Carrefour China registra desenvolvimento significativo após aquisição

Foi é a primeira vez que a empresa divulgou a informação desde a aquisição pela Suning.com em setembro de 2019.

Empresas / 12:11 - 26 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Carrefour China registrou um aumento significativo na capacidade dos lucros após ser comprada pela gigante chinesa de comércio eletrônico, Suning.com, disse a cadeia de supermercado nesta terça-feira.
A Carrefour China elevou sua eficiência de operação via transformação digital das lojas. No quarto trimestre de 2019, a empresa registrou seu primeiro lucro trimestral nos últimos sete anos, disse Tian Rui, presidente-executivo do Carrefour China.
Esta é a primeira vez que Tian divulgou a informação desde a aquisição em setembro de 2019.
"Em termos da digitalização, as 209 lojas existentes em todo o país completaram a transformação de varejo inteligente para atender o serviço de entrega dentro de uma hora para áreas dentro de 3 quilômetros ao redor da loja, ou a entrega em meio dia para locais dentro de 10 quilômetros na mesma cidade", disse Tian.
Durante a epidemia, o Carrefour China lançou serviços de entrega expressa com as lojas de conveniência da Suning para atender a demanda dos residentes, registrando um aumento mensal de 202% na receita diária média, segundo a empresa.
"Em 2020, aceleraremos as atualizações das lojas, construção da cadeia de fornecimento, e outras integrações com a Suning para recriar a glória do Carrefour na China", afirmou Tian.
Já no Brasil, o Grupo Carrefour Brasil, no quarto trimestre de 2019, consolidou sua posição de liderança no varejo alimentar brasileiro, com vendas brutas totalizando R$ 17,6 bilhões. No período, as vendas registraram forte avanço de 11,4% (ex-gasolina). Em 2019, as vendas brutas atingiram R$ 62,2 bilhões. O lucro líquido ajustado teve alta de 6,3%, alcançando R$ 695 milhões, pré-IFRS 16 no 4T. No consolidado do ano, o crescimento foi 5,1%, contabilizando R$ 1,98 bilhão.

As vendas em mesmas lojas (LfL) registraram alta de 7,6%, no trimestre. Esse aumento foi motivado em grande parte pelo sólido crescimento de 12,7% na divisão de varejo, o maior aumento trimestral dos últimos cinco anos. No atacadão, as vendas brutas creseceram de 10,8% e o crescimento em mesmas lojas (LfL) atingiu 5,5%, refletindo a força do modelo de negócios, que se beneficia de uma tendência de inflação volátil em várias categorias, garantindo o melhor preço para os consumidores. A Black Friday impulsionou os bons resultados do período.

O Ebitda ajustado cresce 11%, atingindo R$ 1,4 bilhão, pré-IFRS 16 no 4T, e uma margem de 8,7%, praticamente estável em relação ao ano anterior, que demonstra a força do nosso modelo de negócios.

De outubro a dezembro de 2019, o atacadão registrou um crescimento total de 10,8%, totalizando uma receita bruta de R$ 11,9 bilhões. O desempenho reflete a estratégia de expansão da rede, que atingiu sua meta de abrir 20 lojas em 2019, com oito aberturas realizadas no 4T. Com isso, o atacadão encerrou 2019 com 186 lojas no Brasil. O sucesso das vendas da Black Friday, que aumentaram 63,4% em relação ao ano anterior, também contribui para o resultado.

As vendas (LfL) do atacadão tiveram um crescimento de 5,5% no 4T e 5,4% em 2019, em relação a igual período de 2018. Já a expansão da rede contribuiu com um crescimento adicional de 6% das vendas totais no trimestre.

No 4T19, o lucro bruto avançou 10% pré-IFRS 16, alcançando R$ 1,7 bilhão, e uma margem bruta de 15,5%, praticamente estável em relação ao ano anterior. No mesmo período, o Ebtida ajustado aumentou 12,6%, um dos maiores crescimentos trimestrais desse ano, atingindo R$ 825 milhões e a margem cresceu 0,12p.p., alcançando 7,6%, o que demonstra que as estratégias comerciais foram efetivas e conseguimos crescer com rentabilidade. No consolidado do ano, o Ebtida ajustado cresceu 5,3%, atingindo R$ 2,7 bilhões e com uma margem de 7,2%.

As vendas (LfL) da operação de varejo do Grupo Carrefour Brasil aumentaram 12,7% (ex-gasolina), ante 3,5% no mesmo período do ano anterior. Já as vendas totais cresceram 7,5%, atingindo R$ 20,2 bilhões, incluindo gasolina. O desempenho acima da média do segmento é reflexo das iniciativas adotadas em 2018, com foco em preço e sortimento, associadas com ações comerciais e voltadas a venda de produtos saudáveis. A estratégia resultou em uma melhor experiência do cliente, com o NPS atingindo uma alta histórica, e uma diminuição dos níveis de ruptura dos estoques.

 

Com informações da Agência Xinhua

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor