmica inflacionária também aumentou os riscos de estagflação (alta inflação, baixo crescimento e alto desemprego) para os próximos anos, especialmente no Brasil. A inflação do Brasil subiu novamente em outubro, 10,7% no comparativo anual contra 10,3% no comparativo anual em setembro. Nossas projeções incluem outro aumento de 150pb em dezembro para uma taxa básica de juros de 9,25% para 2021 e 11,25% para 2022. A taxa começou o ano em 2%.

Leia também:

BC: Juros do cartão de crédito sobem para 343,6% ao ano

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Azul mantém Norte Fluminense e Gol vai montar hub na Bahia

Companhia aérea recebeu incentivos fiscais do governo baiano.

Mais navios deixam a Ucrânia com 58 mil t de milho

Três navios foram autorizados a sair com grão da Ucrânia.

Últimas Notícias

BNDES: R$ 6,9 bi para construção da linha 6 do metrô de SP

Total previsto de R$ 17 bilhões financiados por um consórcio de 11 bancos

Área de oncologia movimenta R$ 50 bilhões no Brasil

Cerca de 625 mil novos casos de câncer são diagnosticados por ano

Títulos públicos prefixados: maiores rentabilidades de julho

Destaque ficou com os prefixados de vencimentos mais longos, representados pelo IRF-M1+

Economia prepara projeto para abrir fundos de pensão ao mercado

Em jogo, patrimônio de R$ 1 trilhão acumulado pelos fundos fechados de previdência.