Capital

Um grupo estrangeiro se prepara para aportar 500 milhões de euros (cerca de R$ 1,3 bilhão) no Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes). O valor é mais que significativo: até setembro, o Bandes tinha liberado R$ 1 bilhão em empréstimos. O banco atua com linhas que atendem principalmente a micros e pequenas empresas do estado, mas também a grandes empreendimentos, com recursos do Funres e repasses do BNDES.

Omissão
A piada explica o que é a Lei da Gravidade: se todos estão preocupados e só você se mantém calmo, é porque ainda não percebeu a gravidade da situação. Não é piada, mas o Ministério da Agricultura parece ser personagem de situação parecida. Ao reagir à operação da Polícia Federal que descobriu possível adulteração do leite, com produtos nocivos à saúde, o ministério limitou-se a dizer: “Nem todas as indústrias que compram leite das duas cooperativas autuadas compram leite processado. Parte do produto vendido pelas duas cooperativas é leite cru refrigerado, o que diminui os riscos de estar adulterado ou impróprio para o consumo, visto que as irregularidades foram identificadas nas unidades beneficiadoras do produto, ou seja, em seu processo de industrialização.” Resta saber: e a outra parte do produto vendido pelas duas cooperativas? Vai para onde?
O Ministério da Agricultura continua, dizendo que fiscaliza as duas cooperativas e que “poderá realizar, inclusive, reinspeção do leite já distribuído aos supermercados brasileiros, e, caso sejam verificadas irregularidades, os produtos poderão ser recolhidos e destruídos”.
Enquanto o ministério não faz esse favor aos contribuintes, o que o consumidor deve fazer: tomar o produto e rezar para não passar mal? Utilizar leite em pó? Comprar leite de soja?
Todos esperavam que o governo, através do Ministério da Agricultura, tomasse uma medida preventiva, retirando as marcas suspeitas das prateleiras dos mercados para um exame rigoroso. Se constatado que o produto está próprio para consumo, pede-se desculpas ao consumidor e aos produtores e volta-se à máquina registradora. Tratando-se da saúde, é melhor pecar por excesso que por omissão.
Como diria Boris Casoy, “isso é uma vergonha!”

Infraero informa
O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, o presidente da Infraero, Sérgio Gaudenzi, e o secretário de Transportes, Julio Lopes, anunciam nesta quarta um pacote de medidas para a revitalização do Aeroporto Internacional Tom Jobim. Eles também vão inaugurar um painel eletrônico que fará a contagem dos novos passageiros que o aeroporto deverá receber até o final de 2008.

Hediondo
Os níveis de corrupção e criminalidade, registradas na sociedade brasileira, têm, na opinião do senador goiano Demóstenes Torres (DEM-GO), a mesma e principal causa comum: a total impunidade ou, quando muito, a aplicação, pela Justiça, de penas brandas demais em relação aos delitos cometidos. A afirmação foi feita em palestra, a convite da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB), no Clube Homs, em São Paulo (SP). O senador é autor de quatro projetos de lei, todos, segundo ele, engavetados, um dos quais tipifica a corrupção (ativa e passiva) como crime hediondo.

Proibido estacionar
A Della Volpe é uma das maiores empresas de logística do país. O que não significa que precisa ocupar todos os espaços. Caminhões da companhia sistematicamente prejudicam o trânsito na Rua Visconde da Gávea, no Centro do Rio, onde ocupam vagas irregularmente demarcadas por cones.

David contra Golias
Cerca de 80 fabricantes de refrigerantes estarão em Brasília nesta quinta para debater, na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, as desigualdades que existem no setor, entre pequenos e médios fabricantes brasileiros e as grandes corporações, como: diferenças das alíquotas fiscais dos refrigerantes e das cervejas; distorção da carga tributária; concorrência predatória; e exclusividade de espaços.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorSéculo
Próximo artigoSem-mala

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...