Carnaval: associação estima alta de 3% de vendas na capital paulista

Neste ano, cidade terá 678 desfiles aprovados e autorizados pela Prefeitura, 38,5% a mais do que no ano passado.

São Paulo / 14:43 - 14 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) estima crescimento de 3% no movimento das vendas de Carnaval na capital paulista neste ano na comparação com o ano passado.

"O Carnaval de rua da capital tem crescido ao longo dos anos, atraindo cada vez mais turistas e revertendo o esvaziamento da cidade neste período. Com isso, a festividade deve impulsionar as vendas de roupas, fantasias, calçados, maquiagens e adereços, que são artigos de menor valor, geralmente pagos à vista, e que impactarão positivamente o resultado do varejo", diz Marcel Solimeo, economista da ACSP.

De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, com expectativa de público de 15 milhões de pessoas, segundo estimativa dos blocos que vão desfilar pelas ruas da cidade, a festa paulistana se consolida como uma das principais do país; número de desfiles será quase 40% maior do que em 2019.

Neste ano, cidade de São Paulo terá 678 desfiles aprovados e autorizados pela Prefeitura, 38,5% a mais do que no ano passado, quando ocorreram 490 desfiles. Eles estarão distribuídos em 468 pontos da cidade e devem atrair 15 milhões de pessoas em 2020, de acordo com projeções dos blocos, superando os 14 milhões do ano anterior. No Sambódromo do Anhembi, as escolas de samba paulistanas realizarão um dos maiores e principais desfiles carnavalescos do Brasil.

A ocupação das ruas da maior cidade do país durante a celebração do Carnaval de Rua 2020, entre os dias 15 de fevereiro (pré-Carnaval) e 1° de março (pós-Carnaval), projeta um impacto econômico na capital paulista que deve ultrapassar os números do Carnaval de 2019, que movimentou R$ 2,3 bilhões (Carnaval de rua e Sambódromo), segundo pesquisa do Observatório do Turismo da Prefeitura de São Paulo.

Ainda segundo a secretaria municipal, a cidade vai ter média de 2.750 unidades de banheiros químicos por dia (2.500 unidades comuns mais 250 unidades destinadas a portadores de necessidades especiais), em oito dias de desfiles. Total máximo de até 22 mil diárias de banheiros químicos no Carnaval de Rua 2020. O número pode sofrer alterações durante a execução do evento.

A operação de limpeza do Carnaval 2020 contará com aproximadamente 2.947 agentes de limpeza atuando nas ruas da cidade. Pelo segundo ano consecutivo, a Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) enviará 100% dos resíduos coletados da varrição para as duas Centrais Mecanizadas de Triagem da Prefeitura, a fim de aproveitar o máximo possível de materiais recicláveis. Os serviços de limpeza contarão com uma frota de 320 veículos, 505 contêineres de mil litros e 1.140 cestos aramados.

Em 2019, São Paulo coletou 916 toneladas de resíduos durante o Carnaval de Rua e Sambódromo do Anhembi.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor