Carnaval de rua de SP movimenta R$ 2,75 bi

Movimentação financeira foi 31% maior em relação a 2019.

São Paulo / 23:27 - 9 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Prefeitura de São Paulo informou que o carnaval de rua de São Paulo injetou R$ 2,75 bilhões na economia da cidade este ano. O crescimento foi de 31% em relação a 2019. O público total foi de 15 milhões, aumento de 1 milhão de participantes em relação ao ano passado.

Antes abandonado, e até proibido na gestão de Gilberto Kassab (2009-2012), o carnaval de rua foi regulamentado na gestão do petista Fernando Haddad (2013-2016), em 2014, e desde então não para de crescer.

No primeiro ano após a regulamentação do carnaval por Haddad, a cidade teve 210 blocos desfilando no carnaval de rua. No ano passado foram 500. Em 2020, foram 678 desfiles realizados entre 15 de fevereiro e 1º de março.

A maior parte do público era de mulheres (56,4%) e majoritariamente jovens entre 18 e 29 anos (65%). Do total, metade dos foliões participou de mais de um bloco e 70,8% já tinham participado do carnaval de rua em anos anteriores. Perguntados sobre a avaliação do carnaval de rua, 95,7% de pessoas afirmaram que “sim, a prefeitura deve continuar investindo no Carnaval de Rua de São Paulo”. Outras 70% disseram que a festa deve ser ampliada.

Do total de foliões, 73,6% eram de São Paulo e 26,4% eram turistas vindos de todas as regiões do estado de São Paulo, do Brasil e de outros países. O período de permanência média dos turistas foi de dois dias e o gasto médio durante a estadia foi de R$ 648,19.

O impacto econômico do carnaval de rua inclui gastos com transporte, alimentação, compras, hospedagem e lazer, considerando-se o público oficial. A maior parte dos visitantes veio da Região Metropolitana de São Paulo, representando cerca de 59,3%, seguido de pessoas do interior de São Paulo, com 20,7%, e de outros estados, com 19,4%.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor